Respostas interessantes marcadas com a tag

19

Em Java não é possível que uma classe faça herança de múltiplas classes. O motivo disso, imagine que uma classe herda outras duas classes, entretanto essas duas classes herdadas possuem métodos com a mesma assinatura porém com implementações diferentes. Seria algo difícil de lidar, pois como a subclasse saberia qual implementação do método ela deveria usar? ...


17

Conceituação correta Acho que você está procurando saber se Java permite herança múltipla. Nela a classe pode herdar de várias outras classes, sejam elas concretas ou abstratas. Classes abstratas são aquelas que não podem ser instanciadas, ou seja, que você não pode criar um objeto baseado nela. Elas só existem para serem herdadas mesmo. Elas devem fazer ...


17

Premissa errada Não sei porque todo mundo odeia herança múltipla em C++. Não sei nem se isto é verdade. Conheço muita gente que não odeia. Mesmo as pessoas que apontam problemas neste recurso (o que é possível fazer virtualmente em qualquer recurso de qualquer linguagem) não costumam odiar algo que pode ser útil e tranquilo de usar se a pessoa souber o que ...


15

Você pode adicionar um arquivo .gemrc no seu home, com as opções que você quer passar para todos os comandos "gem" por padrão: gem: --no-ri --no-rdoc


14

Podes ocultar qualquer objecto por classe ou id usando o seguinte código: @media (max-width:768px) { #id_a_ocultar_em_tablet { display: none; } .classe_a_ocultar_em_tablet { display: none; } } @media (max-width:480px) { #id_a_ocultar_em_smartphone { display: none; } .classe_a_ocultar_em_smartphone { ...


13

Para as versões do Ruby a partir do 1.9.x, é necessário passar o caminho completo do arquivo, seja relativo, ou absoluto, pois o diretório corrente foi removido do LOAD_PATH, então é necessário fazer: irb -r ./meuscript indicando que o arquivo meuscript.rb está no diretório corrente.


13

String => limite teórico de 231 - 1 (32 bits) ou 263 - 1 (64 bits). Quero ver alguém conseguir alocar uma string deste tamanho Integer => Em tese Ruby pode ir mudando a representação e ter valores infinitos Float => Normalmente limitado pela arquitetura. Em geral entre 1.7976931348623158e+308 e 2.2250738585072014e-308 Array => Não existe um limite teórico....


12

Versão curta: Use :simbolos para "strings" de controle de código, e "strings" para o que aparecerá na tela do usuário. A primeira coisa que deve ser dita é que você não deve confundir strings com simbolos. Quando você escreve :string, está instanceando um símbolo. Quando você escreve "string" está instanceando uma string. Vamos ver isso na prática: :string....


12

Uma das formas mais simples e rápidas de o fazeres é recurso a operações matemáticas. Assumindo que x = 50 e y = 70 com 3 operações: x= x + y y= x - y x= x - y Explicação detalhada • x= x + y | x= 70 + 50 , basicamente x=120 • y= x - y | y = 120 - 70 , ficamos com y=50 • x= x - y | x= 120 - 50 , finalmente x=70. Espero que tenha ajudado.


12

Como às vezes isso depende da sua arquitetura (32 ou 64 bits), coloquei os limites conforme definidos no código da linguagem (quando existentes): String: 32 bits: 2**31 - 1 64 bits: 2**63 - 1 Fonte: https://stackoverflow.com/questions/3638622/do-ruby-objects-have-a-size-limit Integer: Máximo: (2**(0.size * 8 -2) -1) Mínimo: -(2**(0.size * 8 -2)) Fonte: ...


11

Simplesmente use o componente .table-responsive que fornece o Bootstrap: <div class="table-responsive"> <table class="table"> ... </table> </div> Pode encontrar mais informação na documentação do projeto. Não é necessário hackear o CSS ou usar outros componentes diferentes da tabela como foi sugerido.


9

Você pode usar a gem rerun. Instale com: gem install rerun E se seu programa se chama script.rb, execute com: rerun script.rb Ela monitorará o sistema de arquivos e reexecutará o comando sempre que algum arquivo for alterado. O único cuidado a levar em conta é que ele mata o processo anterior, então você pode acabar corrompendo algum arquivo de ...


9

Pontos de exclamação em Ruby são usados para indicar métodos "perigosos". No caso do método downcase! ele modifica o próprio objeto. Outro exemplo notório é do exit (que dá chance para a aplicação terminar normalmente e executar o método at_exit) vs exit! (terminação imediata). A versão "segura" do método downcase volta uma cópia modificada da string sem ...


9

Se estiver utilizando apenas tipos integrais (int, long, unsigned char, ...) pode usar um truque com o XOR, assim: x ^= y; y ^= x; x ^= y; Não há nenhuma limitação com relação à magnitude do valor. Sim, funciona com INT_MAX. Experimente escolher um par de número e fazer esse calculo na mão para entender como funciona. Se você quiser implementar uma macro ...


9

O attr_accessor é um "atalho" que cria métodos de leitura, escrita e variável de instância em uma classe. http://apidock.com/ruby/Module/attr_accessor Ex.: Suponha que vc tenha uma classe Carro quisesse acessar uma propriedade cor: class Carro end carro = Carro.new carro.cor # => NoMethodError: undefined method `cor' carro.cor = 'azul' # => ...


8

Neste caso o Ruby utliza a estrutura case...when case objeto when 1 puts "Seu número é 1" when 2..10 puts "Seu número está entre 2 e 10" when 11,13,17,19 puts "é um número primo entre 10 e 20" when String puts "é uma String" else puts "Qualquer outra coisa." end Você pode criar essa estrutura sem parâmentro também case when objeto < 10 puts ...


8

Qual é o mais rápido e leve no processamento? Linguagens não costumam ter essa característica de forma marcante. Depende do algoritmo, do código feito, etc. Mas pela forma como cada uma funciona Crystal tende ser mais rápida. Tudo que é feito no Ruby pode ser feito no Crystal, posso ainda usar os dois em simultâneo? Pode fazer tudo, afinal todas ...


8

Tendo em vista que modificações dinâmicas, como sobrescritas de métodos é algo comum de se ver em Ruby, o Object#__send__ e Object#send é uma forma de proteger os objetos contra sobrescritas. O __send__ serve como um alias interno, que você pode utilizar se seu objeto possui alguma redefinição de send. Por exemplo: "hello world".send :upcase => "HELLO ...


7

Você pode passar o nome do arquivo. Por exemplo: irb meuscript.rb Como apontado pelo rodrigorgs o irb irá sair após executar o arquivo. A solução que vejo para isso no momento é usar load dentro do irb: $ irb 1.9.3-p194 :001 > load 'meuscript.rb'


7

Com o Twitter Bootstrap tudo fica mais fácil, basta você criar o HTML corretamente e incluir as classes certas em suas tags, visto que ele já tem todo o CSS criado para que você utilize o design responsivo. Esse é um HTML básico de uma tabela responsiva: <div class="row-fluid"> <div class="span4">...</div> <div class="span8">...&...


7

São equivalentes. for a in b; code end é um syntax sugar para b.each {|a| code }, com a diferença que a variável a não tem seu escopo limitado ao bloco. Uma prova simples para isso é o seguinte: class A def each(&block) block.call(1) block.call(2) block.call(42) end end for x in A.new p x end # mostra 1, 2 e 42 p x # mostra 42 ...


7

Valores que começam com : são symbols. Symbol é um tipo de dado, assim como String, Integer, Array e etc. Symbols com o mesmo mesmo nome sempre possuirão o mesmo object ID e, portanto, apontarão para um mesmo local da memória. Isso os torna mais eficazes que strings para utilização como chave em hashes, etc. Quanto aos valores dentro de { }, com : depois do ...


7

Resolvi responder porque não há consenso sobre isso. O que indica que há problemas no padrão MVC. Quando algo é bom mesmo, todo mundo concorda. Tratar regras de negócio no model é uma má prática? Aqui as respostas indicam que é no model, salvo algum motivo muito forte. Todos usuários com boa reputação aqui no site. Como implementar um ...


7

Os dois mostram representações diferentes de um determinado objeto na saída padrão da aplicação. O puts mostra a representação legível por humanos mais padrão fazendo a chamada do método to_s, enquanto o p faz a chamada do método inspect que é mais voltado para fins de debug. TL;DR; p Faz a chamada do método inspect e escreve o resultado na saída padrão. ...


7

Uma das coisas que eu gosto em Ruby é a adoção da filosofia convention over configuration. Isto quer dizer que existe uma forma que você usa algo e a linguagem sabe o que fazer, em detrimento a você ter que dizer o que quer. Então enquanto outras linguagens exigem que faça: const constante = 1 Ruby só precisa fazer: Constante = 1 Pode estar pensando, mas ...


7

Closures O seguinte não é lambda, mas sim um bloco ou closure. É bem comum ver blocos em funções de alta ordem atuando como funções de primeira classe, não só em Ruby mas como na maioria das linguagens. Um exemplo em Ruby: [1, 2, 3].map { |item| item + 1 } # => [2, 3, 4] No exemplo, Array#map é uma função de alta ordem, e a função/bloco, passada como ...


6

De acordo com essa discussão no GitHub, isso é um bug do Rails 4.0, que foi corrigido na versão 4.0.1. Atualizando seu Rails, você poderá incluir o readonly(false) no seu escopo e irá funcionar: class License < ActiveRecord::Base has_many :license_items, -> { joins(:item).where(items: {deleted: false}).readonly(false) }, ...


6

Quando se cria uma string usando :string, essa string é única em todo o programa, i.e. o sistema verifica se já existe uma string com esses caracteres, e se existir ele a reutiliza, em vez de criar uma nova. Esse tipo de string é chamado symbol (símbolo), e além de única ela também é imutável. Já quando se usa 'string', cria-se um novo objeto, normalmente, ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam