Respostas interessantes marcadas com a tag

18

Sugiro fortemente que você estude callbacks e procure entender realmente seu funcionamento. Seu código tem vários setTimeouts que não deveriam existir, e a sua lógica para ler e atualizar continuamente as coisas pode ser simplificada monstruosamente usando eles. Corrigi o código com isso em mente, ficou assim: var express = require('express')(); var http = ...


12

Há dois aspetos a referir em resposta à tua pergunta. porquê o salto de 0.x.x para 4.x.x porquê versões 4, 5 e 6 quase simultâneas O Node.js quando foi lançado reuniu muitos dos craques de programação da altura. Como muitas tecnologias experimentais/novas havia muitos caminhos possíveis e pessoas com ideias diferentes. A comunidade não consegui entender-se ...


5

O ideal seria explicar a forma que proponho desenhando, mas tentarei ilustrando. Para garantir que cada jogador terá um papel válido e que tenha somente 1 Policial, 1 Dama e 1 Criminoso vamos imaginar 5 crianças brincando. Elas pegam uma caixa e colocam 5 papeis escritos as profissões disponíveis, tal que depois que elas terminam a caixa terá 1 Policial, 1 ...


4

Sim. O socket.io nada mais faz do que abstrair uma conexão de websocket para você. A conexão do socket é entre o usuário e o servidor, portanto para realizar o que você será necessário realizar algum tipo de login, nem que seja apenas um nick (num exemplo de chat) para que você possa associar o nick com um socket. Você irá ter um mapa de nicks/logins que ...


4

Talvez o setInterval() (Inglês) te ajude, através do uso de uma função anónima: var show = setInterval(function() { socket.sockets.emit('show', JSON.stringify({imagens : json})) }, 10000); O segundo argumento diz respeito ao tempo em milissegundos que a função setInterval() deverá esperar entre cada chamada.


3

Toda requisição é feita em uma porta, o que acontece é que o browser "esconde" as portas 80 e 443 que são as duas padrões do protocolo HTTP - sem SSL e com SSL, respectivamente. Por definição, se você não especificar nenhuma porta numa requisição HTTP, esta requisição será feita na porta 80.


3

O ideal neste cenário é utilizar o conceito de rooms que o socket.io expõe. Basicamente você agrupa certos sockets, neste caso os dos seus amigos, em uma "sala", assim você pode enviar mensagens/eventos para esta room e todos nela vão receber. Uma leve complicação neste caso é que você é amigo de alguém e essa pessoa também é sua amiga, logo cada pessoa tem ...


3

De maneira geral não existe o conceito de "id da conexão" no protocolo TCP. É possível saber o endereço IP e a porta de quem se conectou remotamente, no seu exemplo acimas eria através das propriedades socket.remoteAddress e socket.remotePort. No entanto isso não serve como "id da conexão", pois não tem unicidade garantida. A solução geral deste problema ...


2

socket.emit irá emitir o evento para este socket específico, no caso algum cliente que está conectado e representa o socket. Em chat.emit o evento é emitido para todos os clientes que estão conectados no namespace /chat (que é criado em io.of('/chat')).


2

Tente instalar o pacote, no diretório do arquivo app.js, digite npm install socket.io O NPM é um gerenciador de pacotes do NodeJS, para usá-lo é simples. Primeiro cria-se o manifesto da sua aplicação com o comando npm init, ele fará algumas perguntas e irá gerar o arquivo package.json onde ficará armazenado entre outras coisas, as dependências de sua ...


2

De acordo com a documentação oficial, para mandar uma mensagem para uma sala específica podes usar o exemplo abaixo: //enviando para todos na sala (room) 'game', com exceção do remetente socket.to('game').emit('nice game', "let's play a game"); // enviando para todos na sala (room) 'game', incluindo o remetente io.in('game').emit('big-announcement', 'the ...


2

Tens de configurar no teu server.js uma diretoria base para que os html consigam dar uso aos recursos. Põe isto a seguir de var users = [] e vê se resulta: app.use(express.static(__dirname + '/'));


2

O que tens de fazer é guardar do lado servidor as profissões que já saíram, neste caso vou escolhendo ao acaso uma das 3 princípais e depois apago a escolhida, quando alguma socket (jogador) sai do jogo essa prof fica de novo à disposição. Isto é um exemplo funcional dessa funcionalidade, apesar do teu lado cliente ser diferente podes testar isto no browser....


2

Isto é o que namespaces e rooms tem em comum (socket.io v0.9.8 - note que v1.0 foi reescrito completamente, então algumas coisas podem ter mudado): Ambos namespaces io.of('/nsp') e rooms socket.join('room') são criados do lado do servidor Multiplos namespaces e multiplos rooms compartilham a mesma conecção (WebSocket) O servidor transmitirá mensagens apenas ...


2

A primeira opção não vai escalar, não vai ser possível ter no cliente toda a base de dados quando ela for grande demais. Porem a segunda opção de fazer um pedido ajax a cada mouseover pode ser demasiado dispendioso. Pode até ser a solução ideal, porém eu sugiro um meio termo: Se o mouse vai passar em cima de algo (imagem, ou titulo de texto), parece-me que ...


2

Se o seu sistema utiliza alguma forma de login provavel que tenhas algum identificador unico. Podes passar ele do cliente para o socket no servidor verificar e caso seja válido atribuir ao objeto de socket, exemplo: // client var net = require('net'); var client = new net.Socket(); var clientID = "xxxxx-yyyy"; client.connect(3000, '127.0.0.1', ...


1

já que está usando node.js uma opção é tira-lo do html e incluí-lo em um arquivo à parte e criar uma variável contento o símbolo $ usado no jquery (não esqueça de ter incluído jquery no seu package.json ou executado o comando npm install --save jquery var $ = jQuery = require('jquery')(window);


1

Acho que uma solução para o seu problema seria esse var socket = io('http://localhost:4555', {transports: ['websocket', 'polling', 'flashsocket']}); socket.on('notificacao', function (data) { console.log(data) //VERIFIQUE OS DADOS QUE ESTÃO CHEGANDO notify(data.nome,data.mensagem) }); function notify(nome,mensagem) { Notification....


1

Você pode colocar aparelhos se comunicarem ponto a ponto, sem problemas. Só precisa ter em mente que: deve existir um aparelho que será tratado como servidor, ou seja, quem vai ficar escutando uma conexão direta. E o segundo aparelho é o cliente, ou seja, quem vai se conectar ao servidor. Obs.: construa o Server socket e cliente socket em threads para não ...


1

Sua página deve estar usando iso-8859-1/windows-1252 e a resposta JSON retorna em utf-8, você pode mudar a página (ou add-on) para usar o: <meta http-equiv="Content-Type" content="text/html; charset=UTF-8"> Também é necessário salvar os documentos (se tiver algum, como .html ou templates) como UTF-8 sem BOM. No entanto se deseja usar iso-8859-1 você ...


1

Deves emitir um evento com o mesmo nome (também pode ser com outro mas neste contexto é mais indicado ser com o mesmo), visto que o teu lado cliente não tem nenhum evento delegado para quando recebe uma emissão chamada message não vai acontecer nada, altera o seguinte do lado servidor: ... socket.on('disconnect', function(){ visitas--; socket....


1

Encontrei uma ideia aqui que pode ser aplicada aqui: var ligacoes = {}; var queryString = {}; app.get('/', function(req, res) { queryString.do = req.query.do; queryString.ph = req.query.ph; res.sendFile(__dirname + '/index.html') }); io.on('connection', function(socket) { if (!ligacoes[socket.id]) ligacoes[socket.id] = JSON.parse(JSON....


1

No Azure voce nao pode especificar uma porta fixa para rodar a aplicacao. Voce deve checar pela porta nas variaveis de ambiente: var port = process.env.port || 3000; http.listen(port, function(){ console.log('listening on *:' + port); });


1

A classe básica do node.js utilizada para comunicação em TCP chama-se "net". Abaixo um exemplo de servidor e cliente feitos com a classe "net". O original (com comentários) está em http://www.hacksparrow.com/tcp-socket-programming-in-node-js.html server var net = require('net'); var HOST = '127.0.0.1'; var PORT = 6969; net.createServer(function(sock) { ...


1

Creio que está a faltar qual o serviço (URL) em que vai executar determinada função, e quando acede envie o ficheiro que pretende ver no browser: Ou seja: ... var users = []; app.get('/', function(req, res){ res.sendFile(__dirname + '/chat.html'); // colocar isto de acordo a sua estrutura de diretorios }); io.on('connection', function(socket){ ...


1

Sem dúvida, é possível sim. Veja um exemplo: No servidor, app.js var _ = require('lodash'); var app = require('express').createServer(); var io = require('socket.io')(app); app.listen(80); var sockets = {}; app.get('/', function(req, res) { res.sendfile(__dirname + '/index.html'); }); app.post('/oi', function(req, res) { enviaParaTodos(req.body);...


1

Eu acabei resolvendo o meu problema eu mesmo. Depois de tentar Q, como outra alternativa ao async, reescrevi o código do zero e consegui fazer com que a consulta ao banco de dados fosse realizada antes, simplesmente aninhando as funções de entrega de página (express) e de envio de dados (socket.io) dentro da função de consulta. Assim a consulta é realizada ...


1

Acho que essa mistura de invocar o io.on("connection", ...) dentro do tratador app.all() está errada. Uma coisa é o Express servir a página; a outra é o Socket.IO servir as requisições dele. São coisas que não se misturam. Provavelmente o cliente está tentando a conexão Socket.IO antes de você ter executado o io.on("connection",...) do lado servidor e aí a ...


1

Tente adicionar em seu servidor node.js o módulo cors. E tente adicioná-lo desta forma: var express = require('express'), cors = require('cors'), app = express(); app.use(cors()); //rotas abaixo Caso ainda não dê certo, configure o cors desta forma: var express = require('express'), cors = require('cors'), app = express(); var ...


1

Se você não passou, ele não acha: function Player(id, x, y) { Onde está o z?


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam