11
reputação
5

drinith

Amerê

Do fulgor carbônico eu surjo
Sendo alma daquilo que em cinzas se acaba
Imortal e evasivo nada me abala
Como a ocasião invisível em que fujo

Corro pelo ar como volúpia desgarrada
E pela face floral me introduzo
Ao estado de que fora então expulso
Reiniciando tudo aquilo que formava

Mas se exacerbado é meu volume,
Saturo-me no espaço,
Umidade atenua meu lume,
Regresso em lamúrias de ácido,

E se nem mesmo mais a água me guia,
Perco a minha esperança,
Viro as costas para ser o que deveria,
Transformo-me no desequilíbrio...
Maldita célula da mudança !

1
respostas
1
perguntas
~651
pessoas ajudadas
  • CPX
  • Membro há 2 anos, 8 meses
  • 4 visitas ao perfil
  • Visto 24/02 às 11:14

Top network posts

Nós respeitamos um foco bem definido em um só tópico.

Principais tags (4)

Pontuação 0
Publicações 2
Publicações % 100
Pontuação 0
Publicações 2
Pontuação 0
Publicações 2
Pontuação 0
Publicações 2

Top posts (2) Todas Perguntas Respostas | Votos Recentes

Medalhas (5)

Ouro

Prata

Bronze

5

Mais raras