Respostas interessantes marcadas com a tag

19

A melhor prática é não reinventar a roda. É usar uma ferramenta de log que foi bem pensada e testada por profissionais que se dedicam a isto. E usar estas ferramentas prontas de acordo com as recomendações específicas. Claro que que alguns casos é interessante criar um sistemas próprio, mas você precisa ter um motivo para isto. Eu não acho que soluções ...


14

Achei uma forma bem pratica, que sinceramente não sabia que podia ser feito assim. try { //CODE }catch (Exception e){ Log.e(TAG, "Seu erro: ", e); }


12

Como o que você quer registrar envolve interceptação de ações, o correto é combinar alguma solução de log (resposta do @Maniero) com proxy dinâmico, sendo esta interceptação feita pelo Framework Castle Dynamic Proxy. Entretanto, por ser uma aplicação Web, você terá que registrar os gatilhos usando um contenedor (container) de inversão de controle, neste caso,...


9

A vantagem do SLF4J é que se trata de uma abstração de muitos dos frameworks de log existentes, permitindo a criação de programa, frameworks e bibliotecas independente da implementação concreta de log a ser utilizada. Isso é importante, por exemplo, porque a mesma aplicação pode ser distribuída (deploy) em diferentes servidores de aplicação que usam ...


7

As boas práticas de logging seguem dois princípios base: Um log deve ser eficiente Um log deve ser seguro Eficiência de um log O log deve conter valores verbosos, por exemplo chave=valor (name="john doe"), de forma a que possa ser lido por um humano. Deve-se evitar o registo de informação binária em logs. Deve-se registar sempre o timestamp em todos os ...


7

Um fato é que pela linha de comando você não estará passando pelo Apache, por si só ja é de se esperar que o Apache não vá logar os erros do PHP. A diretiva do php.ini que controla o caminho do log de erros é essa: error_log = /var/log/php_errors.log Vale lembrar que, mesmo com tudo configurado no PHP para logar as coisas que você precisa, nada garante ...


7

Pode utilizar o: tail -f nome_do_arquivo ou: tailf nome_do_arquivo


6

Exatamente como o Paulo Rodrigues citou, o Android, mais especificamente a JVM, permite registrar um Handler para Exception's não tratadas. E, acredito eu, que qualquer biblioteca que permita fazer o report de erros usa a mesma técnica. Tratando Exception's não capturadas A forma mais simples e talvez organizada de fazer é usando a class Application. Onde ...


6

Passo 1. Crie um Model para registrar as ações namespace SeuProjeto.Models { public class ActionsLog { [Key] public Guid ActionsLogId { get; set; } public String Controller { get; set; } public String Action { get; set; } public String Ip { get; set; } public DateTime DateAndTime { get; set; } ...


6

É difícil fazer um tutorial completo, fugiria do foco do site. Você deve ter uma classe que trate disto para você. O ideal é usar uma que já faça todo o trabalho sem grandes preocupações. Uma classe conhecida vai lhe poupar um monte de dor de cabeça do que tentar fazer sozinho. Aí é seguir a documentação. Em essência você deve invocar o log sempre que ...


4

(a pergunta é um tanto quanto ampla e as respostas vão depender da experiência de cada um). Se tiver oportunidade, faça os logs na BD: Torna mais fácil manipular os dados; É simples de limpar e gerir (backups automáticos et al); Tem durabilidade garantida pela BD; Pode aceder à BD por rede facilmente sem ter de partilhar pastas; Nota: No caso de ter uma ...


4

Você pode capturar suas exceções assim com set_exception_handler(): function exceptionHandler($e) { Notificador::logarExcecao($e); throw $e; } set_exception_handler('exceptionHandler'); Dessa forma, você poderá manipular qualquer exceção não capturada. Para manipular os erros, utilize set_error_handler(), que funciona de forma similar. Se você ...


4

Para impedir erros neste tipo de operação você deve controlar a concorrência utilizando, por exemplo uma critical section. Para isso você vai precisar de um objeto do tipo TCriticalSection TQueueLog = class(TThread) private FLog: TStringList; FFile: TStringList; FFileName: string; FCriticalSection: TCriticalSection; function GetLogs: string; ...


4

Eu sei que em Windows quando preciso de algo do tipo uso o Plink, utilitário do Putty que via SSH roda comandos em um servidor remoto trazendo a saída do comando remoto para o Windows. Algo assim, por exemplo: plink DEBIAN_SSH cat /var/log/messages O Plink é um utilitário SSH portanto ele nada mais faz do que rodar um comando no servidor remoto e traz a ...


4

Primeiro precisa decidir o que vai gravar. Tentar logar cada ação do usuário parece inviável. Ficar monitorando os movimentos dele pode ser útil para analisar o uso da interface e como está a experiência, mas deveria ser usado em um momento específico e se tiver alguém que vai saber analisar os dados. Log de uso, que é chamado de auditoria na pergunta, ...


