Respostas interessantes marcadas com a tag

179

Só para complementar, ajudar ou confundir um pouco mais :) e ser ligeiramente dissonante. Os termos podem ser definidos diferentemente dependendo do contexto. Fui olhar a definição encontrada na Wikipedia em inglês para os termos API, Library e Framework. "Só para variar" é uma definição melhor. API Lá fica claro que uma API é um conceito mais abstrato ...


73

API API(Application Programming Interface - Interface entre Aplicativo e programação) é um conjunto de instruções e padrões de programação para acesso a um aplicativo de software. Uma empresa de software lança sua API para o público de modo que outros criadores de software possam desenvolver produtos acionados por esse serviço. Pegue como exemplo o ...


41

As definições formais já estão em outras respostas, então vou tentar uma abordagem mais pragmática. API em geral é o conjunto de interfaces, classes e métodos disponíveis para você usar em um framework, ferramenta ou serviço. Um Web Service REST ou SOAP que possui um conjunto de serviços disponíveis pode ser chamado de API. O padrão de arquitetura JEE é ...


35

De acordo com a Wikipédia: API API, de Application Programming Interface (ou Interface de Programação de Aplicativos) é um conjunto de rotinas e padrões estabelecidos por um software para a utilização das suas funcionalidades por aplicativos que não pretendem envolver-se em detalhes da implementação do software, mas apenas usar seus serviços Framework ...


31

Conceituação inicial Aplicação e executável são coisas diferentes. Aplicação é um conjunto de coisas (eventualmente pode ser só o executável quando é algo muito simples), de funções, tarefas, atividades que beneficiam o usuário, é um conceito mais abstrato. Quando um executável principal (EXE no Windows) precisa de uma DLL ele já não representa sozinho a ...


15

Para fazer gráficos aparecerem na tela, existem várias camadas: Os criadores das placas gráficas, placas-mãe, monitores definem uma maneira de essas partes se comunicarem. Por exemplo, setar o pino X com um bit Y, esperar tantos nanossegundos, ler os bytes no endereço Z, etc. Essas convenções podem seguir padrões como os barramentos PCI ou PCI Express, ...


15

Explicação resumida: API Serve para integrar sistemas. Alguém disponibiliza uma API para que você consiga integrar seu sistema com o sistema que disponibilizou a API. Ou você cria e disponibiliza uma API caso deseje que alguém integre um sistema com o seu. Em geral, pode ser um conjunto de classes ou maneiras de como acessar um webservice rest ou soap. ...


13

Ambas tem a mesma finalidade: são bibliotecas que permitem reutilizar um determinado código. Uma é estática (*.lib, *.a) e a outra dinâmica (*.dll ou *.so). Isso você já sabe. Mas as diferenças são: As bibliotecas estáticas aumentam o tamanho do binário gerado, pois elas são "embutidas" ao seu próprio código. Enquanto as dinâmicas são armazenadas em um ...


11

jQuery está se tornando obsoleto? Não, jQuery é muito bom no que se propôs a fazer que é manipular o DOM, é lógico que com JavaScript é possível fazer isso, mas devemos levar em conta todo tipo de desenvolvedor, a sintaxe do jQuery é muito mais simples para quem está começando. Mas existem tantos frameworks novos, por que continuar usando? Realmente a ...


10

Sendo conciso pode dizer-se que há 3 gerações diferentes no que respeita a importar bibliotecas. incluíndo a biblioteca no espaço global (a mais antiga e mais comum) usando gestores de pacotes/bibliotecas/dependências (para quem sabe e precisa) usando import (o futuro, ES6 e ES7) A maneira mais comum ainda hoje é importar para o espaço global, inserindo o ...


9

Você acertou. As bibliotecas de sockets não fazem parte do ANSI. Este padrão define apenas sobre a linguagem as tudo o que é considerado a biblioteca padrão da linguagem que possui apenas operações bem básicas, para fazer o mínimo necessário e não costuma se envolver com o sistema operacional a não ser em coisas bem simples e padronizadas como acesso ao ...


8

Resumidamente, uma DLL é uma biblioteca que contém funções, as quais podem ser chamadas em tempo de execução pela aplicação, dando assim um dinamismo no seu uso. Já a LIB é uma biblioteca estática podendo seus métodos só serem invocados em tempo de compilação. Logo o uso de LIB resultaria em um arquivo maior, que poderiam ser divididos com o uso de DLLs, ...


8

Eu nunca vi o termo biblioteca, ou library, ser aplicado no contexto específico do MVC, mesmo uma tecnologia específica usando MVC. Já vi o termo ser usando em contextos genéricos, o que obviamente inclui o MVC. Uma biblioteca é uma solução de estruturas e algoritmos, um conjunto de features relacionadas. Sem dúvida ela pode conter helpers. Eventualmente uma ...


6

Não sei se existem mais motivos, mas aqui vão os que sei: Quando tem projetos de grandes dimensões o tempo de compilação começa a ser um problema, assim pode compilar as DLLs à medida que são alteradas, ou por exemplo, apos a comercialização do software, permite fazer updates de forma simples Permite carregar e libertar conforme são necessárias de forma a ...


6

O que é o React? Como definido por seus criadores, React é “uma biblioteca JavaScript declarativa, eficiente e flexível para a criação de interfaces de usuário (UI)”. Essa biblioteca surgiu em 2011, no Facebook, e passou a ser utilizada na interface do mural de notícias da rede social. No ano seguinte, passou a integrar também a área de tecnologia do ...


5

Estou um pouco enferrujado com isto mas acho que ainda é assim: #include <graphics.h> int main() { initgraph(); //faz alguma coisa aqui closegraph(); } Coloquei no GitHub para referência futura. Veja as funções disponíveis para fazer os desenhos. Eu só não me lembro se isto é padrão ou precisa de alguma biblioteca específica. lembrando ...


5

Caso você instale as bibliotecas via Nuget Package as referências serão automaticamente criadas para você; o repositório físico dos pacotes será criado fora do escopo do projeto em si. Isso permite que você compartilhe projetos, deixando ao encargo do Nuget Manager o trabalho de realizar o download dos pacotes presentes no seu projeto. No caso de ...


5

conio.h e io.h são bibliotecas normalmente encontradas nos compiladores para Windows. Não fazem parte do ISO C. Portanto, é natural que outras plataformas não o incluam. A não ser que tenha ótimos motivos, nunca dependa de extensões específicas de uma plataforma. A curses.h está disponível no Linux, mas é preciso instalá-la primeiro. Se estiver usando o ...


5

Qualquer pessoa pode criar uma biblioteca, e isso é muito útil em projetos pequenos onde se precisa de métodos específicos e tantas vezes que fica melhor organizar o código. Basicamente há duas abordagens. Criar funções que aceitem todos os dados como argumentos, ou extendendo o protótipo de elementos do DOM ou dos tipos de JavaScript. O jQuery abordou ...


5

Acho que um bom começo seria estudando o padrão Module. Veja um exemplo: var Counter = (function(){ var count = 0; return { count: function() { return count; } , increment: function() { return count += 1; } }; })() Counter.increment(); // Imprime: 1 Counter.increment(); // Imprime: 2 Counter.increment(); // ...


5

O processo de desenvolvimento de framework. Há algumas metodologias documentadas para o desenvolvimento de um framework. A maioria delas, porém, admitem o fato de que o objetivo é identificar abstrações com uma abordagem de baixo para cima: começar por analisar as soluções existentes e ser capaz de generalizar a partir delas. Quanto a adoção de um ...


5

Depende do que você quer fazer. Um framework, ao contrário de uma biblioteca, é uma espécie de ambiente que chama ou usa o seu código. Isso significa que ele é um programa (ou um conjunto de programas) que usa o seu programa como entrada. Por exemplo: Digamos que você esteja desenvolvendo um framework que te permite escrever código Python dentro de ...


5

como essa biblioteca consegue abranger toda a complexa linguagem JavaScript (funções, métodos etc.) Simples, ela não faz isto. O texto parece indicar que acha que o jQuery substitui o JavaScript, quando na verdade é só um conjunto de funções como quaisquer outras. No fundo são só funções utilitárias que fazem o grosso do trabalho dentro dela e deixa para ...


5

O que está no arquivo de cabeçalho é apenas a assinatura da função, não a sua implementação. Se a implementação está disponível, na linkedição funcionará. Neste caso o compilador reconhece ser possível chamá-la sem maiores verificações e confia que dará certo. O ideal é não fazer assim porque se chamar de forma equivocada dará erro em tempo de execução, um ...


4

Como se diz aqui, que acho uma afirmação muito correta para o esclarecimento desta dúvida: Pthreads é parte do POSIX e Windows não é um sistema POSIX. De qualquer modo existe apenas uma implementação da pthread.h para Windows chamada pthreads-win32, mas não possui todas as funções originais. Aqui pode ver a conformidade com a biblioteca original. Pode-a ...


4

Na carga a biblioteca dinâmica terá que montar uma tabela onde as estão disponíveis os símbolos. A diferença é bem pequena e não fará qualquer diferença. Pode haver ganho na carga da biblioteca que pode já estar na memória. Como pode economizar consumo de memória, pode haver ganho por ter mais chance de estar em cache. Pode haver um overhead na chamadas das ...


4

C só possuem funções, constantes, tipos definidos, macros e variáveis globais (ainda que raro, porque é desaconselhável). Uma forma de achar as informações é olhar os arquivos header (.h) onde tem as declarações. Não aconselho tentar aprender dessa forma em nenhuma linguagem. É melhor procurar uma forma mais estruturada, provavelmente um bom livro. É até ...


4

Precisa incluir o arquivo com as definição de string. Aí pode acessar seus membros. Mas tem que lembrar que o espaço de nomes dele é o std, então ou usa o nome completamente qualoificado std::string ou coloc um using namespace std para poder usar o nome simples sem "sobrenome". #ifndef PROJETO_H #define PROJETO_H #include <string> using namespace std;...


4

Obtive sucesso na criação da minha Library. O tutorial mencionado na resposta do Leonardo Dias me forneceu um maior entendimento de como funciona a construção e compilação. No entanto não consegui atingir completamente meu objetivo apenas com ele. Para fazer a exportação e criar um arquivo .JAR que pode ser implementado fiz da seguinte maneira: 1º Passo: ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam