Respostas interessantes marcadas com a tag

10

O motivo exato é difícil definir, é assim porque se tornou assim. Provavelmente porque cada um achou que aquilo atendia melhor suas necessidades. É uma questão em parte técnica e parte comercial (lock-in). A linguagem SQL ANSI ou ISO é uma só, mas segue-a estritamente quem quer, e ninguém quis. De certa forma o correto é chamar cada SQL com um nome ...


6

Além do operador like, conforme o Denis apontou temos também as expressões regulares no PostgreSQL, que facilitam muito as buscas e permitem "desligar" o case sensitive. Para entender melhor vamos usar a tabela abaixo de exemplo: # ------------+----------- # name | username # ------------+----------- # Joao Pedro | Joaopedro # ------------+----------...


5

Isso ocorre porque você não tem nenhum critério sobre a tabela que esta sendo atualizada. Veja, você tem: update reference_vendor set internalid = v.internal_id reference_vendor é a tabela que você quer atualizar. Depois você tem a fonte de dados para a atualização: from reference_vendor rv inner join contract_reference v on v.external_id = rv....


5

Claro que faz diferença, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Saiba que do ponto de vista interno o PostgreSQL já cria uma nova linha e cria outra sempre que for fazer um UPDATE, porque ele trabalha com uma técnica chamada MVCC (Multi Version Concurrency Control), oque é simples para manter o isolamento e consistência nas transações. Então a ...


4

Por que o Dapper foi criado assim, as tecnologias tem suas características próprias, seja para atender uma demanda que exige que seja assim, seja por vontade de quem a criou, seja por deficiência. O Dapper tem como objetivo acesso o banco de dados de gerar um objeto para consumo na sua aplicação e praticamente mais nada. Comparar com outra tecnologia não ...


4

A mensagem de erro apresenta erro de sintaxe na montagem da query na linha cpf integer(11) NOT NULL UNIQUE; você está querendo um inteiro mas está definindo um tamanho para ele, o que não é necessário. const QString sqlTable = "CREATE TABLE IF NOT EXISTS sch_tg.va_atiradores(\n" "id SERIAL PRIMARY KEY,\n" "nome varchar(...


4

Utilize: MD5('String') Por exemplo: INSERT INTO users (username, password) VALUES ('Luiz', MD5('Segredo'));


4

@Magno, Fiz uma adaptações, veja se isso resolve a tua dúvida. https://www.db-fiddle.com/f/iDMiXohGAFLqxBG2bm2HvX/0 Veja que um dos casos não vai retornar conforme o esperado (o 666), uma vez que a data do tipo PENDENTE é maior que o da ANOMALIA. A posição de inserção não é o que irá determinar o registro, mas a data que a consulta está ordenando. with ...


3

Complementando a resposta do Maniero, o seu código é perigoso porque você está concatenando os valores na string e fica sujeito a um SQL Injection. Segue um exemplo simples de insert com o Dapper // Insert using (var db = new SqlConnection(connstring)) { const string sql = @"INSERT INTO [Region] (Name) VALUES (@Name)"; db.Execute(sql, new { Name = ...


3

A princípio, sua query está correta, ela pegou o menor e o maior data_hora de cada dia. Mas se esse "noturno" que você diz seria considerar determinados horários como sendo o dia anterior, o que você pode fazer é, antes de agrupar, remover x horas. Por exemplo, se qualquer horário antes das 08:00 é considerado dia anterior, bastaria fazer assim (o problema ...


3

Não é possível saber qual classe base de formulário você está utilizando se é forms.Form ou forms.ModelForm a questão é se for forms.Form o mesmo está tentando salvar uma instância de Student que já possui um CPF cadastrado o que é impossível visto que você definiu o campo com unique=True. Agora se estiver utilizando como base forms.ModelForm basta você no ...


3

Em uma frase: para usar múltiplas aspas no R, escapes as aspas do texto ou envolva o texto em aspas diferentes das aspas usadas no texto. Em maiores detalhes O r não diferencia aspas duplas ou simples para designar vetor de classe character. "Um texto" # duplas # [1] "Um texto" 'Um texto' # simples # [1] "Um texto" A coisa muda de figura, no entanto, ...


3

Consegui concluir a função, segue abaixo como ficou o esboço do código: CREATE OR REPLACE FUNCTION verificarDb (tb varchar)RETURNS BOOLEAN as $$ DECLARE result boolean; BEGIN execute format ('SELECT EXISTS (select 1 from pg_class where relname = ''%s'' and relkind=''r'');', tb) INTO result; if result = FALSE then ...


3

Achei que o problema estaria no cast; fui criar este fiddle e percebi que a mensagem de erro (42601: syntax error at or near "'day'") está relacionada ao alias, não ao extract. Removendo as aspas, o problema está resolvido: select name, cast(Extract(day from payday) as int) as day from loan;


3

Ta faltando colocar as multiplicações dentro dos parênteses (ex: SCO.MATH 2) . Outra coisa é que no alias não pode colocar aspas simples ( '' ), causa erro. A query ficaria: SELECT CAN.NAME AS NAME, ( ( (SCO.MATH * 2) + ( SCO.SPECIFIC * 3 ) + ( SCO.PROJECT_PLAN * 5 ))/10) AS AVG FROM CANDIDATE CAN JOIN SCORE SCO ON CAN.ID = SCO.CANDIDATE_ID ORDER BY ...


3

SELECT inf.routine_name, par.data_type, par.ordinal_position, par.parameter_name, par.parameter_mode FROM information_schema.routines inf LEFT OUTER JOIN information_schema.parameters par ON inf.specific_name = par.specific_name WHERE inf.specific_schema='name_schema' and par.parameter_mode = 'IN' ORDER BY inf....


3

SELECT DISTINCT EX.GSM, EX.MOTIVO_ENVIO, EX.STATUS FROM EXPORT EX WHERE EX.STATUS = 'ANOMALIA TEMPORÁRIA' AND EXISTS ( SELECT TMP.GSM FROM EXPORT TMP WHERE TMP.GSM = EX.GSM GROUP BY TMP.GSM HAVING COUNT(TMP.GSM) = 1) Dessa forma, você exibe todos os resultados de GSM que são únicos (a subquery usa ...


3

Protocolos sem nenhuma análise: SELECT * FROM protocolo WHERE NOT EXISTS (SELECT 1 FROM analise WHERE protocolo.prefixo = analise.prefixo AND protocolo.numero = analise.numero AND protocolo.ano = analise.ano); ou ainda: SELECT protocolo.* FROM protocolo LEFT OUTER JOIN analise ON (protocolo.prefixo = analise.prefixo AND protocolo.numero = analise.numero ...


3

Esta forma pode ser interessante em boa parte dos casos como otimização. Em geral você precisa dos dados do usuário em vários contextos mas não a foto, então pode ser que tendo só os dados consiga ler vários deles em um único acesso ao meio de armazenamento que costuma ser bem lento. Se tiver tudo junto é provável que cada usuário provoque pelo menos um ...


2

Na classe Tabela1, você pode precisa mapear o schema para a classe Tabela2 utilizando a propriedade "targetEntity": @OneToMany(targetEntity=Tabela2.class, mappedBy = "tabela1") private List tabela2= new ArrayList();


2

Com a função nativa generate_series(start, stop, step) Para o seu caso Select generate_series(10001 , 10003,1); Veja no funcionando no SQLFiddle


2

À partir da versão 9.3 você tem o módulo unaccent Para instalar um módulo no PostgreSQL, proceda assim: 1- Verifique se o módulo está disponível Select * from pg_available_extensions(); 2- No caso, o módulo unaccent é distribuído com o PostgreSQL, então adicione: CREATE EXTENSION unaccent; Agora você é capaz de executar a seguinte consulta: Select ...


2

Para isso existe a função substr substr(string, from [, count]) substr('alphabet', 3, 1) retorna p (terceira posição , um caractere) Veja funcionando no SQLFiddle


2

Penso que o mais simples será (utilizando a dica da 3ª letra): SELECT * FROM fnord WHERE substr('illuminati', 3, 1) = 'a' O 1º parâmetro é a string que quer validar, o 2º é o índice e o 3º é a quantidade de caracteres que pretende "retirar" (é opcional).


2

É bem simples, transforme a coluna em tipo numérico. Use texto para colunas descritivas, mesmo que tenha só dígitos numéricos nela. E use colunas numéricas quando precisa fazer contas, como esta. É até possível fazer desta forma, mas é tão mais complicado que o ideal é mudar a coluna. Não trabalhe com conceitos errados que o problema vai ficando cada vez ...


2

Exemplo simples de utilização do Entity Framework (EF) e where dinâmico. Contexto public class Conexao : DbContext { public Conexao() : base("Conexao") { Database.SetInitializer<Conexao>(null); } public DbSet<Pais> Pais { get; set; } public DbSet<Estado> Estado { get; set; } protected override ...


2

form.save() salva o form, e não o student. Como o form possui todos os dados, ele tenta criar um novo registro. Tente trocar a linha student = form.save() por student.save()


2

Considerando todos os comentários, e em especial a indicação do @rLinhares, será que isto resolverá o seu problema? CREATE TABLE table1 { dummy_id BIGINT GENERATED BY DEFAULT AS IDENTITY PRIMARY KEY, id BIGSERIAL NOT NULL, version INT NOT NULL, UNIQUE(id, version) } CREATE TABLE table2 { dummy_id ...


2

Você pode explícitar o nome da tabela no banco SQL preenchendo o campo db_table nos metadados de um model. Numa declaração convencional, os metadados ficam ficam dentro da classe aninhada com o nome "Meta" - Então uma forma de criar vários modelos dinâmicamente, cada um apontando para uma tabela, é criar esses modelos dinâmicamente com chamadas a type, ...


2

Como você tem muitas colunas, o ideal para que não esqueça nenhum campo é referenciar as colunas de todos os campos; tente o where assim: WHERE (m.mov_tipo = 'E') AND (m.mov_data >= '01/06/2018') AND (m.mov_data <= '06/10/2018') AND (m.set_entrada = 4) AND (p.pro_codigo = 204) ORDER BY s.set_codigo ASC, m.mov_data ASC


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam