Respostas interessantes marcadas com a tag

11

Você pode aceitar a inconsistência eventual numa modelagem física [0,N] como na resposta do @VictorStafusa. Ou então usar um banco de dados que aceita inconsistências no meio de transações. Essa opção não é comum, eu particularmente só conheço o SQLite que faz isso. Como proceder nesse caso? Bem, no SQLite eles chamam essa consistência de chave estrangeira ...


9

Modelagem Conceitual O objetivo aqui é criar um modelo de forma gráfica, sendo este chamado de Diagrama Entidade e Relacionamento (DER), que identificará todas as entidades e relacionamentos de uma forma global. Aqui é evitado qualquer detalhamento específico do modelo de BD. Sua principal finalidade é capturar os requisitos de informação e regras de ...


6

Você tem que olhar para o modelo físico. Por exemplo: CREATE TABLE casa ( id INT, endereco VARCHAR(200), PRIMARY KEY (id) ); CREATE TABLE pessoa ( id INT, nome VARCHAR(200), PRIMARY KEY (id) ); CREATE TABLE moradia ( id_pessoa INT, id_casa INT, PRIMARY KEY (id_pessoa, id_casa), FOREIGN KEY (id_pessoa) REFERENCES ...


6

DER ou Diagrama Entidade-Relacionamento, como o próprio nome diz, é uma representação gráfica das entidades necessárias em um modelo de dados e seus relacionamentos, portanto é uma forma abstrata. Bancos de dados relacionais são os mecanismos que concretizam essas representações e produzem uma base de dados com essas entidades e possuem facilidades que ...


4

A cardinalidade (neste contexto) não é uma informação encontrada dentro do banco de dados. É um conceito que aplicamos na modelagem geral, para entendermos como é o relacionamento entre as tabelas. Geralmente nos referimos nestes diagramas à cardinalidade esperada no relacionamento. Estes diagramas estão em um nível mais abstrato. É até possível impor a ...


4

Está indo no caminho correto. Me questiono se deveria ter Pessoa. Isso abstratamente é legal, mas fisicamente não acho que deveria ter, quase sempre isto é um erro e em banco de dados só fará perder performance. Claro, pode fazer assim, até porque conceitualmente não há nada errado, só não acho boa ideia. Não conheço esta notação mas tem 3 formas de ...


3

Um modelo entidade relacionamento (MER) descreve os objetos (entidades) envolvidos em um domínio de negócios, com suas características (atributos) e como elas se relacionam entre si (relacionamentos). Esse modelo conceitual é representado graficamente pelo diagrama de entidade relacionamento (ER ou DER). Esse diagrama facilita a comunicação entre os ...


3

Você está complicando porque está colocando uma variável que não existe. Esquece essa coisa de temporal. Pode até ser que em algum caso de modelagem essa variável seja relevante e tenha que considerar isto, mas tem que ter um regra que determine claramente que que só pode ter um de cada vez. Claro que eu não sei tudo sobre sua modelagem e até pode estar ...


3

Existem várias notações de diagramas, cada uma com sua característica. Nenhuma está errada, mas cada uma pode ser mais adequada que outra. Depende da intenção que se deseja demonstrar. Particularmente eu acho que o modelo conceitual deve ser bem simples e deixar os detalhes para o modelo lógico que tem uma notação mais fácil para organizar os detalhes. Em ...


3

Existe algum motivo para ter uma especialização? Se tiver, tem algum motivo para ter uma generalização? Pode parecer óbvio, mas talvez uma das duas parecem estar erradas em modelagem relacional. Se está falando em especialização não tem porque falar de relação, são conceitos excludentes. Não faça nada sem motivo. Pergunte-se qual o motivo de usar algo? Que ...


3

Foi recomendado, nesta pergunta, manter a relação entre Pessoa Física e Funcionário como generalização (Funcionário estende Pessoa Física). Não entendi por que não cabe nesse caso fazer uma relação de papel (Funcionário é papel de Pessoa Física), pelo menos da forma como entendo que papéis funcionam. Foi recomendado na pergunta, não na resposta. Eu acho um ...


3

O problema não está propriamente no relacionamento, mas sim na serialização, como é possível ver pelo seu tipo (JsonException) e também pela exposição do serializador utilizado (System.Text.Json). Apesar de ter sido recentemente colocado como o serializador padrão, o System.Text.Json não está totalmente pronto para substituir o Json.NET (conhecido como ...


2

Vou fazer a associativa entre a tabela usuario e a tabela empresa e verá que o mesmo caso para a tabela evento. Primeiro vou colocar o código de exemplo CREATE TABLE `teste`.`tab_usuario` ( `usu_id` INT NOT NULL AUTO_INCREMENT COMMENT '', `nome` VARCHAR(45) NULL COMMENT '', PRIMARY KEY (`usu_id`) COMMENT ''); CREATE TABLE `teste`.`tab_empresa` ( `emp_id` ...


2

Eu não sei se entendi bem a necessidade, mas acho que seria: insert into empresas_has_representantes (empresas_id, representantes_id) values (<id da empresa>, <id do representante>) A forma de persistência destes dados depende muito do que voce está usando pra gerenciar sua camada de data access. No hibernate, por exemplo, existe um tipo de ...


