17

Encontrei o código seguinte, e fiquei com a impressão de que não fazia muito sentido.

function (data) {
    if (data != null && data !== undefined) {
        // codigo
    }
}

Daqui, podem acontecer três cenários diferentes:

  • A função é chamada sem argumentos, tornando data uma variável não declarada (e resultando em erro ao avaliar data != null).

  • A função foi chamada especificamente com argumento null, ou undefined, e nesse caso a condição data != null já protege o código interno, tornando a segunda condição irrelevante.

  • A função foi chamada com um argumento não-nulo, e nesse passa o teste, ambas as condições são verdadeiras.

Existe algum cenário em que faça sentido manter a segunda condição?

  • 1
    não esquece de verificar data != "" – tissei 26/02/14 às 13:37
  • @alleen94 Se bem me lembro, neste caso o argumento era suposto ser um object, mas no caso de strings sem dúvida é necessário verificar a string vazia. – afsantos 26/02/14 às 14:56

4 Respostas 4

19

Você tem razão, não faz muito sentido. Sobre cada um dos pontos que levantou:

A função é chamada sem argumentos, tornando data uma variável não declarada (e resultando em erro ao avaliar data != null).

Na verdade não existe esse cenário. data está sempre declarada dentro da função, pois é um argumento nomeado. Se você chamar a função sem passar nada, ela fica com o valor undefined.

A função foi chamada especificamente com argumento null, ou undefined, e nesse caso a condição data != null já protege o código interno, tornando a segunda condição irrelevante.

Verdade, data != null retorna false se data for null ou undefined (e somente nesses casos).

A função foi chamada com um argumento não-nulo, e nesse passa o teste, ambas as condições são verdadeiras.

Certo.

Existe algum cenário em que faça sentido manter a segunda condição?

Não :) A menos que você use operador de igualdade estrita ===, que considera tipos. Com o ==, qualquer comparação com null ou undefined é verdadeira se o outro lado também for null ou undefined. Ou seja, são intercambiáveis com ==. Portanto:

if (data !== null && data !== undefined)

é o mesmo que:

if (data != null)

e o mesmo que:

if (data != undefined)
5

Uma variável não declarada é diferente de se ter o valor undefined.

Exemplo de uma variável não declarada:

var a;
alert(b); // ReferenceError: b is not defined

Exemplo de uma variável com o valor undefined:

var a;
alert(a); // Escreve “undefined”

Quando uma função é definida esperando um argumento, a variável que representa esse argumento está sempre declarada, mesmo que o seu valor seja undefined, e portanto a situação de erro nunca acontece. Contudo, está certo que data !== undefined após o teste data != null é irrelevante e redundante.

O exemplo seguinte já faria sentido:

function (data) {
    // Ambos os testes com !==
    if (data !== null && data !== undefined) {
        // codigo
    }
}

Repare que, pela especificação da linguagem, estes dois testes são abreviados com um apenas:

function (data) {
    if (data != null) {
        // codigo
    }
}
  • No Javascript não tem variável não declarada e este erro. Ele vai colocar a variável não declarada como global dentro de window automáticamente, portanto esse erro nunca vai acontecer. – Alexandre Marcondes 25/02/14 às 22:02
  • 1
    @AlexandreMarcondes Isso só é verdade em atribuições de valor a variáveis não declaradas. Tente usar uma variável não declarada em outra expressão qualquer, como a + 1, e você verá um ReferenceError. – bfavaretto 25/02/14 às 22:13
  • Hmmm, nunca encontrei esse erro em Javascript, mas vou ver ... pra mim sempre esteve como undefined algo não declarado. – Alexandre Marcondes 25/02/14 às 22:15
  • @AlexandreMarcondes É muito simples testar, rode isto com o console aberto e você verá o erro. – bfavaretto 25/02/14 às 22:18
3

A reposta rápida é: faz diferença se a pessoa não preencher e apenas chamar function () sem passar parâmetro. Neste caso vai ser undefined. O null deve explicitamente ser atribuído. A versão curta do teste seria

if (data != null) {
    // Código
}

Resposta completa

Segundo minha resposta na pergunta (Qual a diferença entre null e undefined)[http://pt.stackoverflow.com/a/2408/280] você pode ver que o null é um valor atribuído e quer dizer um objeto não instanciado, já o undefined é algo com valor não atribuído e representa um valor especial no Javascript, a ausência de algo na variável. Ele indica que uma variável nunca foi definida ou que alguém atribuiu undefined para limpar uma variável. Se você usar o typeof verá que o objeto indica ser do tipo "undefined".

var a;
console.log(typeof a);                      //resultado> "undefined"

console.log(typeof a === "object");         //resultado> false 
console.log(typeof a === "undefined");      //resultado> true
console.log(typeof a == "undefined");       //resultado> true

Já o nullé um valor nulo atribuído a um objeto. Ele é usado para passar valores padrão de objetos não inicializados. Se você usar o typeof verá que o objeto indica ser do tipo "object".

var a = null;
console.log(typeof a);                      //resultado> "object"

console.log(typeof a === "undefined");      //resultado> false
console.log(typeof a === null);             //resultado> true
console.log(typeof a == null);              //resultado> true

Na maioria das vezes você pode testar usando == tanto por undefined quanto por null que não vai fazer diferença, mas se você quer se assegurar se é algo que não foi atribuído ou se é um objeto vazio deve checar usando === pelo tipo específico. A comparação simples (==) compara apenas o valor e, se preciso, converte o valor para o tipo (caso de strings e números) enquanto a comparação estrita (===) compara o tipo e o valor, sem convertê-lo, se o tipo não for o mesmo ele retorna false. Veja como eles se comportam entre eles:

console.log(false == undefined);       //resultado> false
console.log(false == null);            //resultado> false
console.log(null == undefined);        //resultado> true
console.log(null === null);            //resultado> true
console.log(undefined === undefined);  //resultado> true
console.log(undefined === null);       //resultado> false
console.log(undefined == null);        //resultado> true

function test(val) {
    return val == null;
}
test(null);                            //resultado > true
test(undefined);                       //resultado > true

Você pode tirar vantagem dessa diferença quanto está verificando por parâmetros em funções e alguns deles são opcionais. Os parâmetros que não tiverem sido passados estarão com valor undefined e você pode aceitar um objeto vazio com null. Veja um exemplo:

function umaFuncao(primeiro, segundo, opcional) {
     if (typeof opcional === "undefined") {
        opcional = "três";
     }
    // faz algo
}
  • @bfavaretto realmente não me atentei a tal fato. – Alexandre Marcondes 25/02/14 às 22:19
1

Parece que não foi mencionado nas respostas anteriores que valores false, undefined, null, NaN , 0 , "", '' são valores falsy em javascript, todos eles são a mesma coisa que false, explicado pela MDN.

E todos os outros valores são truthy em javascript, ou seja são a mesma coisa que true, também explicado pela MDN

Ex:

function (data) {
    if (data) { //Se data tiver um valor
        // codigo
    }
}

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.