Respostas interessantes marcadas com a tag

209

Um stack (ou pilha), neste contexto, é uma forma otimizada para organizar dados na memória alocados em sequência e abandonados (sim, normalmente não há desalocação) em sequência invertida a da entrada. Um heap (ou monte, ok, ninguém traduz isso) é a organização de memória mais flexível que permite o uso de qualquer área lógica disponível. De que pilha ...


73

A tradução de "stack" é pilha, isto é, uma estrutura de dados em que o último elemento a entrar é o primeiro a sair (pense numa pilha de livros). A pilha, portanto, funciona de forma bastante simples - elementos são adicionados/removidos de forma organizada/restrita, o que permite que os processadores sejam otimizados para realizar as operações envolvidas (e....


44

Gostaria de apresentar aqui meu entendimento menos técnico do que as repostas dadas acima mas que podem ser de ajuda ao programador que quer apenas saber do que se trata sem se aprofundar no assunto. A memória Stack é utilizada para armazenar argumentos de uma função, procedure, método. Sendo ela estática pré-alocada no start do programa e desalocada no ...


38

Definições Pilha Na pilha, são guardados objetos alocados dentro de escopos de funções incluindo variáveis locais das funções, argumentos, endereços das áreas de código sendo executadas antes de outras chamadas de função, retorno de funções. A alocação de memória ocorre de forma sequencial e, como a posição desses objetos é conhecida durante o tempo de ...


22

Primeiro tenha certeza que entende o que é a pilha. Ela é uma porção de memória previamente alocada pela aplicação que vai sendo preenchida conforme a necessidade das funções (ou escopos). Conforme a execução vai entrando em novos escopos ele vai reservando espaço (na parte já alocada) para todas variáveis locais contidas nele (isto é chamado de stack frame)...


16

Eu pesquisei sobre o assunto e não achei nenhuma boa resposta sobre isso. As razões que consegui levantar são as seguintes: Programas escritos para o Arduino são em geral bastante simples e há pouca memória disponível. Como resultado, pouca gente se importa muito com modularização e encapsulamento em programas Arduino. Arduino não utiliza um único método ...


15

Não vou repetir o que o Miguel Angelo bem disse. Uma pilha é chamada assim por em conceito abstrato. Evidente que fisicamente na memória não há dados sendo empilhados em lugar nenhum. Uma pilha ou stack é uma estrutura de dados muito eficiente justamente porque é bastante limitada. Mas essa limitação que se encaixa muito bem em vários problemas. É comum ...


14

Depende do que estiver rodando: pode ser que ocorra nada pode ser que ocorra o mínimo e fique fazendo isso sem ocupar memória porque o acionamento provoca algo momentâneo apenas pode ser que vá ocupando 1 byte cada vez que ela tem um acionamento, o que levaria anos para estourar a memória típica de um computador, em considerando a memória virtual poderá ...


13

Você está sendo vítima de um loop infinito. Veja. Este é seu código. $('.botchat').click(function(){ $('#islpronto_link').click(); return; }); Todas as vezes que um elemento com a classe botchat for clicado, ele será disparado. Agora veja esta parte $('#islpronto_link').click(); Isso chama o evento de click do elemento que tem o Id ...


11

Sim, o stack não só é mais rápido que o heap mas também é mais fácil manipulá-lo. A alocação no heap se dá basicamente por estes motivos: Um objeto é muito grande para caber no stack. A área reservada para o stack costuma ser fixa (é possível aumentar seu tamanho mas isto não está disponível em todas situações e é um processo complicado e tem desvantagens) ...


11

Stack nada mais é que uma pilha, em que os objetos que vão entrando acabam por bloquear os que já estão na pilha, de forma que somente aquele que não tiver nenhum outro bloqueando pode ser retirado da pilha. Exemplos de pilhas: uma pilha de pratos, se tirar o do fundo, provavelmente todos vão cair uma pilha de papel, se tentar tirar uma do meio, pode ...


9

Dados estáticos, não só variáveis, constantes e códigos também, são armazenados em um heap especial, chamado de High Frequency Heap. É uma área gerenciada pelo .NET, mas seu conteúdo não é coletado. Ali é armazenado o que a aplicação precisa por toda sua vida. Dados estáticos são armazenados lá desde sua primeira utilização até a aplicação terminar, ao ...


8

Seu código não faz alocação como você imagina, você está cometendo um grave erro. Este código está longe de estar fazendo o que você acha que está. Você está reservando memória para vet com uma quantidade de elementos indeterminada. Sim, porque você declarou tam mas não colocou nenhum valor para ela. Então o valor que estiver na posição de memória de tam ...


7

Simples, não colocando na stack. A infraestrutura de delegados que é o mecanismo básico da lambda permite o uso do que se chama clausura (closure). Ou seja, ele prende um estado dentro da função e leva consigo para onde for. Não é que o dado precise se transforma em referência, mas precisará ter alguma referência para algum objeto no heap onde tem o dado. ...


6

O primeiro ponto que podemos melhorar é sua alocação de memória. Alocar e desalocar a cada operação funciona, mas não é eficiente. Uma boa solução é alocar um bloco maior que o necessário inicialmente, e fazer novas alocações somente quando ele está cheio, assim como é feito no std::vector. Para isso precisamos adicionar um campo capacidade à pilha: T *...


6

Veja o que diz o site do Arduino: "Quando os programas começam a ficar grandes e mais complexos, variáveis locais são um jeito útil de assegurar que somente a função tenha acesso a suas próprias variáveis. Isso evita erros de programação quando uma função inadvertidamente modifica variáveis usadas por outra função. Às vezes, é conveniente declarar e ...


6

Primeiro entenda os motivos para não poder alocar um objeto na stack. Aproveite e tente entender o funcionamento da stack e do heap, se ainda tem dúvidas. Então o normal do Java é só colocar os tipos primitivos na stack (eles podem estar no heap também), já que atende os critérios de não escapar o escopo do método, ser garantidamente bem pequeno, etc. (veja ...


6

A variável p foi declarada nessa função. Ela terá o tamanho de 4 ou 8 bytes dependendo da arquitetura. Esse variável é única em toda a função e ao que parece toda aplicação é este código. Por que estouraria a pilha com apenas uma variável de tão pouco tamanho? A pilha tem tamanho fixo, não tem porque estourar. O estouro só ocorre quando ela vai sendo ...


6

Os erros que impedem o funcionamento do seu programa são esses: No lugar de frase != '\0' você deveria ter usado frase[i] != '\0'. No lugar de empilha(frase, topo);, você deveria usar empilha(frase[i], topo); Entretanto, ainda faço outras observações importantes acerca do seu código: É bem mais fácil ler-se, entender-se e achar-se problemas em um código ...


6

Você precisa ler: O que são e onde estão o "stack" e "heap"?. Portanto as funções vão sendo chamadas e organizadas como uma pilha, e quando uma exceção é lançada, até que ela seja capturada por alguma função, ela vai encerrando as funções que estão na pilha de chamadas, até que se nenhuma função faça nada com ela acaba quebrando ...


5

Você decrementa o valor de pilha->size duas vezes. O certo é fazê-lo apenas uma vez.


5

Em Java, classes que herdam de Vector (incluindo Stack) são thread-safe, ou seja: carregam consigo o overhead de impedir que dois threads diferentes acessem ao mesmo tempo a mesma coleção. O uso de um ArrayList (que não é thread-safe) evita esse overhead, e portanto deve ser preferível ao Stack a menos que essa característica seja importante na sua aplicação....


5

Não. A recomendação padrão da linguagem é utilizar uma lista como uma pilha (stack). No caso de uma fila (queue), é preciso métodos adicionais e restrições para que a fila seja manipulada corretamente. Há diversos tipos de fila, a saber: Queue (FIFO, First In, First Out) LifoQueue (Last In, First Out) PriorityQueue (por ordem crescente de valor)


5

Se você não precisa necessariamente usar pilhas e usa Java 8, tudo pode ser feito de forma bem direta assim: String texto = "Uma mensagem confidencial"; String reverso = Arrays.stream(texto.split("\\s")) //quebra string por espaços .map(s -> new StringBuilder(s).reverse().toString()) //inverte cada palavra .collect(Collectors.joining(" "))...


5

Quais são os critérios que tornam um objeto elegível para ser alocado no stack e não no heap? Caber no espaço alocado. Note que você pode definir o tamanho do stack com o parâmetro -Xss. Se você estiver trabalhando em um projeto crítico pode fazer uma "loucura" como passar -Xss512m ou -Xss1g para o comando java. Entretanto, como cada thread criada possui ...


5

Em alguns pontos já faz melhor do que alguns iniciantes. Mas ainda tem alguns erros básicos. Tem uma quantidade grande de erros pequenos e grandes no que está fazendo. Vou apenas resolver o mais sério no trecho apresentado: void vender() { system("cls"); printf("------------------------------------------\n"); printf("-----...


5

O trecho postado não é seguro: void classequalquer::metodo() { ClasseA * ponteiro = ClasseA().getThis(); //deferenciar o ponteiro aqui é comportamento indefinido //o objeto não existe mais } ponteiro pega o endereço de um objeto criado como temporário para a operação de atribuição. O objeto não está disponível ao fim do ponto sequencial que encerra a ...


4

Primeiro nada está sendo executado dentro destas funções. Não há a alocação de memória, portando não tem o que ser liberado. Se o exemplo tivesse alguma variável sendo alocada, ao final da execução de cada função, o conteúdo é liberado. Não o espaço ocupado na memória, já que a memória está pré-alocada. Variáveis locais de funções são colocadas na pilha (...


4

Consideremos o seguinte exemplo, fazer uma função que altere o valor de um inteiro. Poderíamos começar com uma abordagem simplista (embora errada): void alteraInt(int numero){ numero = 10; } E chama-la no main: int x = 2; alteraInt(x); printf("%d",x); Que mostra: 2 E agora podemos ficar a pensar, mas porque ? se ele foi alterado na função ? ...


4

Boa tarde Leonardo, Primeiramente vamos quebrar o problema em pequenas partes: O que seu programa deve fazer? Pelo título posto, "inverte", é fácil deduzir que ele quer inverter uma string usando uma estrutura de pilhas, onde o usuário vai digitar uma palavra/frase e a mesma deve ser impressa invertida ao final da execução. Mas a final, como posso fazer ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam