Respostas interessantes marcadas com a tag

39

Estado da arte do teste Dominar o código e assegurar sua confiabilidade se tornou uma das maiores prioridades para todos os desenvolvedores que enfrentaram arquiteturas complexas, cada vez mais ricas. Determinadas ferramentas são capazes de nos ajudar a testar as Aplicações Web para atender à todas as nossas expectativas em termos de desenvolvimento com ...


22

Introdução Pelo contrário. A ideia de separar as atividades das entidades que possuem relação de negócios com a organização é antiga e era usada porque ninguém tinha pensado direito na questão. Isto foi inventando há décadas quando os recursos computacionais eram extremamente escassos e não havia experiência do que funcionava ou não. Infelizmente há quem ...


16

Minha resposta visa complementar a do @guiandmag, pois restam alguns questionamentos. É importante conhecer as técnicas para se testar um software, mas é preciso uma boa dose de sabedoria para determinar o que viável e adequado de implementar. Qual seria uma boa forma de testar o software? Dentre todas as técnicas disponíveis, será preciso determinar ...


15

Nunca trabalhe com números absolutos. Essas métricas não funcionam. Se algo assim pudesse ser determinado os compiladores proibiriam um número maior. Você pode estabelecer algo para o seu projeto, mas é uma bobagem. No fundo isso é o que se chama "boa prática", ou seja, a pessoa estabelece uma regra porque não sabe como resolver o problema de forma ...


14

Não faça casos de uso de CRUD Imagine o seguinte cenário: O Cliente pode realizar o caso de uso Remover Pedido sendo que ele nunca criou um pedido? Não, não pode. Tampouco pode consultar, alterar ou atualizar um pedido. Os Casos de Uso devem representar as necessidades principais do sistema. Na figura acima foi criado um cenário pensando em ...


14

Dá pra produzir informação útil aqui, mas nosso mecanismo não ajuda as pessoas entenderem que essa informação não é canônica e universal, que reflete algum viés Antes vamos combinar sobre quem usa orientação a objetos. Não vamos falar daquele pseudo programador que não entende nada do que é OO, talvez nem de programação em geral e alguns até matemática ...


12

Como me parece ser este o foco da pergunta, vou falar apenas da documentação da engenharia de software e não da documentação de uso do software. Sua observação de que a documentação visa a comunicação na equipe está correta aceitando-se a premissa de que o cliente (ou o representante do cliente) faz parte da equipe. Ou seja: documentação visa comunicação ...


12

A análise e projeto orientados a objetos que você está estudando é apenas um dos assuntos (talvez o mais popular, digamos) dentro da disciplina de Engenharia de Software. Tal como qualquer outra engenharia, o objetivo da disciplina é auxiliar na construção de algo. Porém, nesse caso não são pontes ou circuitos elétricos, e sim sistemas de software. Eu ...


11

O paradigma de programação orientada a objetos impõe algumas dificuldades. Elas podem ou não ser superadas em maior ou em menor grau. A lista que se segue não é de forma alguma exaustiva, mas deve servir para responder essa questão. Críticas reais que considero válidas Aqui listo algumas coisas que considero problemas típicos em linguagens de programação ...


11

Orientação a objeto ajuda gerenciar complexidade. Onde não tem complexidade ela é uma ferramenta desnecessária. Curiosamente ela adiciona complexidade, por isso quanto mais faz OOP mais precisa de OOP, é endêmico. Claro, pode ser necessária, pode ser útil. O problema maior é quando você tem complexidade artificial, por modelagem errada, feita sem pensar, ...


10

Cliente-servidor O cliente-servidor é um modelo de duas camadas onde geralmente tem um componente de software que interage com o usuário ou opera algo na frente mais visível de um sistema, enquanto que o servidor é responsável por fazer o trabalho mais específico em outra parte fisicamente separada. Um exemplo fácil é o que encontramos na web onde você tem ...


9

Interessante você enxergar entendimento do domínio e levantamento de requisitos como dois processos distintos. Eu nunca vi desta maneira. Para mim, o conhecimento do domínio vem durante o levantamento de requisitos. Mas eu estou usando "levantamento de requisitos" aqui com um sentido bastante amplo e não sei se estamos alinhados, então permita-me detalhar ...


8

Quando se adota um processo formal de Engenharia de Software, é importante que os diversos artefatos (documentos, modelos) estejam consistentes entre si. Pois se esses artefatos existem, é para serem consultados, e se um ou mais deles estão defasados, eles perdem a utilidade como material de referência - se tornam "trabalho inútil", que alguém desperdiçou ...


8

Você está se baseando em uma premissa falsa, que toda a parte do sistema tem que ser ou M (model), ou C (controller) ou V (view). O caso do main() é o mais emblemático, ele não é nenhum deles e está localizado fora do MVC. No modelo MVC, o M corresponde as classes que modelam o seu domínio, enquanto que o V e o C ditam como o usuário (ou algum outro sistema ...


8

Vou te explicar como você entende no código, ainda que não tenha uma relação direta entre os termos: Pense em epic como o namespace, em feature como classe, e em story como método. Por que em cada desenvolvimento tem um módulo que possui objetos que possui comportamentos. Reforço que não há um relação direta entre eles, é provável que tenha uma ...


8

É uma maneira de resolver um problema que foi considerada ineficiente, ineficaz, inefetiva ou improdutiva. Existe em diversos campos. Curiosamente alguns padrões de projeto conhecidos na computação são considerados antipadrões por alguns. Ele tem o mesmo problema dos padrões, as pessoas vão atrás deles como se aquilo fosse uma receita para adotar em todos ...


7

As vantagens da orientação a objetos aparecem apenas em projetos grandes. Dá muito trabalho desmembrar um problema em pequenas peças orientadas a objetos, porque a orquestração dessas peças é muitas vezes maior do que a sua criação. Ficam brincando que a coisa mais chata de Java por exemplo é criar uma Factory. Criar um objeto com x características é ...


6

Existem vários diferentes pontos de vista quanto a cada aspecto de um projeto de software; e muitos destes pontos são muito bem embasados. Toda esta diversidade pode trazer a noção de que este é um assunto subjetivo onde nenhuma resposta está certa, nem errada. No livro onde Brooks propõe esta lei, ela figura em meio a várias outras sentenças curtas, sem ...


6

Na minha visão, existem respostas simples e complicadas, porque a coisa ta meio subjetiva ai. Mas, vou tentar ser objetivo. 1 - O que você quer na vida, continua sendo o que você quer independente de um projeto em particular. É o seguinte, de cara, sobre ficar ou não no projeto. Foque no que você quer, se quer continuar, continua, se não quer começa a ...


6

A UML é uma linguagem visual utilizada essencialmente para documentar e comunicar decisões de projeto realizadas utilizando a orientação a objetos. Você não precisa conhecer UML para construir seu software nesse paradigma, principalmente se vai trabalhar sozinho. Ainda assim, o dia que tiver um tempinho valeria a pena estudar os diagramas de Caso de Uso e de ...


6

Tratando-se da questão de boas práticas você está no caminho certo, o ponto chave da questão é: Esse tipo de normalização é uma má prática? Poderia me trazer problemas mais adiante que talvez eu não esteja percebendo no momento? "Trazer problemas" é uma questão muito relativa, tratando-se em termos de programação a abordagem está correta, você está ...


6

Esta resposta não é nova e sim um resumo das outras duas respostas. Não é preciso dar upvote nem nada. Serve para consolidar os argumentos contra OO e pode servir para acrescentar/corrigir o entendimento dos mesmos ou dar continuidade à discussão (na resposta do Victor cabem mais coisas, a do Maniero atingiu o limite). Opacidade de abstrações polimórficas ...


6

Juntar X separar Eu sou favorável à separação, a tal ponto que muitas vezes a melhor forma nem é orientada a objeto, quanto mais separado mais você consegue compor. Essa ideia de juntar tudo atrapalha a composição que é a base para facilitar a manutenção. Tudo feito para funcionar bem com componentes diferentes, ter encaixes fáceis e flexíveis. Não sei ...


6

O que importa é entregar produto que atende requisitos, entre eles que: seja facilmente usável resolve o problema corretamente permita evolução com tranquilidade outros pontuais. Tem diversas técnicas para se fazer isso, mas escolher uma fechada, e que tem que fazer tudo o que está no "manualzinho" não me parece prudente. Análise e Projeto Orientado a ...


5

Vou pedir tua permissão para não responder a pergunta de maneira exata. Acho que é mais fácil pensarmos nas características que influenciam a escolha da plataforma: Deploy: como o software vai ser entregue e consumido? Pode ser um software de prateleira, uma aplicação web para dispositivos móveis, uma aplicação web para computadores, um app, um aplicativo ...


5

O mais comum é: Crie outro branch a partir do MASTER atualizado; Faça o git merge com o teu branch que quer continuar; Assim, você vê se há algum conflito, verifica o código com as mudanças e tem um branch atualizado.


4

Onde é bom usar enum? A ideia de usar um enum se aplica nos seguintes casos: Trata-se de um conjunto fixo de elementos. Nenhum pode ser criado ou destruído. Os elementos são imutáveis. Ou seja, o conteúdo deles nunca muda, os valores internos de cada elemento são fixos. Correspondem a diversos valores distintos com comportamentos semelhantes entre si, ...


4

Amigo esse tipo de aplicação é chamada de aplicação 3 camadas. Sendo elas: 1º Data Tier (Camada da Base de Dados) (SQL, SQLLite,etc) 2º Business Logic Tier (Camada da regra de negócios), chamado de servidor de aplicações, pois ela que disponibiliza os métodos para serem consumidos pela aplicação cliente, que por sua vez desconhecem a primeira camada. ...


4

TL; DR Pra mim se você não está usando os pilares de OOP não está fazendo OOP. E pra mim quase todo projeto que se diz OO (não programação) no fundo chama OO porque está na moda. Algumas pessoas discordam disso. Projetos coesos e não acoplados são sempre desejáveis e isto pode ser obtido no procedural, especialmente se aplicar a modularização, as pessoas ...


4

3 Layers Tomando por base a Presentation Domain Data Layer, do Fowler, uma aplicação de 3 camadas consiste de: apresentação negócio acesso a recursos/dados Com essa arquitetura, foca-se na informação a ser renderizada/apresentada, na informação a ser operada e na informação a ser salva/resgatada. Note que o banco de dados não faz parte dessa ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam