Respostas interessantes marcadas com a tag

32

Conceituação inicial Aplicação e executável são coisas diferentes. Aplicação é um conjunto de coisas (eventualmente pode ser só o executável quando é algo muito simples), de funções, tarefas, atividades que beneficiam o usuário, é um conceito mais abstrato. Quando um executável principal (EXE no Windows) precisa de uma DLL ele já não representa sozinho a ...


13

Ambas tem a mesma finalidade: são bibliotecas que permitem reutilizar um determinado código. Uma é estática (*.lib, *.a) e a outra dinâmica (*.dll ou *.so). Isso você já sabe. Mas as diferenças são: As bibliotecas estáticas aumentam o tamanho do binário gerado, pois elas são "embutidas" ao seu próprio código. Enquanto as dinâmicas são armazenadas em um ...


8

Resumidamente, uma DLL é uma biblioteca que contém funções, as quais podem ser chamadas em tempo de execução pela aplicação, dando assim um dinamismo no seu uso. Já a LIB é uma biblioteca estática podendo seus métodos só serem invocados em tempo de compilação. Logo o uso de LIB resultaria em um arquivo maior, que poderiam ser divididos com o uso de DLLs, ...


8

Você pode fazer isso usando a classe COM. Mas antes, você tem que registrar a dll no windows executando esse comando no prompt: REGSVR32 MinhaDll.dll Agora que a dll está registrada, você faz isso para acessar a DLL: $minha_dll = new COM(‘MinhaDll.Objeto’); "minha_dll" é o nome da dll e Objeto é o objeto dentro da dll que você quer utilizar. Agora, por ...


8

É possível obter através de um utilitário para listar os membros da DLL, como o dumpbin do Visual Studio ou o DLL Export Viewer ou o Dependency Walker. Isto não dará muitos detalhes e não dirá quais realmente podem ser usadas livremente. Listará até mesmo o que é privado e não deveria ser chamado. Portanto se atenha à documentação. Sempre! Se não está ...


7

À partir da Qt5 você deve ter a seguinte estrutura: +-+ pasta do aplicativo) |-- Aplicativo.exe |-- Qt5Core.dll |-- Qt5Widgets.dll |-- outras dlls dos módulos usados +-+ platforms |-- qwindows.dll A pasta platforms deve estar no mesmo nível do seu .exe, e conter a .dll (no caso do Windows, .so em *nix, etc) referente ao sistema operacional em ...


7

Gostaria de saber, qual é a melhor abordagem para o controle de autorização nestas dll's. É possível utilizar o Identity? É possível, mas o Identity foi pensado para a arquitetura MVC, inicialmente. Funcionará bem se o fluxo da sua camada de serviços for parecido com um Controller. Existe algum design pattern ou alguma outra abordagem mais indicada para ...


6

Sua afirmação está parcialmente correta. Na verdade, as DLLs comuns (win32/Com) precisam ser registradas com a ferramenta regsvr32 enquanto, de fato, você precisa apenas adicionar uma DLL C# na pasta bin para que a mesma possa ser utilizada (e ela só pode ser utilizada por aplicações .NET como você disse). Você pode ler mais sobre isso aqui: Difference ...


6

Python não é uma linguagem "compilada", é uma linguagem "interpretada", ou seja mesmo programas como py2exe ou cx_freeze enviam uma versão stand-alone do Python junto com a versão "compilada do Python" em EXE e o source (ou o pyd que é uma linguagem intermediaria) do Python provavelmente esta interno (depende de cada programa, não os conheço a fundo). Ou ...


6

Não sei se existem mais motivos, mas aqui vão os que sei: Quando tem projetos de grandes dimensões o tempo de compilação começa a ser um problema, assim pode compilar as DLLs à medida que são alteradas, ou por exemplo, apos a comercialização do software, permite fazer updates de forma simples Permite carregar e libertar conforme são necessárias de forma a ...


5

Primeiro, é pouco provável que precise mexer no código de barras. Isto é algo padronizado e se está pronto, mexer provavelmente só estragará. Classe bloqueada é termo que eu desconheço mas vou entender que você não consegue mexer nela por alguma razão. Se você só tema DLL e não existe uma forma de acessar uma API dela, tem pouco a fazer. Não dá para ...


5

Eu já tive que fazer isso, e utilizei uma abordagem um pouco diferente (testei esse procedimento no Visual Studio 2012 e 2013). Para o teste, criei uma DLL em C#, chamada de BibliotecaCSharp.dll, com a seguinte classe e namespace: using System; using System.Collections.Generic; using System.Text; namespace BibliotecaCSharp { public class Teste { ...


5

Eu uso uma "receitinha de bolo" que sempre funciona para mim. Segue: Crie uma interface: namespace EscreveINI { using System.Runtime.InteropServices; [InterfaceType(ComInterfaceType.InterfaceIsDual), Guid("80911B7A-608D-4A54-B51B-CF09E512CAD4")] public interface IEscreveIniClass { void Escrever(); } } E uma classe: namespace ...


5

Caso você instale as bibliotecas via Nuget Package as referências serão automaticamente criadas para você; o repositório físico dos pacotes será criado fora do escopo do projeto em si. Isso permite que você compartilhe projetos, deixando ao encargo do Nuget Manager o trabalho de realizar o download dos pacotes presentes no seu projeto. No caso de ...


5

Conforme comentário do Victor Stafusa, duas alternativas comuns para consumir código nativo são o JNI (mecanismo padrão do Java) e JNA (uma biblioteca bastante popular para consumir bibliotecas C). Em uma simplificação grosseira podemos dizer que a principal diferença entre as duas é que com JNI a maior parte do "mapeamento" é feito do lado da aplicação C/C+...


4

Essa dll deve ser uma biblioteca de tipos(Type Library). Para utilizar ela primeiramente você deve registrar ela com o utilitário regsvr32.exedo windows. regsvr32 "caminho para a dll" Após isso você tem duas alternativas para utilizar ela no Delphi. Utilizando o Assistente fornecido pela IDE Que se localiza em Component->Import Component.... Nele ...


4

Você deve usar umas das APIs JAVA disponíveis para acessar código nativo, são essas: JNI (Java Native Interface) e JNA (Java Native Access). JNI é a API oficial do Java (Oracle) e JNA é open source mantido pela comunidade. Enquanto ambos tem o mesmo objetivo, o desenvolvimento do JNA foi focado em simplificar ao máximo a implementação, problema comum na ...


4

"TLB"? Então ele está tentando consumir sua DLL como um componente ActiveX. O problema é que o COM não suporta métodos estáticos e quando seu colega cria o proxy para a sua DLL os métodos estáticos não são incluídos no proxy. Retire a palavra chave static da declaração dos seus métodos e o seu colega poderá consumi-los como um objeto ActiveX. Sugestão: se ...


4

Aparentemente seu código está correto, vou compartilhar minha experiência, C# interop com VB6/C# (VS 2012) talvez lhe ajude em alguns detalhes que estão faltando. Abra o menu propriedades(properties) do seu projeto (DLL) e siga os passos da imagem abaixo para configurar sua DLL. Trecho código fonte DLL interop: [ClassInterface(ClassInterfaceType.None)] [...


4

Na carga a biblioteca dinâmica terá que montar uma tabela onde as estão disponíveis os símbolos que o código acessará. A diferença é bem pequena e não fará qualquer diferença importante. Pode haver ganho na carga da biblioteca que pode já estar na memória. Como pode economizar consumo de memória, pode haver ganho por ter mais chance de estar em cache. Pode ...


4

Para o conhecimento de todos, o problema foi resolvido. Para o PostgreSQL funcionar corretamente é necessário copiar as seguintes DLLs para a pasta da aplicação: Libeay32.dll SSLeay32.dll Intl.dll Libpq.dll Copiar essas DLLs do diretório bin da instalação do PostgreSQL.


4

O correto é você fazer a importação da DLL como componente para o Delphi, e não sair fazendo engenharia reversa nas DLL (questão pessoal de ética). Menu: Component -> Import Component... Dessa forma o Delphi criara uma unit com as funções e procedures que possuem na biblioteca! Como você ja fez o teste trocando a extensão da DLL para EXE e obteve o ...


4

Até o C# 7 ou 8 (ainda não está definido quando entra) não é possível. Mesmo quando puder haverá restrições, ainda não totalmente definidas, do que pode fazer. Para testar tem como acessar o método se você sabe que ele está implementado, não é o ideal, mas é possível forçar o teste. Não só para o teste, mas para o uso em produção é possível criar um padrão ...


4

Não é possivel criar DLL's com VBA, isso só é possivel com o visual basic (vb6) o que não recomendo à data. Por isso a sua unica solução para isolar o seu código é através de um projecto .NET. Para isso é necessário alguns passos para funcionar tudo bem. Em primeiro lugar vais estar a criar um assembly .NET que não é compativél com tecnologia COM do VBA. ...


3

Tente mais duas coisas: Apague o diretório /bin do projeto; Apague os diretórios dentro de C:\Users\SeuUsuario\AppData\Local\Temp\Temporary ASP.NET Files. Apague também os diretórios abaixo dos seguintes diretórios, se existirem: C:\Windows\Microsoft.NET\Framework\v2.0.50727\Temporary ASP.NET Files C:\Windows\Microsoft.NET\Framework\v4.0.30319\Temporary ...


3

COM não suporta métodos estáticos, isso é uma regra e não existe o que fazer. Você vai ter que modificar sua classe para que todos os métodos sejam membros da instância, ou no mínimo incluir métodos não estáticos que chamem os métodos estáticos, e então estes métodos não estáticos é que devem ser incluídos na sua interface.


3

Antes de dar o batch da aplicação, vá na sua referência e faça o seguinte: Botão direito em cima dela e vá em propriedades, depois disso altere o Copy Local para TRUE Faça seu batch e verá que agora a dll está duplicada em sua aplicação, envie dessa maneira para o outro computador e pronto.


3

Esta resposta deverá sofrer uma série de alterações nos próximos dias, de acordo com as dúvidas subsequentes do autor da pergunta a aspectos específicos da sua aplicação. Pode ser que outras questões possam ser abertas ou usadas para explicitar algum aspecto mais complexo. Estarei lendo os comentários todos os dias. Favor me mencionar nos comentários para ...


3

Pelos comentários, acredito que o problema esteja na declaração do handle: HMODULE LoadDLL(void) { HMODULE handle; // Carrega a dll ... handle = LoadLibrary(L"c:\windows\system\minhadll.dll"); // Verifica se a dll foi corretamente carregada.. if (handle == NULL) { //Indicar que deu erro } return handle; } Notar que eu mudei o ...


3

Você pode usar este projeto do Github pra facilitar sua vida: https://github.com/twall/jna Passo a passo: Crie um Projeto Maven Crie o fonte C Crie a interface Java Crie a classe Java Fontes: dependência no pom.xml <dependency> <groupId>net.java.dev.jna</groupId> <artifactId>jna</artifactId> <...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam