Novas respostas marcadas com a tag

2

Para resolver esse problema precisa só da função bizeq. Esse código simplificado já resolve o seu problema: library(bizdays) dias_uteis = bizseq("2020-01-01", "2021-01-01", "Brazil/ANBIMA") Eu verifiquei no google e realmente existem 251 dias úteis em 2020.


1

Se compreendi a pergunta, não é necessário o split, basta passar o fator y a cada teste. t_tests <- lapply(names(df_1)[1:3], function(nms){ pairwise.t.test(df_1[[nms]], df_1[['y']], p.adjust.method = 'bonferroni') }) t_tests #[[1]] # # Pairwise comparisons using t tests with pooled SD # #data: df_1[[nms]] and df_1[["y"]] # # 1 2 #2 1 - #3 1 1 #...


1

O problema do está no x e no g, você deve substituir o lt_1 por i: for (i in lt_1) { for (f in names(i[, 1:3])) { print(pairwise.t.test(x = i[, f], g = i[['y']], p.adj = 'bonferroni')) } } Entretanto, para os dados que você está utilizando, nenhuma matriz é gerada, pois a variável resposta y é um factor de apenas 1 valor. Para gerar a tabela é ...


0

Breve explicação sobre estéticas no ggplot2 O ggplot enxerga as estéticas sob dois pontos de vista possíveis. No primeiro deles uma estética - digamos uma cor - inclui informação (caso em que ela está dentro do aes()); no segundo ele não informa nada e é apenas uma atributo estético do gráfico (caso em que ele está fora do aes() e é atribuído como argumento ...


3

Não vou tratar do loop 1 e 2 porque eles funcionam e também porque eles são a mesma coisa com a diferença que uma usa a variável vars e a outra a calcula on the fly (no comando do loop). Vou comparar os loops 3 e 4 com o 1. Vou mudar de 6 colunas para duas para que a resposta fique menos prolixa. Outra mudança que vou fazer é trocar o "cálculo complexo" no ...


3

Tente com writexl install.packages('writexl') library(writexl) write_xlsx(x = trump, path = 'trump.xlsx')


1

A sua acurácia está dando 100% porque os dados do seu conjunto de teste estão presente no conjunto de treino. Como o resultado do KNN é medido pela distância entre pontos, e seu conjunto de teste está presente no conjunto de treino, ele vai sempre acertar. Uma dica extra é, sempre que for otimizar um hiper-parâmetro de um modelo (como o K do KNN), crie um ...


1

Solução tidyverse: library(tidyverse) dados %>% group_by(Municipio) %>% mutate(var_1 = n()) %>% mutate(var_2 = n_distinct(Genero)) %>% filter(var_1 == 2 & var_2 == 2) %>% select(- c('var_1', 'var_2')) Output: # A tibble: 4 x 3 # Groups: Municipio [2] Candidato Municipio Genero <fct> <fct> <fct&...


1

Olha Phill, o código abaixo resolve o seu problema: '%ni%' <- Negate('%in%') cidades <- unique(dados$Municipio) for(cidade in cidades) { generos <- subset(dados$Genero, dados$Municipio == cidade) if('M' %ni% generos | 'F' %ni% generos | length(generos) > 2) dados <- dados[which(dados$Municipio != cidade),] } O data frame que essa ...


0

Existem diversas forma de formatação de data, seguem alguns exemplos e respetivas formações: Formatando Datas %d: dia do mês em 2 dígitos (13) %m: mês em 2 digitos (01) %y: ano em 2 dígitos (82) %Y: ano em 4 dígitos (1982) %A: dia da semana (Friday) %a: dia da semana abreviado (Fri) %B: mês (July) %b: mês abreviado (Jul) Formatando Time %H: hora (00-23) %...


5

Devo escalonar minhas entradas? A reposta é: depende. A verdade é que escalonar seus dados não irá piorar o resultado, então, na dúvida, escalone. Casos em que se deve escalonar Se o modelo se baseia na distância entre os pontos, como algoritmos de clusterização (k-meas) ou redução de dimensionalidade (PCA), então é necessário escalonar/normalizar suas ...


1

Pode fazer tudo numa linha de código. E muito mais legível. Existe um método format.Date para objetos de classe "Date", basta usá-lo. Tem ainda a vantagem de poder usar qualquer formato de datas, uma lista completa está aqui ou veja help("strptime"). format(Sys.Date(), format = "%d/%m/%Y") #[1] "06/01/2020" baseEstatistica[6,2] <- format(Sys.Date(), ...


2

A resposta foi mais simples do que eu imaginei, bastou utilizar um baseEstatistica[6,2] <- as.character(Sys.Date()) Mas a data saiu no formato abaixo: Atualizei o codigo da data para o formato abaixo: datavaalicao <- as.character(dataMesAvaliacao) baseEstatistica[6,2] <- paste(str_sub(datavaalicao, 9,10),str_sub(datavaalicao, 6,7),str_sub(...


4

Para unir os 2 data.frames em linhas você pode usar a função rbind.data.frame ou somente rbind. Entretanto, no seu caso vai dar erro falando que os data.frames tem nomes de colunas diferentes. Você vai precisar renomear as colunas de modo que tenham o mesmo nome. O código abaixo deve resolver seu problema: names(dadosFiltradosMusicalArtist) <- names(...


0

dfs <- paste0("df", sprintf("%02d", 1:10)) ## Você pode atribuir valores de objetos diretamente às strings ## de nomes que quiser com a função assign() for(i in dfs){ my_dfi <- mtcars[sample(1:nrow(mtcars), size = 5),] assign(i, my_dfi) } ## Você pode acessar os objetos chamando pelas strings de nomes ## com a função get() a alguma forma de loop ...


5

No help da função ggplot2::theme, é possível encontrar o argumento strip.text. A descrição dele é a seguinte: facet labels (element_text(); inherits from text). Portanto, basta alterar a opção de strip.text dentro de theme para obter o resultado desejado: library(ggplot2) ggplot(mpg, aes(x=displ, y=hwy)) + geom_point() + geom_smooth(method="lm", se=...


2

Pode fazer isso com sprintf: id <- 1:20 sprintf("%02d", id) # [1] "01" "02" "03" "04" "05" "06" "07" "08" "09" "10" "11" "12" #[13] "13" "14" "15" "16" "17" "18" "19" "20"


4

Aqui há algumas opções. Você poderia usar: b <- 01 paste0("0",b) ou ainda: formatC(b, width=2, format="d", flag="0") o que resulta em: [1] 1 [1] "01" [1] "01"


1

Pode tentar dessa forma: library(XML) doc<-xmlParse("base.xml") nodes = getNodeSet(doc, "//test:house//test:billing//test:proceduresummary") df=xmlToDataFrame(nodes=nodes ,stringsAsFactors = F) df$amount=gsub("HOSPITAL","",df$procedure) # > df # guidenumber diagnosis procedure amount #...


1

Para ler os dados a função read.csv2 é mais apropriada, pois já tem como separador de colunas o ";". Pode plotar todos os anos no mesmo gráfico com facet_grid ou facet_wrap. Neste caso vou usar a segunda função. A ideia de transformar os meses com o pacote lubridate deve-se à resposta do Marcus Nunes. Vou ainda rodar 60 graus a anotação do eixo dos x. ...


4

Por definição, o ggplot2 não plota os gráficos se eles estiverem sendo gerados dentro do um loop. Para que os gráficos apareçam, é necessário plotá-los explicitamente através da função print: library(ggplot2) for(i in 1992:2019){ ano<-filter(Ind_mensais,vano == i) print(ggplot(ano,mapping = aes(x =mes,y=latrocinio))+geom_line()) } Note que isso vai ...


5

A seguinte função não remove objetos de classe obj.class que correspondam a pattern. keepObject <- function(pattern, obj.class, envir = .GlobalEnv){ obj <- ls(envir = envir) obj <- obj[!grepl(pattern = pattern, obj)] i <- unlist(lapply(obj, function(o) inherits(get(o), obj.class))) rm(list = obj[i], envir = envir) } ls(pattern = "^DF") #...


As 50 principais respostas recentes são incluídas