4

Estou tentando importar dados do Excel (já em formato .csv) para o R; os valores contidos nos arquivos a serem importados estão nos seguintes formatos, por exemplo, 8509,80...

Para fazer a importação, estou utilizado o comando:

variavel=read.table("dados.csv", header=T, dec=",") 

Entretanto, quando da visualização dos dados importados, vejo que o R importou apenas a parte que não é inteira do número (no caso, o R traria para o valor de 8509,80 apenas o 80).

Desta forma, peço a gentileza de me ajudarem a fazer a importação da forma correta, ou seja, o valor de 8509,80 (em padrão inglês seria 8509.80).

2

Você precisa definir o separador dos campos. No seu caso, como deve ser o csv europeu/brasileiro, o separador provavelmente é ";".

variavel=read.table("dados.csv", header=T, dec=",", sep=";")

Um atalho para isso é usar a função read.csv2:

variavel=read.csv2("dados.csv", header=T)
  • amigo, deu certo, obrigado. – LongBoarder 5/07/15 às 12:09
2

As funções do base para leitura de tabelas são suficientes para atender a maioria dos casos. No entanto, elas são relativamente lentas, e existem alternativas mais rápidas caso sejam muitos arquivos e/ou eles sejam muito grandes, que também possuem outras pequenas vantagens.

O pacote readr foi criado exatamente com o objetivo de melhorar as funções padrão, nos seguintes pontos:

  • Os argumentos possuem nomes mais consistentes um com os outros (e.g. col_names e col_types e não header and colClasses).

  • Sâo aproximadamente 10x mais rápidas.

  • Mostram uma progress bar caso a leitura demore mais que alguns segundos.

  • Strings não são transformadas em fatores por padrão.

  • Os nomes das colunas não são transformados em expressões "válidas" do R, ou seja, as colunas mantém o nome idêntico ao original (mesmo que comecem com número, possuam espaço, etc).

Neste pacote as funções possuem nome similar às do base, substituindo o ponto por um underscore (_). Por exemplo:

#base:
variavel <- read.table("dados.csv", header=T, dec=",", sep=";")
variavel <- read.csv2("dados.csv", header=T)

#readr
library(readr)
variavel <- read_csv2("dados.csv")

De forma análoga, existem as funções read_csv(), read_table(), read_delim(), read_tsv(), read_lines() e read_fwf().

Outra alternativa, também, é a função fread() do pacote data.table. A fread() é ainda mais rápida (cerca de 2x) que as funções do pacote readr, e tenta identificar automaticamente o separador, se há nome de colunas, etc. A função fread() possui argumentos com nomes iguais aos das funções do base, como sep, header e stringsAsFactors. Neste exemplo, ficaria assim:

library(data.table)
variavel <- fread("dados.csv", sep = ";", header = TRUE)

Dependendo do formato dos dados, sep e header podem ser omitidos, mas na dúvida, é mais seguro colocá-los de forma explícita.

Para finalizar, é importante frisar que só faz sentido usar essas funções se a performance da leitura for um problema, ou se o pacote já for carregado de qualquer forma (no caso do data.table). Caso contrário, não há necessidade de carregar um pacote para fazer algo que pode ser feito de forma idêntica no base.

  • Muito obrigado pelo esclarecimento. – LongBoarder 5/07/15 às 16:50
  • +1 só vale a pena colocar a ressalva que o fread geralmente dá problema de encoding se os dados tiverem muitos caracteres acentuados etc. – Carlos Cinelli 6/07/15 às 20:45

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.