Novas respostas marcadas com a tag

8

Conforme já comentado, não haverá diferença no resultado. Porém vamos fazer uma depuração simples do seu código: Usando i+=2 from dis import dis code = ''' i=1 i+=2 ''' print(dis(code)) 2 0 LOAD_CONST 0 (1) 3 STORE_NAME ...


4

Eu encontrei algo interessante no PEP-203 que é onde eles propoem o augmented assignment (i += 2): A idéia por trás da atribuição aumentada em Python é que não é apenas uma maneira mais fácil de escrever a prática comum de armazenar o resultado de uma operação binária em seu operando à esquerda, mas também uma maneira de o operando da esquerda em questão ...


-4

Ambos tem o mesma função e resultados. O primeiro termo é apenas mais elegante e menos verboso, já que não repete a variável.


2

Métodos de classes devem ser declaradas com : () => { ou abreviando diretamente para (){... ou seja como faríamos num objeto. para além disso, a sintaxe desse data que passas à classe quando instancias está errado. Estás a usar {'string', 'string'}... acho que queres [] para teres uma array. Exemplo: class Test { constructor(data) { this....


-1

O inicializador do loop for é executado apenas uma vez, antes de entrar no loop e pode conter os seguintes critérios: A declaração e inicialização de uma variável local, acessível somente dentro do loop for (int i = 0; i < 5; i++) Instruções de atribuição, incremento, decremento ou invocação de método. int i=0; for(i=0; i < 5; i++) for(i++; i < ...


5

Há várias confusões aí. Em C você não é obrigado a inicializar a variável com um valor, mas isso sempre é um erro para usar em um for porque fica imprevisível de onde ele vai começar. Pode até dar certo em várias situações, mas não é correto e haverá situações que não obterá o resultado esperado. Em C# realmente não permite fazer isso porque é quase 100% ...


8

Obviamente depende da linguagem e até da implementação dela se a especificação da linguagem deixar isso livro. Em geral variáveis locais são alocadas no stack e ao final do escopo de uso dela (pode não ser a função, pode ser um escopo menor) o espaço fica livre para uso por outras variáveis, em geral uma nova chamada a uma função. Não há um apagamento do ...


5

Acessar window.a e a quando ambos não estão definidos geram resultados distintos porque são avaliados a partir de algoritmos distintos. window.a é avaliado buscando o valor da referência a na referência window; a é avaliado buscando o valor da referência de a; Referência Primeiro, precisamos entender como o JavaScript referencia cada objeto, que se dá ...


4

JavaScript é uma linguagem cheia de esquisitices porque foi definida de forma muito rápida. A principal decisão ruim foi ter tipagem fraca, e pior, adotaram critérios bem ruins para transformar um tipo em outro implicitamente. Pode-se argumentar que isso facilita para o programador novato, mas é um tiro no pé de marketing porque depois as pessoas terão que ...


8

Sabemos que quando tentamos ler uma variável que não está disponível no escopo atual o erro (ReferenceError) é lançado. Para saber mais, leia este documento. Também sabemos que quando uma variável é declarada no "escopo global" utilizando var, ela se torna também disponível no objeto window (ou global, se estiver utilizando Node.js). Desse modo, uma ...


0

Eu vou usar uma abordagem diferente, eu vou usar um script em Pyton dentro do Shell Script. O objetivo não é ser melhor ou mais rápido, tanto que as outras respostas indiscutivelmente são boas, e sim mostrar uma possibilidade de integração entre o Shell e sua linguagem de programação favorita e resolver o problema proposto segundo os parâmetros ...


1

Creio que o método do @stderr é o mais simples por se valer diretamente do status de saída do comando 'expr', além de ser portátil. Simplificando mais um pouco: [ `expr "$var" + 0 2>-` ] && [ $var -gt 0 ] && echo 'Número inteiro positivo'


1

O primeiro é declaração do tipo var ponto1: Ponto, ou seja, só está dizendo que a variável ponto1 é do tipo Ponto e não há uma instância, já a outra var ponto2 = Ponto(x: 1, y: -1) é a instância de Ponto na variável ponto2, tem que tomar cuidado porque a ponto1 não é uma instância e consequentemente não tem acesso aos seus membros. struct Ponto { let x: ...


1

As duas estão criando uma variável do tipo Ponto, a primeira não cria uma instância do objeto do tipo Ponto e se tentar acessar em seguida dará um erro de compilação, se inicializar depois da declaração funcionará normalmente: struct Ponto { let x: Int let y: Int init(x: Int, y: Int) { self.x = x self.y = y } } var ponto1: Ponto; ...


-1

As variáveis com modificador static pertencem a classe. As variáveis com modificador final são constates e seus valores imutáveis.


4

Você obterá a lista com: lista = input().split() Mas devemos lembrar que os valores serão strings. Para subtrair 1 de cada valor e depois computar a soma, basta utilizarmos da função sum e do generator comprehension: resultado = sum(int(numero) - 1 for numero in lista) Se a entrada for 2 3 4, o resultado será 6, referente a soma (2-1)+(3-1)+(4-1).


1

Não há sentido em armazenar cada valor da lista em variaveis diferentes, lembrando que uma lista é um vetor de variaveis e tem como um dos objetivos justamente não ter de declarar N variaveis na mão, não há outra maneira de fazer isso senão na mão mesmo. O sentido mesmo é acessar os valores da lista através dos indices lista = input().split() #convertendo ...


1

Sim, é possível, é uma das técnicas mais básicas e conhecidas da programação. Você faz isso com uma variável do tipo array. Um array é uma variável que guarda variáveis e assim você consegue acessá-las exatamente da mesma forma, só a sintaxe ligeiramente diferente. Não use um dicionário para isto, ele é totalmente desnecessário, lento, improdutivo e ...


4

Você consegue fazer o que deseja, só a sintaxe estava um pouco errada, veja só que dá pra ser até mais simples: #include <stdio.h> int max_of_four(int x, int z, int y, int w) { int max1 = x > z ? x : z; int max2 = y > w ? y : w; return max1 > max2 ? max1 : max2; } int main() { int a, b, c, d; scanf("%d %d %d %d", &a, ...


3

Para portabilidade essa pergunta já fala um pouco sobre, onde o @Maniero responde: Comportamento definido Na verdade a maioria dos comportamentos são definidos pela especificação e para uma implementação conformar com a especificação precisa fazer exatamente o que ela manda. Ainda bem. Por ser o normal nem há uma definição dele. Se seu código ...


1

Olá. Aqui está um exemplo do mundo real. Para o seguinte código: #include <stdio.h> int main () { printf("sizeof(long) = %zu\n", sizeof(long)); return 0; } Output on Debian 7 i686: sizeof(long) = 4 Output on CentOS 7 x64: sizeof(long) = 8 Luis Dama afirmou no seu livro: short = 2 bytes long = 4 bytes Seu livro: http://www.ams.eti.br/livros/...


As 50 principais respostas recentes são incluídas