Respostas interessantes marcadas com a tag

25

Server-side diz respeito ao lado do servidor (seu servidor de aplicação, ex: IIS). Client-side diz respeito ao lado do cliente (ex: um web-browser). A interação funciona da seguinte forma: Servidor ← → Cliente ← → Usuário O servidor fornece para o cliente uma saída: ele serve a página desejada ou arquivos (download). O servidor interpreta a entrada do ...


13

A diferença simplesmente é onde o código será executado: no servidor onde o ASP.NET está instalado (server-side) ou no navegador a partir do qual o sistema será acessado (client-side). Embora seja possível se desenvolver uma aplicação/site exclusivamente utilizando HTML e CSS no lado cliente (gerando as páginas dinamicamente no servidor, e usando somente ...


13

Diferenças Existe uma diferença entre as linguagens, cada uma tem seu ponto de alcance e assim podem fazer coisas específicas. Por exemplo em JavaScript por se tratar de uma linguagem Client-Side você não poderia fazer uma conexão com o banco de dados com segurança, pois o seu JavaScript é público, e todos poderiam observar suas credenciais do servidor do ...


8

Se vai programar para web não tem como fugir de JS. Pode fugir de todas linguagens de programação, menos de JS Isto não é verdade mais, já dá para usar diversas outras linguagens no browser. O máximo que daria para evitar é só usar HTML5. Limitaria algumas ações e duvido que trataria benefícios. Aprenda o que tem que aprender para fazer o melhor possível ...


7

Quaisquer aplicações de qualquer tipo que sirva para acessar algo que é servido externamente à aplicação "principal" pode ser considerado um cliente, não precisa estar nem em outra máquina. O Outlook é uma aplicação desktop, certo? Ele é um cliente de e-mail. O navegador é um cliente HTTP que renderiza páginas e ele é desktop. Acho que uma ...


6

Através dos headers é possível configurar o CSP (Content Security Policy) e com ele é possível bloquear requisições externas e até outros tipos "problemas" de segurança. Exemplo de header CSP: Este header irá permitir requisições do mesmo domínio, irá impedir scripts inline e o uso do eval(): Content-Security-Policy: default-src 'self' Este header ...


6

Atualização: os browsers modernos implementam o Content Security Policy (CSP), que permitem que os sites orientem o browser no sentido de permitir/bloquear diversas coisas. Mais detalhes na resposta do Guilherme Nascimento. Com JavaScript puro, não. É possível restringir alguma coisa dos scripts colocando-os em um iframe com o atributo sandbox, mas esse ...


5

Há duas formas de fazer isto: Hash Links Se dá pelo uso do hash links, como www.meusite.com#conteudo. Sendo que conteudo muda a cada transição que você quer que seja retornável. Por ex: você teria site.com#listagem e quando clicá-lo irá deve mudar para site.com#detalhamentoItem=15. Essa técnica se aproveita do fato que o tudo após o '#' é considerado ...


4

Você pode utilizar a seguinte função: var dados = ["mizuk","programação","animes"]; function baixarArquivo(name) { var link = document.createElement('a'); link.href = 'data:application/octet-stream;charset=utf-8,' + JSON.stringify(dados); link.download = name; link.click(); } <a onclick="baixarArquivo('arquivo.json')">...


4

Isto é sobre quem monta o conteúdo a ser apresentado. Se for no servidor obviamente ele tem todo o trabalho de montar um texto que será a página a ser entregue para o cliente essencialmente pronta para uso. Se for no cliente, um conjunto de página mais códigos diversos será recebido pelo cliente e a partir daí ele só comunicará com o servidor para pedir ...


4

O algoritmo descrito é bem diferente do page-rank. Me parece questão de implementar um acumular com peso no tempo para cada página por usuário. Cada vez que o usuário visualiza uma página, você vai no registro pertinente àquela página e adiciona um peso, que comparado aos pesos de outras páginas diz em que ordem ela está. O valor a ser adicionado se torna ...


3

Renderização Server Side O servidor processa os dados solicitados, gera a página e transmite ao cliente a página pronta em HTML. O navegador lê o HTML e "desenha" a página para a pessoa. Prós: O servidor é uma máquina com grande capacidade de processamento e o processamento maior fica no servidor Cliente não precisa preocupar muito com processamento dos ...


3

RemoteStorage é uma API Javascript que utiliza OAuth e Node.JS e em teoria atende ao seu requisito de solução client-only: http://remotestorage.io/integrate/


3

A maneira de fazer validação em cliente no MVC4 é através do jQuery.Validation: http://www.nuget.org/packages/jQuery.Validation Os atributos colocados no seu Model são refletidos na View, e o jQuery.Validation é capaz de realizar esta validação na própria View. Outras regras de validação podem ser colocadas na View através dos htmlAttributes do Helper @...


3

Acho que uma resposta muito completa foi formulada por um dos fundadores da rede Stack Exchange, Jeff Atwood, no artigo JavaScript, a língua franca da Web. Passagens selecionadas: Radicalmente de código aberto, a natureza viral do menu "Exibir código-fonte" é certamente uma parte essencial do sucesso da Web. Mas isso é somente uma parte da história. A ...


3

Entendo que a pergunta não diz respeito especificamente à linguagem Javascript e sim ao conceito de executar um linguagem no cliente, especificamente num navegador web. Nesse sentido, parece que das respostas foi direto ao ponto. Existem vários motivos pelos quais alguém quer executar uma linguagem no client. Alguns são legítimos, outros não. Usabilidade, ...


3

Sua pergunta já responde. Existem vários motivos, vou citar apenas o principal. Pelo fato rodar no cliente, o javascript não necessita de acesso constante ao servidor. Se você fizer tudo no servidor ele deverá desponder requisições de granularidade baixa (tipo requisições pra saber se o usuário informou algum campo). Agora imagina um sistema com 2 ...


2

Client-side é aquele que roda do lado do cliente(Ex. Javascript), ou seja, no browser do usuário, Server-side roda no servidor (Ex. PHP, JAVA, .NET...)


2

Client-side = executa do lado do cliente, ex.: Javascript. Server-side = executa no servidor, ex.: PHP, C#, etc.


2

Você pode encriptar os dados a serem enviados enviados e decriptar os dados a serem recebidos via sockets, com o algoritmo AES. import java.util.Formatter; import javax.crypto.Cipher; import javax.crypto.spec.SecretKeySpec; public class AES { private byte[] chave; private byte[] mensagem; public AES(byte[] chave, byte[] mensagem) { this.chave = chave;...


2

Você pode esconder e mostrar os blocos conforme o lugar que está selecionando ou fazer um sistema de rotas, no caso do Vue, utilizar o Vue-router Um exemplo simples de como esconder/mostrar blocos pode ser da seguinte maneira: <div id="app"> <a href="#" v-on:click="deixarAtivo('div1')">Carros</a> <a href="#" v-on:click="deixarAtivo(...


2

Usando a segunda forma você vai carregar o WordPress duas vezes: uma no load normal da página e a segunda ao incluir o wp-blog-header.php ou wp-load.php. Tem um post no Crappy Code dedicado a isso: wp-load.php – I Will Find You! O correto é a 1ª forma, chamando o AJAX através das actions wp_ajax_* (sendo o nopriv para usuários que não estão logados) e ...


2

Depende muito do que se propõem a aplicação, mas considerando um sistema criado para web onde a indexação por sites de buscas é basicamente irrelevante (já que é um sistema e não um site), eu uso a seguinte estratégia: O back-end fica responsável apenas por responder os requests com dados puros (em json, por exemplo) e realizar o que o back-end sempre faz (...


1

Se entendi bem, você quer criar um método que faça a chamada assíncrona ao método testUdpSocketServer. Isto pode ser realizado de duas formas: Adicionar um retorno do tipo "System.Threading.Tasks.Task" na sua função para que possa ser 'awaitable' : private async Task testUdpSocketServer(string message) { // código... } Assim você poderia chamar o teste ...


1

Bem, eu acabei encontrando a resposta. O correto seria criar diversos RESTRequest/ETC dependendo da sua necessidade. Se o componente que você está mexendo está utilizando LiveBindings, crie um RESTRequest/ETC em específico para ele, por que depois fica muito mais fácil para recarregar uma lista por exemplo. E para operações como "Adicionar/Deletar/ETC" ...


1

No Android o thread principal (também chamado thread de UI, ou user interface) é responsável pela atualização da interface gráfica e portanto deve ser mantido responsivo, isto é, não pode ser tomado por operações longas como por exemplo operações de transmissão de dados pela rede. Essas operações devem ser realizadas em um thread secundário. Por isso o ...


1

Não é possível usando qualquer linguagem e praticamente qualquer tecnologia. Digo praticamente porque sempre é possível alguém instalar algo que passe por cima de uma restrição fundamental em um navegador. Mas não conte com isto, a chance disto ocorrer é quase zero. E se você convencer alguém instalar algo que deixa ele vulnerável ainda terá que ...


1

Existe um plugin chamado jQuery Form, com ele você pode fazer requests, porem para "usar apenas javascript" você precisa de alguma API de repositório onde passe apenas parâmetros. Outra solução seria converter em base64 (utilizados apenas em navegadores específicos) e guardar em local storage, mas um arquivo em base64 é grande e o local storage tem um limite ...


1

Sim seria possível fazer o upload apenas para Localstorage ou Websql, mas você precisaria tratar a imagem (possivelmente utilizando base64), dessa forma você pode fazer o storage local do base64. Lembrando que o enconde do Base64 é lido apenas por CSS3. O angular tem algumas libs prontas para fazer esse tratamento.


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam