Respostas interessantes marcadas com a tag

10

Existem vários, para download: StartUML ArgoUML Dia Umbrello - apt-get install umbrello Astah Jude Eu gosto do ArgoUML e do Dia, são bem simples de usar. Versões online: Genmymodel Draw.io Eu não uso versões online, então não posso afirmar qual é melhor, mas Genmymodel é muito bem recomendado.


10

Eu costumo usar o Dia, gratuito e leve


10

Você pode usar o draw.io , tem vários modelos de diagramas. Tem o Astah versão free também. Recomendo usar o draw.io.


7

Existem muitos, dentre eles se destaca: Astah --> Prefiro ele AgroUML Existe até uma ferramenta que te permite criar diagramas a partir de código Java chamado: BlueJ --> Faz tempo que não utilizo mas é uma ótima ferramenta.


6

Na verdade creio que dependa. Existem diversos tipos de diagrama de classe. Conceitual : Representa de uma forma um pouco mais abstrata, não necessariamente fazendo referência a implementação final. Exemplo: Especificação: Perspectiva voltada para aqueles que precisam saber as regras do sistema mas não sua implementação (como gerente de projetos por ...


5

yUML Já usei essa ferramenta que serve para alguns tipos de diagramas e tem a vantagem de você poder compartilhar e ter plugins para várias plataformas. Um exemplo: Código para Diagrama de Classes: [Customer|-forname:string;surname:string|doShiz()]<>-orders*>[Order] [Order]++-0..*>[LineItem] [Order]-[note:Aggregate root{bg:wheat}] Resultado: ...


5

Se você precisar emitir relatórios comparativos entre as empresas ou relatórios unificados (Ex: somatória do Lucro bruto) vai precisar por no mínimo nas tabelas relacionadas a movimentação de produtos, serviços e financeiro. Os cadastros ficam a critério dos requisitos (se todas as empresas terão os mesmos produtos, por exemplo). A outra possibilidade que ...


5

Após a sua edição, ficou mais claro entender o que você precisa. Nesse caso, eu não acho que um Diagrama de Sequência seja a melhor escolha. O diagrama de sequência modela as comunicações (ou transições, no seu caso) ao longo do tempo entre as entidades envolvidas. Assim, o seu grande uso é representar a sequência lógica em que as ações, geralmente em um ...


5

O MER é o que você quer fazer efetivamente, é a ferramenta para criar modelos de dados e seus relacionamentos, em geral que depois será produzido em um banco de dados relacional. O DER é só uma maneira visual de montar e analisar este modelo. O MER é abstrato, é só um conceito, podemos dizer que ele só existe no pensamento, embora você possa colocá-lo no ...


4

Isto é incorreto, porque certamente viola o princípio de substituição de Liskov. Na verdade parece que não entendeu para que serve a herança. Não é para eliminar repetições, no máximo é para ter um DRY, que é diferente de não repetir. Em primeiro lugar, se for para eliminar repetição deve usar composição e não herança. Herança só deve ser usada quando há ...


4

No seu lugar, colocaria a resposta na associação Pergunta_Atividade: +----------------------------------------------------+ | Pergunta_Atividade | +----------------------------------------------------+ | IdPerguntaAtividade integer primary key | | IdPergunta integer foreign key (Pergunta) | | IdAtividade ...


4

Está indo no caminho correto. Me questiono se deveria ter Pessoa. Isso abstratamente é legal, mas fisicamente não acho que deveria ter, quase sempre isto é um erro e em banco de dados só fará perder performance. Claro, pode fazer assim, até porque conceitualmente não há nada errado, só não acho boa ideia. Não conheço esta notação mas tem 3 formas de ...


4

O diagrama de classes lista os conceitos que serão implementados no sistemas e as suas relações. Ele é consequência do levantamento de requisitos, definição de casos de usos e classes. A grande importância do diagrama é que ele define a estrutura do sistema. Esse exemplo, retirado do site do Macoratti, mostram as etapas básicas envolvidas na criação do ...


4

Controller e Model são duas coisas diferentes. O Controller pode herdar de outro Controller base, se houver necessidade, mas não da model. No teu diagrama de classes, os métodos deverão ser os que a model disponibiliza, que o controller pode, ou não, consumir. A camada Model (modelo) representa a parte de sua aplicação que implementa a lógica do ...


3

Foi recomendado, nesta pergunta, manter a relação entre Pessoa Física e Funcionário como generalização (Funcionário estende Pessoa Física). Não entendi por que não cabe nesse caso fazer uma relação de papel (Funcionário é papel de Pessoa Física), pelo menos da forma como entendo que papéis funcionam. Foi recomendado na pergunta, não na resposta. Eu acho um ...


3

O controller não deve estender o model. O controller está no nível de requisição (GET, POST, PUT etc...) e o model está preocupado com persistência de dados (bancos, normalmente). Aqui no SO me falaram desse padrão para tratar do MVC chamado GRASP que explica bem o que cada coisa faz. Pensa assim: o seu model não é necessariamente 1 pra 1 com o controller. ...


3

Vou lhe fazer uma pergunta que vai ajudar: Está certo inserir a coluna id_company em praticamente todas as tabelas? Só você pode dizer isto. Só você sabe os requisitos do seu sistema. Se existe alguma razão para ter estas colunas em quase todas as tabelas, está certo. Provavelmente o que você está fazendo chama-se multitenancy. O oposto disto é ter uma ...


3

Neste seu caso não se faz necessário esta representação no diagrama de classes, pois essa mesma representação poderá ser feita no diagrama de Máquina de Estados. Pois não vou te afirmar com 100% de certeza, mas creio que o diagrama de classes não tem recursos para este procedimentos, então fiz algumas pequenas modificações no de classes e possível ...


3

Existem várias notações de diagramas, cada uma com sua característica. Nenhuma está errada. Mas cada uma pode ser mais adequada que outra. Depende da intenção que se deseja demonstrar. Particularmente eu acho que o modelo conceitual deve ser bem simples e deixar os detalhes para o modelo lógico que tem uma notação mais fácil para organizar os detalhes. Em ...


3

Para te ajudar a criar um modelo de entidades, pense assim: O que é quantidade? Ela contém atributos, dados que a descrevem? Ou ela é uma propriedade de outra coisa que a contém? No seu caso, observe que a quantidade é na verdade um atributo do Pedido, pois quando você pede algum produto, você normalmente informa a quantidade desejada, concorda? Dessa ...


3

Sobre o Merge (Consulte a referência 1) O Merge é um nó de controle que reúne vários fluxos alternativos de entrada para aceitar o fluxo de saída único. Não há junção de tokens. O merge não deve ser usado para sincronizar fluxos simultâneos - Um merge reúne vários fluxos sem sincronização. Sobre o Join (Consulte a referência 2) O Join é um nó de ...


2

Como o @rray disse, o PHPStorm tem esse recurso, é só selecionar as pastas ou arquivos que têm classes no Project Explorer, clicar com o botão direito e em Diagrams selecionar Show Diagrams, ou selecionar as pastas e pressionar Ctrl+Shift+Alt+U.


2

Isso é totalmente relativo, não importa necessariamente como o Controller leia os dados do Model ou como ele envie dados para o Model validar, o que importa é que apenas o controller tenha acesso ao Model, então se o que você explicou for exatamente isso Mvc não depende diretamente da programação e muito menos de OOP, o MVC é como organiza o projeto, ...


2

Além dos problemas informados na primeira resposta, este diagrama mostra de como seria o fluxo das comparações, onde NÃO quer dizer que uma das comparações não foram atendidas, portanto válidas, e SIM que foram atendidas, não são válidas. No caso (k > z) ou (k < y) ou (k > w), quer dizer, respectivamente: (k > z): a quantidade de compra é ...


2

O MER (Modelo Entidade-Relacionamento) é uma linguagem que possui o objetivo de descrever modelos conceituais de banco de dados. Foi proposta por Peter Chen em 1976. Por meio dela é possível representar conceitos como entidades e relacionamentos. Segue parte da notação (ou alfabeto) da linguagem MER. Fonte Assim como existem diversos idiomas (ou línguas) ...


2

O diagrama de atividade descreve a sequência de atividades que envolve um software, mostrando desde as ações do usuário até a finalização de funções do software. No exemplo acima eu descrevo um simples diagrama de atividade de uma locadora que utiliza um software de registro de locações, no qual acompanho desde a ação de um ator solicitar a locação, ...


2

O pacote ggforce pode lhe ajudar nessa missão. library(tidyverse) library(ggforce) tidy_landuse <- landuse$links %>% gather_set_data(1:3) ggplot(tidy_landuse, aes(x, id = id, split = y, value = value)) + geom_parallel_sets(alpha = 0.3, axis.width = 0.1) + geom_parallel_sets_axes(axis.width = 0.1) + geom_parallel_sets_labels(colour = 'white')...


1

Essa resposta baseia se integralmente em minha opinião. Diagramas é um modo de gestão/especificação/documentação muito old school. Busque documentar suas requisições via User Stories. São mais simples de criar, e depois de interpretar para desenvolver. Exemplo de uma User Story: COMO um visitante do site QUANDO estou na página inicial do ...


1

Seu fluxograma está bastante confuso e errado. O único losango que vejo, onde uma decisão deve ser tomada é no "Se EOF". Entretanto, abaixo dele não há duas linhas "Sim" e "Não" saindo. Mas nas caixas abaixo, que como retângulos deveriam representar instruções/atribuições, há um monte de "Sim"s e "Não"s saindo para vários lados. Observe por exemplo a caixa ...


1

Visual Studio Ultimate, Enterprise Architect, StarUML, ArgoUML, UModel até mesmo MSVisio tem funcionalidade para converter código em UML. Geralmente há limitações, tanto destas quanto de outras opções, no tocante à linguagem de programação suportada. Em termos práticos, funcionam muito bem se você precisar de um diagrama de classes e de sequência, já que ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam