1

Tenho que entender este código que meu orientador me passou.

O opt depois de switch é obrigatório?

O comando break também? Por que ele não aparece depois das opções case '?' e default?

if( argc <= 1) {
    fprintf(stderr, "\nparametros:\n-e arquivo de entrada\n-s arquivo de saida\n");
    exit(EXIT_FAILURE);
}
while ((opt = getopt(argc, argv, "e:s:")) != -1) {
    switch (opt) {

        case 's':
            saida=optarg;
            printf("Nome do arquivo de saida: %s\n", saida);
            errS++;
            break;

        case 'e':
            entrada=optarg;
            printf("Nome do arquivo de entrada: %s\n", entrada);
            errE++;
            break;


        case '?':
            fprintf(stderr, "\nFALTA PARAMETROS\n");

        default:
            fprintf(stderr, "%s \nparametros:\n-e arquivo de entrada\n-s arquivo de saida\n", argv[0]);
            exit(EXIT_FAILURE);
    }
3

O "opt" depois de "switch" é obrigatório?

Bom, não. Ali é preciso uma expressão que dê algum valor que possa ser comparado com as opções de case. Geralmente é uma variável, mas não precisa ser, muito menos precisa ser opt. Pode, mas não faz sentido ter um literal, se você já sabe o valor não tem porque comparar.

O switch sempre pega este valor e descobre qual dos cases que se encaixa nele, só um pode ser executado de forma direta. Mas outros podem executar em sequência de forma indireta, então o case que ele entrar porque o seu literal (e no case sempre deve ter um literal) é igual ao valor do switch será o primeiro, depois ele continua entrando em todos os cases seguintes.

Isto ajuda porque muitas vezes você quer fazer uma espécie de or, ou seja, mais de um valor é aceito, qualquer um que ele entrar deve executar todos os blocos de execução a seguir. É comum que nestes casos só o último case que deve fazer alguma coisa ter um código, os demais ficam vazios, assim:

switch (variavel) {
case 1:
case 2:
case 3:
    printf("entrou");
}

O comando "break" também?

Mas fazer isto é pouco útil, você vai querer que ele pare de executar em algum momento, não pode mandar fazer todos porque aí o switch deixar de ser útil, você não está selecionando nada.

É aí que entra o break, você o usa para dizer que este bloco deve ser encerrado. Note que no momento que encontrar o break o switch todo é encerrado. Assim fica melhor:

switch (variavel) {
case 1:
case 3:
    printf("impar");
    break;
case 2:
case 4:
    printf("entrou");
}

Por que ele não aparece depois das opções "case '?' " e "default"?

Viu que eu não usei o break no final. Por que eu usaria? No final ele encerra mesmo.Não tem necessidade. Mas muitas pessoas colocam assim mesmo para organizar, deixar mais legível, identificar a intenção e facilitar uma mudança que adicione algum bloco sem correr o risco de esquecer de colocar o break que agora se torna necessário.

O mesmo vale para o default, não tem porque mandar encerrar algo que está encerrando.

Pode se perguntar porque o último case não precisou do break sendo que existe o default em seguida. O default é especial, só entra nela se não entrar nos blocos anteriores, ele é é um OU de execução, não tem como entrar nela se entrou em algum case. É outro nome, o compilador sabe que encerrou antes.

No default ninguém coloca break não faz sentido por nenhum ponto de vista são.

  • Muito obrigado! Só duas dúvidas: 1) "Pode, mas não faz sentido ter um literal" o que quer dizer literal neste contexto? 2) "O switch sempre ga este valor e descobre qual os case que se encaixa nele, só um pode ser executado de forma direta" Não entendi sua frase, o que é este 'ga'? – Klel 20/03/18 às 19:05
  • Literal é o valor mesmo, um número, um texto, não é uma variável, constante, expressão. Arrumei o texto – Maniero 21/03/18 às 11:23
1

switch(opt) informa que a variável opt será usada para comparar com os valores depois de cada case.

Cada break sinaliza que o controle deve sair fora do bloco switch. Então, apesar de não ser obrigatório, seria bom se tivesse um break no final dos comandos do case '?'.

default é usado para as expressões não cobertas pelos cases declarados anteriormente. Como é o último caso, não precisa do break para sair do bloco switch.

1

O "opt" depois de "switch" é obrigatório?

Sim, é obrigatório, primeiro porque sem ele o comando não funciona, segundo porque a variável "opt" contem o valor que eventualmente vai corresponder ao valor contido em algum dos cases. Se os valores corresponderem, o bloco de código é executado.

O comando "break" também? Por que ele não aparece depois das opções "case" e "default"?

O comando break não é obrigatório, mas ele é utilizado para quebrar o fluxo de execução. O default é ativado somente se não houver nenhuma correspondência, e o case "?" é ativado somente quando a entrada dos dados é inválida. Em ambos os casos não ha necessidade de interromper a execução do programa.

  • Obrigado. Então basicamente tem as opções "e" e "s", se eu digitar "d" a opção "?" será adotada? – Klel 13/03/18 às 19:21
  • O comando recebe o valor (no caso, string) que eu digitar? Ou seja, terei que digitar "e" ou "s"? – Klel 13/03/18 às 19:23
  • No caso, ainda tem algumas linhas de comando acima que eu omiti: if( argc <= 1) { fprintf(stderr, "\nparametros:\n-e arquivo de entrada\n-s arquivo de saida\n"); exit(EXIT_FAILURE); } while ((opt = getopt(argc, argv, "e:s:")) != -1) { – Klel 13/03/18 às 19:29
  • Acho que a opção "?" é executada quando a entrada é vazia. Tem que dar uma olhada na função getopt para ver o que ela retorna. – renanzin 13/03/18 às 19:29
  • Sim, o comando só executado quando há correspondência entre o valor do switch e do case – renanzin 13/03/18 às 19:31
0

O Operador opt é uma variável, sim é necessário é como se fosse um if() ao colocar ele lá ele vai pegar o valor dessa essa variável e comparar com os CASE caso não encontre nada vai cair no DEFAULT

o Break é e não é necessário, ele serve pra barra o processo exemplo:

switch(num)
{

case 1:
x = i;
printf("Olha eu aqui");

case 2:
x = 20;
printf("Olha eu aqui");
break;
}

Neste caso o primeiro case 1 vai continuar pro case 2 e vai soltar dois printf pois não existe o Break no case 1

  • Seu exemplo ajudou! Obrigado! – Klel 13/03/18 às 19:33

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.