4

O mínimo de data1$microalb é zero. Portanto, log(min(data1$microalb)) = -Inf. Rode summary(log.microalb) para confirmar isto. Exclua as informações infinitas do teu conjunto de dados. Uma maneira comum de fazer isto é adicionando 1 ao vetor que deve ser plotado, pois log(1) = 0. Portanto, qqnorm(log.microalb+1, main="Q-Q Plot - Log microalb", xlab="...


3

Os campos que vai colocar é opcional e depende do que exatamente você quer armazenar, mas acredito que falta o principal um campo para informar o que aconteceu (uma mensagem no log para você identificar do que se trata aquele registro, pois no momento você só identifica que algo aconteceu). Dependendo do tipo de log você poderia ter um campo a mais para ...


3

Provavelmente a sua pergunta será fechada por ser baseada em opiniões, mas acredito que posso responder algo dentro do escopo do SO. Tenhas receios sim, mas não pelo facto da tabela ficar grande e sim optimiza-la da melhor forma. Um bom exemplo de optimização é utilizar índices. O problema não é ser grande, se fosse assim o facebook estaria em maus lençóis,...


3

Todas as maneiras estão corretas, no entanto a medida que a aplicação crescer o seu banco vai inflar e suas tabelas de auditoria vão ficar gigantes e lentas. Em varias aplicações pelas quais trabalhei que possuíam auditoria, todas acabavam tendo este mesmo problema. A principio parece uma boa ideia mas a longo prazo acaba se tornando uma baita dor de cabeça....


3

Trigger existe um consumo extra do SQL, porque ele ficará monitorando tudo, então a um overload em todos os processos. Não recomendo. Claro que desenvolver um software externo é melhor, porém desde que você possa desenvolver, conheça uma linguagem, etc. Mas se for possível opte pelo software externo no lugar de Trigger. OBS: Trigger e Cursor em MSSQL são 2 ...


3

Use o programa multitail. Com ele você pode ver dois (ou mais) logs ao mesmo tempo, renderizados na linha de comando na mesma janela ou em janelas separadas. Site oficial: http://www.vanheusden.com/multitail/ Alguns exemplos: Para ver dois logs locais ao mesmo tempo: multitail /var/log/apache2/error.log /var/log/apache2/error.log.1 Para ver dois logs ...


3

O MySQL não disponibiliza nada assim, até porque não é função dele dar soluções prontas para problemas específicos. Você terá que criar uma estrutura que atenda todas suas necessidade de log e fazer as atualizações na tabela de forma tradicional. As entradas do log são dados como quaisquer outros, não tem nada de especial nele. Nem vou me arriscar dar um ...


3

Uma opção a isso que conheci recentemente, é um auditor, existe um componente de auditoria provido pelo MySQL, o MySQL Audit Enterprise, e existe também o MariaDB Audit Plugin, do MariaDB, que é um auditor, que gera diversos logs que podem ser bastante interessantes, para a auditoria das ações dos usuários na base de dados. Abaixo um exemplo de arquivo de ...


3

No PHP você pode usar a função set_error_handler(), e criar sua própria função de tratamento de erros tipo: minha_funcao_trata_erros(){ //sua lógica } set_error_handler("minha_funcao_trata_erros"); Neste link você pode ver a documentação da função set_error_handler() http://php.net/manual/pt_BR/function.set-error-handler.php


3

Eu não conheço nenhum framework, mas é bem simples de fazer. Criei a função abaixo de exemplo usando o fopen. Na função eu coloquei os arquivos separados por data. Em cada linha do arquivo tem o registo das horas em que ocorreram os logs. function logs($texto){ $hora = date("H:i:s"); // pega a hora $data = date("d-m-Y"); // pega o dia ...


3

Existem alguns sistemas de armazenamento e gerenciamento centralizado de logs. Duas sugestões que eu posso te indicar são o Graylog e o Elastic Stack. Basta redirecionar seus logs para uma dessas duas aplicações, criar seus filtros, gerar seus gráficos estatísticos e alertas. Já usei essas duas ferramentas para fazer análise de trafego de redes e logs de ...


3

O problema mencionado na pergunta em relação à data apresentada, é porque você estava recebendo uma lista e não estava consultando o valor referente a um elemento dela, apenas o default de sua estrutura. Eu utilizaria um Helper para facilitar o mapeamento e consulta dos eventos que você pretende, abaixo segue um modelo básico (utilizando o seu próprio ...


2

A má notícia Você terá que ler todo o arquivo para recuperar as últimas linhas. A boa notícia Com as classes da API collections do Java fica fácil recuperar as últimas N linhas. Procedimento Primeiro, declare um ArrayList antes do while e adicione cada linha na lista ao invés do StringBuffer. Em seguida, remova o critério de parada if (contador > ...


2

Nossa, consegui descobrir o problema! A culpa foi minha, pois não mencionei que, antes de deletar os logs antigos, eu verifico se há logs maiores que 2KB (o que significa que houveram muitos erros naquele dia), para enviá-los por e-mail. O problema veio justamente da parte de enviar os logs, pois eu não sabia que deveria descartar (Dispose) o objeto que eu ...


2

Eu uso assim: Log.e("TAG", Log.getStackTraceString(e));


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam