Novas respostas marcadas com a tag

0

Qual a melhor? Nenhuma das duas muda nada, a melhor escolha é aquela em que você se sente mais confortável em usar e que as pessoas consigam entender. Pois o código nos escrevemos para que os outros possam ler posteriormente. As variáveis ficam mais próximas na memória ou isso é apenas mito? Creio que seja mito. Existe alguma diferença significativa? ...


0

Analisando um outro código, verifiquei que faltou chamar a função após o último print: calculoDescontos(salarioBruto) Agora o programa rodou e com a formatação devida. Obrigado Aviana pelo toque da falta do parâmetro. Agradeço!


2

Não faz sentido a existência do algoritmo da função messenger(). messenger() é dependente da variável externa txt. O primeiro uso da função detector() é inócuo não afetando de forma alguma o fluxo de dados. A função msg() faz um uso mais racional da função detector() e só esse deveria ser mantido. É melhor trabalhar os algoritmos já existentes do que criar ...


0

Quando você define a função detector: function detector(){ var detector = txt.indexOf("!") if(detector>-1) return true } o txt já tem que existir no escopo dessa função. Onde você vai chamar essa função não importa pro Javascript, o que importa é onde você define. Então, você pode criar a variável num "escopo-pai" (nem ...


3

Seria interessante ler Alocação de memória em C# - Tipos valor e tipos referência. Seu exemplo está errado, as duas variáveis possuem tipos por valor, talvez por isso não está entendendo. Em n1 você está armazenando um valor em uma posição de memória, que está localizada na pilha e nomeada através de uma variável. Em seguida o código cria ...


4

Eis duas opções: x <- 10 cat("seu numero é", x, "\n") #seu numero é 10 sprintf("seu número é %g", x) #[1] "seu número é 10" Note que cat não põe a string entre aspas. Veja ainda os formatos em help("sprintf").


3

O R não tem essa sintaxe da f-string, mas o pacote glue disponibiliza algo semelhante. Com ele poderíamos fazer algo assim: x <- 10 glue::glue("seu numero é {x}") #> seu numero é 10 Ele funciona de forma que ele avalia códigos r dentro nas partes dentro das chaves dentro das strings.


6

Utilizando o paste. lenesson <- 10 paste("Seu número é", lenesson) Output. [1] "Seu número é 10"


1

É só criar um array associativo como no exemplo abaixo: $pontos = array("Zé"=>"11", "José"=>"4", "Zéca"=>"22");


1

Não sei se entendi, mas não seria só criar uma variável antes e concatena-la? $res = ""; foreach ($content->retorno as $produto){ $res = "SKU: ".$produto->codigo . "<br/>"; $res .= "NCM: ".$produto->ncm . "<br/>"; $res .= "Origem: ...


0

Se certifica que a variável que quer usar em dois arquivos javascript não estejam dentro de uma função e link os dois arquivos JavaScript na ordem <script src="arquivo1.js"><script> //declara a variável aqui. <script src="arquivo2.js"><script> // acessa ela aqui.


0

Pra resolver esse erro: Uncaught SyntaxError: Unexpected token 'export'. uma das soluções seria: <script type="module" src="nome-do-seu-modulo.js"></script>


4

Não são a mesma coisa, são coisas completamente diferentes. Mesmo que tivesse o mesmo nome seriam coisas diferentes. Para entender mais sobre isso deve ver Qual a diferença entre escopo e tempo de vida?. Provavelmente deve ler também O que é uma variável?. E deve seguir todos os links dessas respostas para aprender os conceitos de forma ...


1

Você precisa especificar a qual variável você deseja somar o saldo com o add_money Tende desta maneira saldo = 0 op = input('O que deseja fazer? ') if op == 'add': add_money = int(input('Qual sera o valor? ')) saldo = add_money + saldo print(saldo)


As 50 principais respostas recentes são incluídas