Use Stack Overflow for Teams no trabalho para encontrar respostas num ambiente privado e seguro. Os primeiros 10 usuários são grátis. Registre-se

Respostas interessantes marcadas com a tag

9

Se você se refere ao needle plot, isto é, plotar as variáveis como barras saindo do eixo zero (ou mínimo), basta colocar o parâmetro type = h no plot. Por exemplo: with(economics, plot(date, unemploy, type="h")) Como você mencionou histograma,talvez você queira ver os pontos de uma única variável ao longo de uma linha. Para isso você pode usar o dotplot ...


8

Use o comando draw.circle do pacote plotrix: x <- seq(-3, 3, by=0.01) y <- x^2 plot(y ~ x, asp=1, type="l") library(plotrix) draw.circle(1, 1, 1, border="red") draw.circle(1, 1, 2, border="green") draw.circle(1, 1, 3, border="blue") A sintaxe do comando draw.circle é bem simples: o primeiro argumento é a coordenada do centro do círculo no eixo x o ...


7

Eu recomendaria utilizar ou o ggplot2 ou o lattice, ambos funcionam de forma que os gráficos são objetos do R, que podem ser modificados, salvos etc de maneira fácil. Por exemplo: library(ggplot2) grafico_ggplot <- ggplot(mtcars, aes(mpg, cyl)) + geom_point() grafico_ggplot library(lattice) grafico_lattice <- xyplot(cyl~mpg, mtcars) grafico_lattice ...


7

Segue uma possível solução, usando geom_text: set.seed(1) x <- rnorm(100) y <- rnorm(100) + 2*x +10 modelo <- lm(y~x) coeficientes <- modelo$coefficients texto <- sprintf('y = %.2f + %.2fx, r² = %.2f', coeficientes[1], coeficientes[2], summary(modelo)$r.squared) require(ggplot2) dados <- data.frame(x=x, y=y) # O ggplot2 exige que os dados ...


7

Uma maneira é usar a função coplot: coplot(y~x |w, data=dados) Também é possível fazer com o ggplot2 usando facet_wrap: library(ggplot2) ggplot(data=dados, aes(y=y, x=x))+ geom_point(aes(color=w))+facet_wrap( ~ w)


7

Outra alternativa é utilizar o pacote ggplot2: set.seed(1) x <- rnorm(100) y <- rnorm(100) + 2*x +10 require(ggplot2) dados <- data.frame(x=x, y=y) # O ggplot2 exige que os dados estejam em um data.frame p <- ggplot(dados, aes(x=x, y=y)) + # Informa os dados a serem utilizadps geom_point() # Informa que eu quero um gráfico de dispersão. p ...


7

Coloque o argumento legend=FALSE no comando do teu gráfico: plot(curva5r, ylab= "Dose (%)", xlab = "Dose (g.e.a. de glyphosate ha-1)", legend=FALSE) Exemplo reprodutível com um conjunto de dados do próprio pacote drc: library(drc) S.alba.m1 <- drm(DryMatter~Dose, Herbicide, data = S.alba, fct = LL.4()) plot(S.alba.m1) plot(S.alba.m1, legend=FALSE)


6

Você pode usar a função abline junto com coef para extrair os coeficientes do modelo e plotar a linha: plot(y~x) abline(coef(modelo))


6

Com a função plot base, você teria que ordenar os dados antes: plot(saldo,y) lines(data$saldo[order(data$saldo)], default.glm$fitted[order(data$saldo)], type="l", col="red") Com o gpplot2 você não precisa ordenar, só plotar x contra o ajuste. library(ggplot2) grafico <- ggplot(data, aes(x=saldo, y=y)) + geom_point() + geom_line(...


6

Se tu estiver usando os comandos básicos do R para fazer o gráfico (plot()), tu pode mudar o eixo x/y com o parâmetro xlim/ylim x <- rnorm(100, 10, 2) y <- rnorm(100, 100, 20) plot(x, y) plot(x, y, xlim = c(0, 120)) # Alterando somente o eixo X plot(x, y, ylim = c(0, 120)) # Alterando somente o eixo Y plot(x, y, xlim = c(0, 120), ylim = c(0, 120)) # ...


6

Por padrão, o R considera que sua plot cria quatro eixos: eixo 1 (equivalente ao eixo x, com escala definida) eixo 2 (equivalente ao eixo y, com escala definida) eixo 3 (paralelo ao eixo x, sem escala definida) eixo 4 (equivalente ao eixo y, sem escala definida) Em um gráfico tradicional, estes eixos podem ser desligados através do argumento axes=FALSE: ...


5

Se entendi bem o teu problema, basta retirar o sort do argumento y da função ggplot: library(ggplot2) library(reshape) cultivar <- c("IB0094", "IB0094", "IB0094", "IB0094", "IB0094", "IB0094", "IB0095", "IB0095", "IB0095", "IB0095", "IB0095", "IB0095") parametro <- c("CSDL", "SDPDV", "PODUR", "THRSH", "SDPRO", "SDLIP", "CSDL", "SDPDV", "...


5

Neste caso você pode incluir mais um elemento ao seu gráfico especificando que a variável ind vai gerar diferentes facetas, isto é, facet_wrap(~ind): ggplot(data=df, aes(x=df$m, y=df$X2, colour=ind))+ xlab('m') + ylab('Taxas')+ theme(legend.title=element_blank(), legend.position='top') + ggtitle('.')+ geom_point()+ geom_line()+ geom_point(aes(x=...


5

Você também pode usar a função plot mod <- loess(Income ~ Education, data = Income) Income <- transform(Income, Fitted = fitted(mod)) plot(Income ~ Education, data = Income, type = "p", col = "red", cex = 1.25) lines(Fitted ~ Education, data = Income, col = "blue") with(Income, segments(Education, Income, Education, Fitted))


5

Pode também usar a biblioteca lattice para isso. library(lattice) xyplot(y~x|w, data=dados)


5

Não pude usar seus dados mas aqui vai um exemplo: set.seed(42) x <- rnorm(200, 10) hist(x) Defina o limite desejado: lim <- seq(from = 6.7, to = 13.7, by = 1) > lim > [1] 6.8 7.8 8.8 9.8 10.8 11.8 12.8 Faça o histograma usando o comando xaxt = 'n' para plotar sem o axis x, e então use axis() para adicionar os valores correspondentes com ...


5

Uma maneira de fazer isso é criando um vetor com a função seq. Como o nome sugere, a função seq cria uma sequência de números. Basta informar o valor inicial, o valor final e o incremento. No exemplo abaixo, eu crio uma sequência que começa em 30 e vai até 32, aumentando de 0.1 em 0.1: seq(from=30, to=32, by=0.1) [1] 30.0 30.1 30.2 30.3 30.4 30.5 30.6 30.7 ...


4

É possível fazer com as funções base, colocando cores semi-transparentes: h1<-hist(grupo1) h2<- hist(grupo2) plot(h1, col=rgb(0,0,1,1/4), main = "Histogramas", xlab = "x", ylim =c(min(min(h1$counts), min(h2$counts)), max(max(h1$counts, max(h2$counts)))), xlim=c(min(min(h1$breaks), min(h2$breaks)), max(max(h1$breaks, max(h2$breaks))...


4

Uma outra maneira é usar a função curve. curve(coef(modelo)[1]+coef(modelo)[2]*x,add=TRUE,col = "blue",lwd=2) Uma vantagem dessa função é que ela também serve caso o modelo envolva componentes não lineares. Como no caso abaixo: n=1000 x1 = rnorm(n) y = 5 + 4*x1 + 2*x1^2 + rnorm(n) modelo <- lm( y ~ x1 + I(x1^2) ) plot(y~x1) curve(coef(modelo)[1]+coef(...


4

Uma "solução" parcial seria gerar um spline com muitos pontos (uns 100 por exemplo) que aí as cores teriam menor probabilidade de ficarem em lugar errado. Mas essa solução pode gastar muita memória se sua base de dados for grande e vai suavizar o gráfico. Ex: df2 <- data.frame(spline(df$x, df$y, n = 100*nrow(df))) df2$cat <- df2$y>0 ggplot(data = ...


4

Utilize as funções expression e atop dentro do argumento main do plot: plot(a, main=expression(atop("Curva da Vida dos Genes Fluxo Vida", paste("Y = " , alpha, " + ", beta, "X", " + ", epsilon))))


4

Tentativa de solução: Passo 1: Gerar os dados # pacotes library(tidyverse) library(mvtnorm) # reprodutibilidade set.seed(10) # observações N <- 1000 # lista de parâmetros parms <- list( a = list(mu = c(0, 0), sigma = matrix(c(4, 2, 2, 4), nrow = 2)), b = list(mu = c(5, 5), sigma = matrix(c(4, -2, -2, 4), nrow = 2)) ) # cria base de dados dados &...


4

O erro esta, provalvemente, em tenta plotar "Dias de chuva" antes de par(new = TRUE). Além disso, depois de par(new = TRUE) você tem que criar um novo plot() para então plotar linhas com o lines(). Tentei modificar seu código sem seus dados, mas como Rafael Cunha destacou, é importante que nas próximas perguntas você sempre disponibilize uma parte dos dados ...


4

Para mim, a questão dos labels dos eixos é mais fácil de resolver utilizando o pacote ggplot2 para fazer o gráfico. Para isto, é necessário primeiro preparar os teus dados de modo que eles fiquem em três colunas: sinal, com os valores de cada sinal, um após o outro tempo, com os valores temporais para cada sinal, o que implica que esta coluna terá n valores,...


4

O código abaixo usa dados novos, já que os dados originais não foram fornecidos na pergunta. time <- 3:10 tq1_mean <- 3:10 sd <- sd(tq1_mean) plot (time, tq1_mean, type ="p", col = "red", ylim=c(0, 15)) # desenha o traço vertical segments(time,tq1_mean - sd, time, tq1_mean + sd) # Define o tamanho dos traços horizontais tamanho <- 0.1 # ...


4

O ggplot2 se perde no teu gráfico com dois grupos porque, na realidade, tu tem duas variáveis de agrupamento para o teu problema: grupo (com os níveis A e B) e variable (com os níveis v1 a v5). Uma forma de resolver isso é criando uma terceira variável, que indique a interação entre elas. A função interaction faz isso perfeitamente e pode ser aplicada dentro ...


3

Você deve usar o recordPlot para isso. Veja como: x<-1:10 y<-10:1 plot(x,y) grafico <- recordPlot() plot.new() grafico O intuito do recordPlot é exatamente o que o próprio nome diz. Guardar o resultado de um plot em uma variável para depois plotá-lo novamente. A linha plot.new() cria ou inicia um novo frame para que o gráfico seja plotado. Ao ...


3

O código a seguir deve fazer o que você precisa: df_long <- plyr::ldply(1:5, function(i){ aux <- df[,(2*i -1):(2*i)] names(aux) <- c("valor_letra", "valor_k") aux$letra <- LETTERS[i] aux$K <- i aux }) df_long$K_menor <- ifelse(df_long$valor_k < 0.05, "menor", "maior") ggplot(df_long, aes(x = valor_letra, y = valor_k, shape = ...


3

Usando o ggplot2 o seguinte gráfico de dispersão: library(ggplot2) ggplot(faithful, aes(x = eruptions, y = waiting)) + geom_point() + xlim(0.5, 6) + ylim(40, 110) Pode ficar assim, apenas trocando a linha geom_point: ggplot(faithful, aes(x = eruptions, y = waiting)) + stat_density_2d(aes(fill = ..level..), geom = "polygon") + xlim(0.5, 6) + ...


3

No ggplot2 você pode utilizar o geom_segment para traçar retas entre os pontos e os valores previstos pelo modelo. Mas antes você precisará rodar o modelo "por fora" do gpplot2 para obter os valores previstos. Rodando o modelo e adicionando uma coluna à base de dados: require("ggplot2") mod <- loess(Income ~ Education, data = Income) Income <- ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam