Respostas interessantes marcadas com a tag

8

Tente dessa forma, você só precisa colocar a extensão .bat no arquivo, definir o local onde deseja cria-lo e inserir o código dentro dele: int teste = 1; StreamWriter EscreverTXT = new StreamWriter(@"C:\Temp\file.bat"); EscreverTXT.WriteLine($@"Código bat aqui {teste} teste feito aqui 2 teste feito aqui"); EscreverTXT.Close();


7

Naturalmente que sim. Você não precisa armazenar todo o conteúdo do arquivo em memória se pode processar cada linha separadamente, basta ter em memória somente uma linha por vez. $handle = fopen('arquivo.txt', 'r') if ($handle) { while (!feof($handle)) { $row = fgets($handle); // Faz o que precisar com a linha do arquivo. } } A ...


6

Se você tiver separando os nomes por quebra de linha você pode usar isso aqui: $file = fopen('./file.txt','r'); $document = fread($file, filesize('./file.txt')); $formatedDocument = str_replace("\n", '; ', $document); echo $formatedDocument; fclose($file); Dessa forma você abre o arquivo que você quer formatar com o fopen, tu lê o arquivo com o fread e ...


6

O método Replace() retorna um um valor, e esse valor é que você não está acumulando em lugar algum. Mude sua linha para: linha = linha.Replace(item.Key, item.Value); Assim vc irá acumular o resultado do Replace() de volta na variável linha como esperado.


6

Em essência é o fopen() que abre e depois tem um conjunto de funções que são usadas para manipular os dados e acesso ao conteúdo do arquivo e finalmente fechar o arquivo. Mas tem uma enormidade de formas de acessar arquivos que podem atender necessidades diferentes dessa, a maioria de APIs específicas de sistemas operacionais. Exemplo básico: // Abre o ...


4

Uma maneira relativamente simples é usar o CMD do Windows. Usando for + type: cd /d c:\caminho\para\a\pasta for %f in (*.txt) do type "%f" >> amalgama.out no lugar de amalgama.out você põe o nome desejado de saída. Não precisa nem fazer um .bat, basta executar direto no prompt de comando. Informação relevante: eu usei .out na saída para evitar ...


4

Muito boa a solução @CarlosCinelli. Mas uma solução alternativa é utilizando o pacote iterators. A função change_dot() basicamente lê uma linha, troca o ',' pelo '.' e escreve a linha em um arquivo de texto. library(iterators) change_dot <- function(file, saida='teste.txt', chunk=1) { con1 <- file(file, 'r') con2 <- file(saida, open = 'w') ...


4

Fiz uma solução parcial (que não deve ser a mais eficiente) que lê o arquivo em chunks e vai salvando em um csv, já com o decimal como ponto ao invés de vírgula. Daí é só você definir o tamanho do chunk que cabe na sua RAM. Funcionou com o arquivo de teste do ACRE, em tese funcionaria com arquivos maiores. chunks <- 40000 acre <- read.csv2("AC2012....


4

Se fizer assim não precisa chamar 2 vezes. arquivo = open(input('Nome do arquivo a ser editado:'), 'r+') texto = arquivo.readlines() texto.append(input('insira o valor')) arquivo.writelines(texto) arquivo.close() Agora, caso o arquivo informado não exista pode ser assim. try: nome_arquivo = input('Nome do arquivo a ser editado:') arquivo = open(...


4

%CD% é a variável de ambiente que contem o diretório atual. E se você quiser acessar um arquivo no diretório atual, você pode usar o .: echo %CD% > .\testecmd.txt O arquivo testecmd.txt será criado no diretório atual, e o seu conteudo será o nome completo do diretório atual da linha de comando.


4

Basta usar a função split que ele retorna um array. var txt = "Essa é a linha 1\nEssa é a linha 2\nEssa é a linha 3"; var vetor = txt.split("\n"); vetor.forEach(function(x) { console.log(x) } );


4

Basicamente, é isso: var valores = File.ReadAllLines("NomeDoArquivo.txt") .Where(l => l.StartsWith("001-000")) .Select(l => l.Substring(l.LastIndexOf("=") + 1)) .ToList(); O uso seria foreach(var valor in results) Console.WriteLine(valor); File.ReadAllLines retorna um array de string com ...


4

Isso acontece pois o parâmetro que as funções fwrite() e fclose() aceitam é a referência do arquivo aberto fopen() e não a string a ser inserida no arquivo $g_txt : $g_txt = "sintegra/SINTEGRA_".$pasta.".txt"; $fp = fopen($g_txt, "a+"); fwrite($fp, "aqui ficara o conteudo!"); fclose($fp);


4

No seu arquivo, cada linha corresponde a uma coordenada e cada coordenada tem uma longitude (entre -180 e +180) e uma latitude (entre -90 e +90). O conteúdo do arquivo é uma lista de coordenadas. Observe que o conceito central que temos aqui é uma coordenada. Como Java é uma linguagem orientada a objetos, esses conceitos mapeiam para objetos que são ...


4

Sabendo o que está no ficheiro, o seguinte funciona. Não é é absolutamente nada geral. dados <- read.table(file = "Artur.txt", sep = "|", comment.char = "+", skip = 4, fill = TRUE) dados <- dados[!sapply(dados, function(x) all(is.na(x)))] dados <- dados[apply(dados, 1, function(x) !any(grepl("----", x))), ]...


4

eu abro um arquivo .exe com o bloco de notas e vejo em vez de 100101 eu vejo um monte caracteres estranhos por que isso? Que caracteres são aqueles? Porque o bloco de notas quis mostrar assim. O que você vê é só uma representação gráfica (em amplo sentido) de uma informação. Cada software mostra do jeito que ela achar melhor para a pessoa. E a pessoa que ...


3

O que você precisa é: Abrir o arquivo de entrada. Determinar o tamanho do arquivo. Colocar todo o conteúdo do arquivo em uma string na memória. Procurar por Nome: nessa string, encontrando a posição adequada. Separar o nome em uma outra string. Abrir o arquivo de saída. Escrever no arquivo de saída. Fechar ambos os arquivos. Para abrir o arquivo, use a ...


3

Segue um exemplo completo de como você pode fazer isso usando Ajax: var xhr = new XMLHttpRequest(); xhr.open('GET', 'arquivo.txt', true); xhr.responseType = 'text'; var texto = ''; xhr.onload = function () { if (xhr.readyState === xhr.DONE) { if (xhr.status === 200) { texto = xhr.responseText; //Pega o resultado da ...


3

Descobri! minha pergunta foi respondida no StackOverflow O codigo ficou assim: Program Pascal ; var i:integer; vect:array[1..1001] of integer; Myfile: text; begin i:=1; for i:= 1 to 999 do vect[i]:=i+1; Assign(Myfile, 'Myfile.txt'); Rewrite(MyFile); for i:= 1 to 999 do begin WriteLn (vect[i]); WriteLn(Myfile, vect[i]); ...


3

Agradeço ao @CarlosCinelli e o @FlavioBarros pelas ótimas respostas. Decidi por uma 3a alternativa à minha pergunta acima, usando o pacote "ff" para importar os dados no R para um "ffdf" e depois exportar para um CSV tradicional: dat <- read.csv2.ffdf(file="AC2012.txt", strip.white=TRUE, na.strings = c('{ñclass}','{ñ','{ñ class}','{...


3

Um if a validar a existência de conteúdo bastará. using (StreamWriter linha = System.IO.File.CreateText(caminhoArquivo)) foreach(var item in codigos){ if(!String.IsNullOrEmpty(item){ linha.Write(item + "\r\n"); } } return File(caminhoArquivo, "text/plain", nomeArquivo);


3

Como dito pelo Maniero nos comentários, o problema estava que itens nulos estavam sendo retornados na busca do banco. A principio, estava buscando os itens e recuperando os códigos com a seguinte consulta: { var vendidos = (from c in _dbContext.VendaCoupon where c.DataVenda.Year == anoReferencia && c.DataVenda.Month == mesReferencia &...


3

Você pode fazer da seguinte forma string cpf = File.ReadAllLines(@"caminho\arquivo.txt")[3]; no caso é passado o índice da linha(3 porque os indicies começam em 0) Outra alternativa é colocar todas as linhas em uma lista de string e depois pegar o elemento desejado List<string> linhas = File.ReadAllLines(@"caminho\arquivo.txt").ToList(); string ...


3

Reproduzindo o problema: tf <- tempfile() write.table( "+-----------------------------------------------------------------------------+ | Category Information | square| | #|description | miles| |-------------------------------------------------...


3

A função rewind() (falando grosseiramente) serve para retornar ao começo do arquivo, ou seja fread passa adiante mas o rewind volta para o começo.


3

O problema foi resolvido!! Segue script solução: #!/usr/bin/perl my $filename = "interfaces.txt"; my $interface; my $status; my $protocol; my $description; open(fh, $filename) or die "não abriu"; @fh = <fh>; close fh; print "Interfaces;Status;Protocol;Description\n"; foreach my $linha (@fh){ if($linha =~ /[gi]+\d\W\d+|[te]+\d\W\d+/gi){ ...


3

Já agora uma alternativa um pouco mais trotskista: #!/usr/bin/perl use strict; while(<>){ ## para cada linha s/(\s{2,}|\t| (?=[A-Z]))/;/g; ## substuir espaços por ; print ## imprimi-la } Onde se está apenas a substituir (s/(\s{2,}|\t| (?=[A-Z]))/;/g) 2 ou mais espaços, ou ...


3

Primeiro você precisar separar cada linha do seu arquivo. Para fazer isso, utilize o método readlines que te dará uma lista com todas as linhas separadas. Após isso, basta inserir na lista o texto que deseja com o método insert e escrever as linhas dentro da lista com o método writelines. Veja o exemplo: linha_especifica = 1 texto = "<SEU TEXTO>" ...


3

De 8 em 8 bits forma um byte, cada byte em codificação ASCII estendida é mostrado como um caracter (ou em alguma outra codificação; o número de bits que representa o caracter pode variar). Ou tentando explicar melhor: O bloco de notas foi feito pra lidar com texto. Texto no computador é exibido pegando-se os bits em grupos de 7, 8 ou mais e exibindo um ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam