8

Estou estudando C em ambiente linux.

Estou com um problema em como criar um arquivo de configuração para meu programa saber o que deve fazer ao ser executado.

Questão

  • Alguém sabe como armazenar e ler variáveis em arquivos .conf?
  • Existe uma técnica pra isso?
  • Qual o padrão?
2
+150

Use a Lib confuse, esta tudo pronto... eh simplesmente magico... eis o link original da materia: https://www.vivaolinux.com.br/artigo/Criando-programas-com-suporte-a-arquivos-de-configuracao-com-a-libConfuse?pagina=5

pode baixar direto do link deles:

http://savannah.nongnu.org/download/confuse/

instalar eu facil:

$ ./configure
$ make
$ su -c 'make install'

se nao estiver no dir /usr/include, copie:

$ cd src/
$ su -c 'cp confuse.h /usr/include'

Olha um exemplo de uso que esta no proprio artigo:

int main(void)
{
   int porta;
   char *servidor = NULL;
   cfg_t *cfg;
   cfg_opt_t opts[] = {
             CFG_SIMPLE_STR ("server", &servidor),
             CFG_SIMPLE_INT ("port", &porta),
             CFG_END()
             };
   cfg = cfg_init (opts, 0);
   cfg_parse (cfg, "exemplo.conf");

   printf ("\nServidor: %s \n", servidor);
   printf ("Porta: %d \n", porta);
   cfg_free(cfg);       /* Libera a memória alocada por cfg_init */
   return 0;
} 

exemplo do arquivo de .config = exemplo.conf

 # Arquivo de configuração para teste.

server = "www.kernel.org"
port = 80

# Fim do arquivo de configuração. 
  • 1
    Realmente, preciso de agilidade.... isso esta todo pronto.... – Roberval Sena 山本 14/10/16 às 12:40
  • 1
    Que engracado! depois do seu post, outros amigos mudaram um pouco os posts deles! Tipo, retiraram a parte "temque fazer tudo na mao, e vai dar trabalho..." para .. "Ta chei de opcoes por ai!!! " sera que a turma que le os posts... tambem... da uma lida nas edicoes_???? antes de dar positivo pra galeta? – Roberval Sena 山本 15/10/16 às 1:41
13

A extensão de um arquivo de configuração não se limita somente à .conf, também pode ser .cnf, .conf, .cfg, ou .ini por exemplo. Não há um padrão de como um arquivo de configuração pode ser chamado.

É possível fazer a leitura manualmente, porém é uma tarefa um tanto trabalhosa, você pode usar o fopen para abrir o arquivo para leitura, fgets para ler linha por linha, e o sscanf para analisar a linha e obter os valores.

Essa abordagem pode ser um pouco limitada, talvez funcione em certas situações onde você conhece a estrutura do arquivo, porém pode deixar de funcionar se tiver um espaço ou linha a mais. Veja aqui uma implementação.

No Windows é possível usar as APIs GetPrivateProfileString para retornar um valor, GetPrivateProfileInt para retornar um inteiro e GetPrivateProfileSection para retornar as chaves e valores de uma seção.

Para Qt é possível usar as funções da classe QSettings.

Não há uma opção nativa para fazer a leitura de um arquivo de configuração, porém existem alternativas como:

  • Libconfig: C/C++. Disponível para GNU/Linux, Mac OS X, Solaris, FreeBSD, Android, e Windows. Documentação.
  • LibIni: C, C++, Visual Basic, Java, TCL, Perl, Python. Disponível para Windows, DOS, GNU/Linux.
  • libConfuse: C. Assim como os outros acima, também está disponível para Windows e sistemas baseados no Unix. Tutorial.
  • inih: C/C++. Foi projetado para ser leve e simples, o desenvolvedor desse projeto parece ter dado prioridade à isso para ser compatível com sistemas embarcados.
  • Entre outros...

Para criar um exemplo vou usar o inih, o código é uma adaptação desse exemplo da documentação.

  1. Supondo que você tenha um arquivo de configuração foo.cfg como abaixo:

    ; Exemplo de arquivo de configuração
    
    [usuario]
    nome = João Silva ; Os espaços entre "=" são removidos
    peso = 90.5       ; Valor de ponto flutuante
    idade = 100       ; Valor inteiro
    ativo = true      ; Valor booleano
    
    [local]
    cidade = Rio Branco ; Os comentários serão ignorados (como esse)
    estado = Acre
    
  2. Para guardar as informações que serão lidas do arquivo, usaremos a estrutura abaixo:

    typedef struct {
        const char* nome;
        float peso;
        int idade;
        bool ativo;
    
        const char* cidade;
        const char* estado;
    } configuracao;
    
  3. Como mencionado na documentação, use um handler para identificar a seção e chave e guardar o valor na estrutura. O handler/callback é chamado toda vez que um par de chave=valor é analisado. Nesse exemplo, podemos fazer assim:

    static int handler(void* usuario, const char* secao, const char* nome, const char* valor)
    {
        configuracao* cfg = (configuracao*)usuario;
        #define MATCH(s, n) strcmp(secao, s) == 0 && strcmp(nome, n) == 0
    
        /* Identifica a seção e chave e guarda seu valor na estrutura */
    
        if (MATCH("usuario", "nome")) {
            cfg->nome = strdup(valor);
        } else if (MATCH("usuario", "peso")) {
            cfg->peso = atof(valor);
        } else if (MATCH("usuario", "idade")) {
            cfg->idade = atoi(valor);
        } else if (MATCH("usuario", "ativo")) {
            cfg->ativo = (bool)valor;
    
        } else if (MATCH("local", "cidade")) {
            cfg->cidade = strdup(valor);
        } else if (MATCH("local", "estado")) {
            cfg->estado = strdup(valor);
    
        } else {
            return 0;  /* Seção desconhecida ou chave inválida */
        }
        return 1;
    }
    
  4. Por fim, na função principal do programa, main(), você usa a função ini_parse para carregar o arquivo de configuração:

    int main(int argc, char* argv[])
    {
        configuracao cfg;
    
        if (ini_parse("foo.cfg", handler, &cfg) < 0) {
            printf("Não foi possível carregar 'foo.cfg'\n");
            return 1;
        }
        printf("Configurações carregadas do arquivo 'foo.cfg'\n");
    
        printf("Nome: %s\nPeso: %f\nIdade: %d\nAtivo: %d\n", cfg.nome, cfg.peso, 
                                                             cfg.idade, cfg.ativo);
        printf("Cidade: %s, Estado: %s\n", cfg.cidade, cfg.estado);
    
        return 0;
    }
    

O código completo fica assim:

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>
#include <string.h>
#include <stdbool.h>
#include ".ini.h" /* Assumindo que o header esteja no mesmo diretório */

typedef struct {
    const char* nome;
    float peso;
    int idade;
    bool ativo;

    const char* cidade;
    const char* estado;
} configuracao;

static int handler(void* usuario, const char* secao, const char* nome, const char* valor) {
    configuracao* cfg = (configuracao*)usuario;
    #define MATCH(s, n) strcmp(secao, s) == 0 && strcmp(nome, n) == 0

    if (MATCH("usuario", "nome")) {
        cfg->nome = strdup(valor);
    } else if (MATCH("usuario", "peso")) {
        cfg->peso = atof(valor);
    } else if (MATCH("usuario", "idade")) {
        cfg->idade = atoi(valor);
    } else if (MATCH("usuario", "ativo")) {
        cfg->ativo = (bool)valor;

    } else if (MATCH("local", "cidade")) {
        cfg->cidade = strdup(valor);
    } else if (MATCH("local", "estado")) {
        cfg->estado = strdup(valor);
    } else {
        return 0;  /* Seção desconhecida ou chave inválida */
    }
    return 1;
}

int main(int argc, char* argv[])
{
    configuracao cfg;

    if (ini_parse("foo.cfg", handler, &cfg) < 0) {
        printf("Não foi possível carregar 'foo.cfg'\n");
        return 1;
    }
    printf("Configurações carregadas do arquivo 'foo.cfg'\n");

    printf("Nome: %s\nPeso: %f\nIdade: %d\nAtivo: %d\n", cfg.nome, cfg.peso, 
                                                         cfg.idade, cfg.ativo);
    printf("Cidade: %s, Estado: %s\n", cfg.cidade, cfg.estado);

    return 0;
}

Demonstração:

$ gcc -o bar main.c ini.c
$ ./bar
Configurações carregadas do arquivo 'foo.cfg'
Nome: João Silva
Peso: 90.500000
Idade: 100
Ativo: 1
Cidade: Rio Branco, Estado: Acre
$
3

Existem diversas maneiras de criar arquivos de configuração. Os arquivos de configuração em /etc tem uma estrutura própria para o usuário ler.

Caso queira apenas armazenas os valores de suas variáveis nos arquivos, de modo que apenas o sistema leia, pode usar o fwrite e o fread.

Esse método é apenas para salvar informações do sistema, caso tente editar o arquivo na mão, pode dar algum erro e o sistema pode carregar as informações de modo errado.

#include <stdio.h>
#include <string.h>

struct _config{
    char string[16];
    int number;
    float o_number;
    char name[32];
};

void write_config(const char *fd_conf, struct _config *cfg){
    FILE *f = fopen(fd_conf, "w");
    fwrite(cfg, sizeof(struct _config), 1, f);
    fclose(f);
}

void read_config(const char *fd_conf, struct _config *cfg){
    FILE *f = fopen(fd_conf, "r");
    fread(cfg, sizeof(struct _config), 1, f);
    fclose(f);
}

int main(int argc, char **argv){
    struct _config conf = {0};
    conf.number = 10;
    conf.o_number = 3.7f;
    strcpy(conf.string, "texto");
    strcpy(conf.name, "I am a user!");

    write_config("file.cfg", &conf);

    struct _config conf2 = {0};
    read_config("file.cfg", &conf2);

    printf("%d|%f|%s|%s\n",conf2.number, conf2.o_number, conf.string, conf2.name);

    return 0;
}

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.