3

Se eu usar char *char_commandout = (char *) malloc(1);, o byte alocado irá armazenar o "\0" na posição 0 do vetor ou irá alocar um espaço para o valor que eu quero armazenar (na posição 0) e um para o "\0" (na posição 1)?

  • Uma das respostas resolveu sua dúvida? Acha que pode aceitá-la? Veja o tour se não souber como faz. Isso ajudaria muito indicar que a solução foi útil para você. Também pode votar em qualquer pergunta ou resposta que achar útil no site todo – Maniero 5/08/18 às 3:15
5

Nenhum dos dois. O malloc aloca a área de memória, mas não a limpa. Assim sendo, qualquer conteúdo que estivesse abandonado lá vai continuar lá (esse conteúdo é carinhosamente denomidado de lixo). Por isso, o conteúdo do ponteiro após o malloc pode ser qualquer coisa, pois contém lixo.

É recomendado escrever algo na memória alocada para evitar que você acesse conteúdo que seja lixo, o que provavelmente faria o programa se comportar de forma incorreta.

Se você chamar malloc(1), será devolvido um ponteiro que aponta para 1 byte de memória alocada. Pode até ser que o malloc internamente reserve uma área maior por questão de desempenho, mas a única garantia que existe é que 1 byte de memória reservada lhe será devolvido (reservada, mas não limpa), e que se você acessar além do limite (o segundo byte, na posição 1), estará acessando uma área de memória não reservada (o que pode causar uma falha de segmentação, acessar o conteúdo de alguma outra variável ou então ler ou escrever lixo em algum lugar).

  • Carinhosamente chamado de lixo ROFL – Marcelo Uchimura 19/06/18 às 11:14
  • 3
    @MarceloUchimura ele falou isso porque os floquinhos de neve sempre acabam pensando "aí, ele falou lixo, isso é feio, ele é mal, ele não é educado, não tem empatia", aí tem que dar volta para dar o nome do que é aquilo sem ofender alguém e rolar mimimi, o que é o orifício excretor ofídico. Bom, pode não sera intenção oficial dele, mas é isso... :) – Maniero 19/06/18 às 13:15
  • A polícia do politicamente correto até na área de TI, velho... e eu pensando, quando criança, que ia viver de pegar no joystick do Atari kkk – Marcelo Uchimura 19/06/18 às 14:49
  • Pra quem não sabe, Atari é um negão parrudo, maior que um PS4. – Marcelo Uchimura 19/06/18 às 14:55
  • Agora tem um pequeno, e caro pro burro. Dá pra fazer do tamanho de um pendrive (não aqueles q é só uma tampinha) que custa uns 100 reais e q tem todos os jogos dele – Maniero 19/06/18 às 22:40
6

O Victor já deu a resposta base da dúvida, vou acrescentar que é comum as pessoas usarem um memset() para zerar a memória quando necessário. Quando é necessário o calloc() pode ser usado para alocar e já zerar. Em tese é possível ter otimizações, talvez até em conjunto com o sistema operacional para ganhar performance, mas não conte com isto, inclusive porque sequer o c/re/malloc() precisar ser o original. A diferença pro malloc() é a limpeza dos dados.

No caso de interpretar o dado como uma string, e em C você pode interpretar como quiser, um 1 byte zerado será uma string com 0 caracteres, o \0 será o terminador da string.

Em C não é adequado fazer cast do resultado do malloc(), isto pode esconder erros, então o que deseja é só:

char *char_commandout = calloc(1);

Porém de forma geral isto não faz sentido porque você já sabe o conteúdo e ele não pode mudar de forma útil e correta, mesmo que precise de uma string de tamanho 0 o ideal é fazer isto estaticamente, até mesmo usado o Flyweight.

Outra curiosidade que não faz o menor sentido é usar

malloc(sizeof(char))

É garantido por especificação que char tem sempre o tamanho 1, no fundo ele é 1 byte. Há quem argumente que um dia pode mudar, o que é risível, principalmente porque sempre é dito por um programador "experiente".

Geralmente alocações no heap acima de 8 bytes, até mesmo 16 fazem bem pouco sentido e nos casos que faz seria o caso de repensar se pode fazer de outra forma. Em coisas pequenas acima o consumo de memória pra controlar a alocação é maior que o dado em si. Claro que não é a única forma de decidir, tem coisas que precisam de uma alocação por tempo indeterminado, mas também quase sempre dá para evitar isto. Na prática a alocação será muito maior que 1 byte, mas você só poderá acessar 1 byte, e ai de você se tentar acessar mais que um antes ou depois dele, até funcionará, mas para seu bem tomara que o código quebre em seguida.

  • No meu código, eu pretendo criar uma string com 2 bytes (um para um char e outro para o "\0") para depois poder usar o realloc para aumentar o tamanho da string de acordo com o que o usuário inserir (alocação dinâmica). A minha dúvida é se ao usar malloc(1), eu posso já usar esse espaço para armazenar o primeiro char da minha string. Desculpe se você já respondeu isso, mas não peguei essa parte. – Cooper 19/06/18 às 22:53
  • Não sei se entendi, mas reservar 1 byte e querer colocar 2 acho que não vai dar certo. Mas como eu disse essa estratégia (mesmo 2 bytes) sequer deve ser adequada. Na verdade tem cara que sequer precisa fazer essa alocação que está querendo. – Maniero 19/06/18 às 23:29
  • Vou colocar a função que criei na minha pergunta – Cooper 20/06/18 às 0:16
  • @Cooper só tem um pequeno detalhe, a gente já respondeu o que você perguntou, agora precisa fazer outra pergunta. E aparentemente você não leu minha resposta, e por isso, e não só por isso, já adianto que seu código não faz o menor sentido. – Maniero 20/06/18 às 0:53

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.