2

Então, fiz algumas adaptações principalmente nas suas classes: CidadeMap Mantive HasRequired(a => a.Estado).WithMany(a => a.CidadeLista).HasForeignKey(a => a.EstadoId); EstadoMap HasRequired(p => p.CidadeLista).WithRequiredPrincipal().Map(p => p.MapKey("EstadoId")); Alterei para HasRequired(a => a.Pais).WithMany(a => a....


2

A Tabela intermediária de relacionamentos N para N é a tabela gerada no mapeamento conceitual-lógico de cardinalidades N para N. Todo relacionamento N:N gera uma tabela no mapeamento. A Entidade Associativa é quando o relacionamento com cardinalidade N:N entre duas entidades precisa se relacionar com uma terceira entidade. Nesses casos, esse relacionamento ...


2

Na entidade associativa, também chamada de agregação, imagine que queira saber se o medicamento que o médico receitou para o paciente em um consulta qualquer necessita de receita (um flag na entidade medicamento). Relacionar a entidade Medicamento como a entidade Médico ou com Paciente não faz sentido, uma vez que a emissão de receita refere-se a consulta ...


2

Acho que tem algumas questões ai. Em primeiro, acho que sua requisição JSON deveria ter um root, no caso: { "post": { "title": "Titulo da postagem", "description":"Decrição do post", "passion_ids":[1,2] } } Em segundo, se vocẽ quer passar um array como atributo, você deve permitir ele de maneira diferente, assim: params....


2

Multiplexação de "chave estrangeira" Cada forma tem suas vantagens e desvantagens, obviamente. Decidir qual é a melhor creio que você deva fazer em sua aplicação, desde que tendo conhecimento base para poder tomar essa decisão de escolha. Vou apresentar um caso recente que eu passei na empresa. Trabalho num sistema de vendas, uma das nossas funcionalidades ...


2

Começando com o comentário do Valdeir Psr, As tabelas "categoria" e "subcategoria" seriam uma só tabela. Haveria um campo parent_id que seria NULLABLE referenciando a categoria pai. Para impedir que categorias se repitam, coloque uma UNIQUE CONSTRAINT em nome e parent_id em conjunto. Deveria haver uma tabela de imagens. Não sei se você pode ter diferentes ...


2

O Error Code 1050 é dado por conta que já existe uma tabela com a mesma nomeclatura da que você está tentando executar em sua query. Há outra forma de criar tabelas sem que haja este tipo de alerta no console, de tal forma que todas as linhas do código sejam verificadas sem nenhum erro? O resultado de sua verificação em outras tabelas já criadas no ...


1

Na declaração da restrição FK_tblInsumosDaComposicao_tblFornecedorInsumo é necessário que as colunas sejam declaradas na mesma ordem. Onde está CONSTRAINT FK_tblInsumosDaComposicao_tblFornecedorInsumo FOREIGN KEY(IDInsumo, IDFornecedor) REFERENCES tblFornecedorInsumo(IDInsumo, IDFornecedor) substitua por CONSTRAINT ...


1

Segue um simples exemplo que acabei de criar tendo em vista sua questão. Segue imagem abaixo: Observando o exemplo creio que vc possa criar uma de acordo com suas necessidades. Espero ter ajudado.


1

Aqui está as tabelas que eu criei para exemplificar. Por favor desconsidere as os nomes, visto que fiz um pouco correndo. Aqui crio minha tabela de artista CREATE TABLE artistaMusica( id_artista SERIAL, nome VARCHAR(10), PRIMARY KEY(id_artista) ) Aqui os gêneros CREATE TABLE generoMusica( id_genero SERIAL, nome_genero VARCHAR(20), PRIMARY KEY(id_genero)...


1

O que ele está fazendo é juntando os mapeamentos, você na classe Distritos está escrevendo: @JoinColumn() @ManyToOne(optional = false) private Municipios idMunicipio; entao, ele gera o primeiro id_municipio. Na classe Municipios você está declarando o id da seguinte forma: @Id @Basic(optional = false) @NotNull private Long idMunicipio; gerando um segundo ...


1

Primeiro você precisa identificar o tamanho em bytes de cada linha. Com isso você conseguirá identificar, dado o numero de linhas da tabela, qual o tamanho da mesma. No Oracle eu utilizo q query abaixo para obter o tamanho total da tabela e dividindo pelo numero de linhas obtenho o valor por linha e ai é seguir com a estimativa: SELECT owner, ...


1

Antes de mais nada não existe uma regra específica para modelagem em bancos noSQL. O que você encontra são recomendações na documentação do banco. Falando sobre MongoDB, existe uma grande recomendação geral para seguir: pense sempre em como os dados vão ser acessados/inseridos/atualizados. Nos relacionamentos 1:N, além de de seguir a regra geral, considere ...


1

Já foi resolvido o problema. Sempre tive problema em entender o conceito, mas NA VERDADE, ao criar um relacionamento 1:N não estou criando muitas tabelas pra uma tabela, só estou criando mais linhas na tabela existente e numerando um campo para dizer de qual "instancia" da tabela o dado pertence. então eu não preciso criar mais tabelas, o conceito é ...


1

se está utilizando Identity não deve utilizar DbSet<Usuarios> e sim db.Users.


1

Infelizmente não tem como fazer isso dessa maneira. Mas como você utiliza java, você pode usar o orientação a objetos para encapsular essa lógica dentro da sua entidade. Por exemplo: @Entity public class Item { @ManyToOne private Produto produto; } @Entity public class Produto { @OneToMany(mappedBy = "produto", cascade = CascadeType.ALL, ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam