Respostas interessantes marcadas com a tag

18

Existe uma coisa chamada Conversão Analógica/Digital. O que é Conversão Analógica/Digital? Trata-se de uma técnica que envolve a utilização de sensores, taxa de amostragem e cálculos matemáticos e um Conversor A/D, para transformar uma grandeza analógica, como temperatura, pressão, velocidade (etc) em uma grandeza digital. Internamente nos ...


16

Eu pesquisei sobre o assunto e não achei nenhuma boa resposta sobre isso. As razões que consegui levantar são as seguintes: Programas escritos para o Arduino são em geral bastante simples e há pouca memória disponível. Como resultado, pouca gente se importa muito com modularização e encapsulamento em programas Arduino. Arduino não utiliza um único método ...


12

1. Como iniciar a programação de microcontroladores ATMEL AVR em C/C++? Você vai precisar de: Um microcontrolador (o qual se pretende gravar); Um circuito gravador; Um conjunto de softwares para compilar e fazer upload do código; 1kg de trigo; 8 ovos. Existem muitos circuitos gravadores disponíveis no mercado. Além de algumas alternativas ...


10

Infelizmente não existem drivers nativos para SQL Server que você possa utilizar diretamente do Arduino. Você pode utilizar uma aplicação Web como broker para postar valores dos seus sensores. EthernetClient client; void setup() { Serial.begin(9600); while (!Serial) { ; // Aguardar a conexão da Serial } // Inicia conexão via Ethernet: if (...


8

Há dois lados para se analisar nessa situação: o lado do Arduino e o lado do Android. Arduino Do lado do Arduino, você tem diversas opções, mas as mais comuns são: Utilizar a classe Serial, para enviar e receber dados via os terminais RX e TX da placa. Em seguida, você acopla um adaptador Bluetooth a esses terminais, e ele se encarregará de fazer a ...


8

Sim, é possível. Existem três maneiras bem interessantes de gravar as informações geradas pelo Arduino. Computador (via Serial RS-232 ou Ethernet) Essa é a maneira mais básica. Você liga o Arduino em um computador (via Serial RS-232) e faz um programa (script simples) que se conecta ao Arduino e grava as informações num arquivo texto. Linguagens sugeridas ...


6

Arduino UNO/Mega e Similares Em se tratando do Arduino que usam microcontroladores da linha AVR como Arduino UNO e Arduino Mega, não há como implementar drivers clientes para o SQL Server, há um Driver SQL para o MySQL, porém não há nenhuma segurança em usar tais drivers já que estes não podem criptografar a conexão com o banco e preservar informações de ...


6

Veja o que diz o site do Arduino: "Quando os programas começam a ficar grandes e mais complexos, variáveis locais são um jeito útil de assegurar que somente a função tenha acesso a suas próprias variáveis. Isso evita erros de programação quando uma função inadvertidamente modifica variáveis usadas por outra função. Às vezes, é conveniente declarar e ...


6

Para uso das portas Analógicas como portas digitais, basta usar seus nomes como referencia da mesma forma que utilizando como analógicas, ou seja, nos comandos pinMode(), digitalRead() e digitalWrite() use da seguinte forma: void setup(){ pinMode(A1,OUTPUT); pinMode(A3,INPUT); } void loop(){ ..... leitura = digitalRead(A1); ..... digitalWrite(A3, LOW)...


6

É possível utilizar mais terminais digitais (pinos) nas placas Arduino Uno e Mega 2560, além dos indicados na placa, transformando as entradas analógicas (A0, A1, A2...) em entradas ou saídas digitais. Para o Arduino Uno, basta utilizar os seguintes números para cada um dos terminais analógicos: A0: 14 A1: 15 A2: 16 A3: 17 A4: 18 A5: 19 Por exemplo, o ...


5

O Arduino não suporta multithreading, mas já ouvi falar de bibliotecas que simulam isso. Porém, o mais simples é não usar delays (que realmente deixam o programa "surdo e mudo"), e calcular se está na hora de ligar ou desligar o buzzer com base no tempo decorrido desde que o programa começou a rodar (usando a função millis()). Algo assim (não testado): bool ...


5

O Arduino utiliza as linguagens de programação C/C++ e, na sintaxe delas, um número float é definido utilizando ponto, e não vírgula. Por exemplo: float pi_correto = 3.14 /* correto */ float pi_errado = 3,14 /* incorreto */ Você está recebendo essa mensagem de erro porque um número que começa com 0 é interpretado pelo compilador como um número na base 8 (...


5

Qual a diferença a nível de velocidade entre uma e outra? Nenhuma significativa. Elas são pré-alocadas. As locais precisam mexer em um ponteiro em registrador, mas o custo é próximo de zero. Tanto a variável local, como a variável global ocupa o mesmo espaço de memoria? Sim. Em condições normais. A onde fica guardado a variável global na ...


5

Tá vamos lá ser.write() é para "escrever" na porta serial. str() é para converter o valor para string. dataDict[] é um dicionário. "\n" é para pular uma linha. encode() é para converter para um set em bytes Em resumo, esse trecho manda na serial o resultado da conversão str() do dicionário concatenado com uma quebra linha, convertido em bytes. Obs: A ...


4

Para obter uma listagem com as médias multiplicadas por 15: SELECT AVG( consumo ) * 15 AS media_consumo FROM leitura GROUP BY FLOOR( ( id - 1 ) / 5 ) ORDER BY id Veja funcionando no SQL Fiddle. De curiosidade, a média x 15 dá no mesmo que a soma multiplicada por 3: SELECT SUM( consumo ) * 3 Veja funcionando no SQL Fiddle. Nota: este tipo de ...


4

Isso é uma rotina de leitura similar à "bolinha" de mouse "antigo", e também usado em máquinas que eram comuns em "fliperamas", normalmente de carros de corrida, onde um anteparo redondo com pequenos cortes ou orifícios era posto na frente de 2 sensores óticos para a leitura do volante. Poderia muito bem ser usado numa esteira, com quadrados brancos e pretos ...


4

Seguem algumas dicas e sugestões: 1) Não é só porque a informação não pode ser lida de forma ortodoxa (através de sistemas operacionais comuns) que ela está segura. Isso é chamado de falsa sensação de segurança. A melhor maneira de proteger os seus dados é através da criptografia (e de todo poder da matemática por trás dela), uma vez criptografados, não ...


4

O erro já diz o problema. Para definir MinhaClasse precisa definir MinhaClasse, e entre em loop infinito, não tem solução. Na verdade tem uma solução, é transformar o campo em um ponteiro, aí ele sabe exatamente de como se compõe o campo já que ele é um ponteiro, algo que o compilador já conhece. Ou seja, uma indireção resolve o problema. Pode não ser o que ...


3

Primeiro ponto: Não precisa de outro Arduino pra carregar outro código na placa, basta plugar ele na máquina e, no software que pode ser baixado gratuitamente na web, clicar no botãozinho de -> para enviar o código para a placa Segundo ponto: Sim vale a pena para quem está começando a aprender uma linguagem de baixo nível(aquela linguagem que conversa ...


3

Para complementar um pouco a resposta do @bfavaretto sobre Mult-task no Arduino O Arduino pode vir a suportar multtasking (Multitarefa) com base em time-sharing, mesmo nos controladores AVR que são 8 bits, porém isso somente é aplicável em códigos muito simples e se a atividade demandar cálculos e controles e tempo real, mas sem dúvida o ideal é usar um ...


3

O EEPROM tem apenas duas funções para ler ou escrever bytes. Então você obrigatóriamente tem que fazer a leitura/escrita dos seus dados byte a byte. Pode usar algo assim: void EEPROM_writeMany(unsigned addressOffset, char* array, unsigned size) { for (int i = 0; i < size; ++i) EEPROM.write(addressOffset+i, array[i]); } int data[] = {54, 87, ...


3

Estou começando com Arduino por isso não posso falar com propriedade. Porém fiz algumas pesquisas na Google e descobri que o Arduino faz um Auto Reset On Serial Connection depois que estabelece uma conexão serial. Existe algumas formas de evitar isso, sendo as mais comuns o uso de Jumper, ou efetuar alterações na placa. O que me intriga é como a IDE ...


3

Tente reproduzir o exemplo descrito aqui: https://www.arduino.cc/en/Tutorial/WebClient Entretanto, substitua o seguinte trecho de código para a sua realidade: if (client.connect(server, 80)) { Serial.println("connected"); //Faz uma requisição HTTP client.println("GET /automacao/Sensor?valor=10 HTTP/1.1"); client.println("Host: 192.168.0.1"...


3

1) Projetos amadores geralmente utilizam a própria rede, pelo o que eu entendi configuram o IP público e o no-ip do modem para acessar remotamente. Porém não há uma implicação em questão da segurança da minha rede? Já que poderei acessá-la remotamente O fato de utilizar um serviço de IP Dinâmico como no-ip não implica em vulnerabilidade. Serviços como ...


3

A primeira coisa que eu vejo de errado é na sua função Desligado: void Desligado (int x,int y,int z,char st1,char st2,char st3){ if ( st1 == 'l' ) { digitalWrite (x,LOW); } else { digitalWrite (x,HIGH); } if ( st2 == 'l' ) { digitalWrite (y,HIGH); } else { digitalWrite (y,HIGH); } if ( st3 == ...


3

Você poderia ler as informações da porta serial com o ReadLine(), mas você precisaria criar um listener para que toda vez que tivessem dados disponíveis na porta, eles fossem lidos. A sugestão é que você use o evento DataReceived, que será chamado quando houverem dados a serem lidos*. Para teste, você pode fazer upload do programa SerialEvent do Arduino: ...


2

O que acontece é que as variáveis definidas dentro de um escopo são alocadas no frame da função (no stack). As variávels definidas no global vão direto para o segmento de dados. A diferença é que enquanto acessar um dado do segmento de dados se usa endereçamento direto, para acessar dados alocados no frame são acessados por endereçamento indireto indexado. ...


2

Penso que 'ÿ' tenha o valor -1. De acordo com a documentação de SoftwareSerial: read Returns the character read, or -1 if none is available se a função devolver -1 quer dizer que não há caracteres disponiveis. msg = cell.read(); if (msg == -1) /* nao ha caracteres disponiveis */;


2

Esse problema ocorre porque variáveis qualificadas como static em classes/estruturas devem ser definidas fora da classe alem de ser declarada dentro dela. Sendo assim, em algum lugar do seu arquivo cpp que esta associado a esta classe você deve declarar o array. // Arquivo .h class Scenario { public: int byteInicial; // byte da eeprom static int* ...


2

Talvez o que você precise é "limpar" os dados do InputStream antes de chamar o read(). O método available() verifica se tem "sujeira", e retorna o número de bytes que podem ser "descartados". int available = inputStream.available(); if (available > 0) { // Cria um buffer para ler a "sujeira" byte[] uselessBuffer = new byte[available]; // ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam