Novas respostas marcadas com a tag

1

Pense na classe, como uma estrutura similar a um JSON, o JSON é uma estrutura simples, similar ao XML, é bom salientar que a classe é um modelo/template, e o objeto JSON é um modelo personalizado com valores ou estado: Sua classe: class Pessoa { } Quando você constrói um JSON, escreverá algo similar a isso: var pessoa = {propriedade: "valor"} Quando ...


3

TL; DR Pra mim se você não está usando os pilares de OOP não está fazendo OOP. E pra mim quase todo projeto que se diz OO (não programação) no fundo chama OO porque está na moda. Algumas pessoas discordam disso. Projetos coesos e não acoplados são sempre desejáveis e isto pode ser obtido no procedural, especialmente se aplicar a modularização, as pessoas ...


1

Existem três opções clássicas (e não apenas duas) Veja o artigo Tipos de Herança no Hibernate https://www.devmedia.com.br/tipos-de-heranca-no-hibernate/28641 que detalha as três opções. O artigo ainda esclarece como o código que realiza o mapeamento entre OO e relacional pode ser implementado com o apoio do Hibernate. O domínio deste problema é conhecido ...


0

A classe no javascript não trabalha com escopo utilizando var, se você retirar o var do inicio da sua propriedade endereço funcionará. Mas será atributo o valor undefined de início. Dentro do javascript ele entende classe como um objeto. Por exemplo class ClasseObjeto { propriedadeA // undefined constructor(){ this.propriedadeB = true; } getA() { ...


1

Sim, até tem um nome modelo anêmico. O que não quer dizer que esteja certo. Seu segundo exemplo já esta mais alinhado com a ideia da orientação a objetos. Um link pra entender um pouco mais: https://blog.caelum.com.br/o-que-e-modelo-anemico-e-por-que-fugir-dele/


1

Sim, é possível, mas ... Bibliotecas e frameworks são exemplos concretos de reutilização de código. No Github não será difícil encontrar projetos que atendem domínios específicos e, consequentemente, reutilizar o código disponibilizado. Por outro lado, contudo, a ideia de criar, por exemplo, a classe Produto "definitiva", ou a classe Pessoa, parece ...


2

Métricas são relevantes, você deve usá-las! Você deve sim fazer uso de valores "clássicos" e se basear neles para, caso sejam "desobedecidos", fazer a devida investigação, que pode resultar na necessidade de ajuste do código ou na constatação de um falso positivo. Neste sentido, se faz uso de Java, entendo que deve fazer uso de ferramentas como Checkstyle e ...


1

(reflexão) Minha ideia é procedural ou orientada a objetos quando estou codificando? Entendo que você quer uma orientação para seu uso enquanto está programando e, de repente, se pergunta, estou programando preceduralmente ou compatível com o paradigma de orientação a objetos? Você quer saber se o que está codificando, em um dado momento, para um dado "...


1

Conceito representado por um objeto Um projeto orientado a objetos terá classes e as instâncias correspondentes precisam ser criadas. O GRASP contribui com o padrão Criador com o propósito de orientar quem deveria criar uma instância de uma dada classe. Em tempo, trata-se de uma heurística, não é uma regra. Um dos benefícios propalados da orientação a ...


1

APOO é uma ferramenta. Qual o uso pretendido? APOO é uma forma de ver um problema e também de ver/conceber uma solução. Conceitos como classe, herança e vários outros pertinentes à orientação a objetos são instrumentos empregados para modelar, registrar e analisar este problema, assim como uma solução (código) proposta. Se, ainda hoje, há publicação ...


0

Orientação a objetos é uma estratégia Orientação a objetos é uma estratégia para auxiliar o processo de design. O SWEBOK, versão 3 (aqui), registra o "corpo de conhecimento" da engenharia de software e fornece detalhes. Assim como outras estratégias, não foi desenvolvida nem indicada para "todos" os cenários. Dito isto, talvez seja interessante observar o ...


1

Se a função for somente para validar o Nome, você poderia já fazer o select na tabela usando o valor passado por $_POST['add_nome'] e a partir disso é só você fazer o tratamento usando if caso o select retorne True ou False. Mais ou menos desse jeito: $usuario = new Usuario($_POST['add_nome'], $_POST['add_email'], $_POST['add_tipo'], $_POST['add_senha']); $...


4

Mais uma vez repito aqui no SOpt: não existe isso de melhor opção, de boa prática, existe o que é o mais adequado no caso específico. Boa prática é a muleta que as pessoas usam para poder seguir receita de bolo sem aprender o fundamento do que está fazendo e tomar decisões corretas. Outra coisa que falo muito é que um exemplo artificial é ruim porque não é ...


1

Hoje, o que existe é uma proposta para que haja, de fato, membros privados de uma classe. Um exemplo é a implementação na V8. E, uma vez aprovado, os membros começarão com #, por exemplo: class Exemplo { #privado = 0; get getPrivado() { return this.#privado; } setPrivado(privado) { this.#privado = privado; } #metodoPrivado() {} } E ...


1

Provavelmente ( digo provavelmente porque não entendo muito bem como o seu jogo funciona ) o problema está no fato de você ter usado -= ao invés de um operador de subtração -. O resultado disso é que você terá o dano dele mesmo reduzido pela defesa. Exemplo: def ataca(): global dano,defesa dano -= defesa print("O monstro te deu %.2f de dano."%...


6

A classe IntegerSet representa um conjunto, então - pelo que entendi - os métodos para união e intersecção deveriam ter estas assinaturas: public IntegerSet intersecction(IntegerSet outro) public IntegerSet union(IntegerSet outro) Ou seja, eles recebem outro IntegerSet e retornam um outro IntegerSet contendo o resultado da intersecção (ou união). Por ...


0

O erro em si é exatamente esse que está descrito pelo compilador, fala o tipo de retorno do método. Se não tiver retorno algum então o tipo é void, assim: public cliente() { Mas todo método que retorna void tende a ser equivocado, então pense bem se deveria ter esse método assim. Se você retorna alguma coisa então o tipo deve ser exatamente do objeto que ...


1

olha - o seu projeto todo - faz umas coisas estranhas pra manipular objetos - e o código não está todo aí, fui ver no github, por conta do contato que tivemos em outra pergunta - https://github.com/ThomasCaio/.RPG . E o problema é que seus monstros diferentes (com "names" diferentes, deveriam ser classes diferentes - você cria tudo como uma mesma classe, ...


2

Pelo que andei analisando, o que faltou no meu código foi a tal da injeção de dependência. Meu erro (segundo minha analise) foi querer referenciar um objeto de uma classe a partir de outro objeto de outra classe (conforme já disseram), porem posso referenciar qualquer objeto através da interface que as classes desses objetos implementaram. O exemplo a ...


0

A questão não é se o uso desses conceitos são bons ou não, a dúvida é em relação a diferença conceitual desses tipos de objetos. Diferença é a Mutabilidade. O que vai ser Entidade ou Value Object depende da modelagem que você vai fazer. Se um objeto dentro do domínio do seu sistema pode mudar de estado, então você vai precisar de um identificador único ...


As 50 principais respostas recentes são incluídas