Respostas interessantes marcadas com a tag

13

Olá, já tive que fazer algo parecido, fica algumas sugestões que melhoraram bastante o desempenho no meu caso. 1 - Altere a propriedade LogChanges do ClientDataSet para False (isso diminui bastante o tempo de inserts em massa) 2 - Se você não está exibindo os dados do ClientDataSet em algum controle visual execute ClienteDataset.DisableControls antes de ...


7

Em relação a memória não há diferença, a instrução import serve apenas para dizer onde se encontram as classes utilizadas. Porém há uma vantagem em usar importando diretamente a classe. Caso existam classes com o mesmo nome em dois pacotes ocorrerá um conflito em relação a qual classe está sendo referenciada. Por exemplo, utilizando os pacotes javax.swing....


7

Naturalmente que sim. Você não precisa armazenar todo o conteúdo do arquivo em memória se pode processar cada linha separadamente, basta ter em memória somente uma linha por vez. $handle = fopen('arquivo.txt', 'r') if ($handle) { while (!feof($handle)) { $row = fgets($handle); // Faz o que precisar com a linha do arquivo. } } A ...


6

Você pode exportar o seu banco no Workbench em Management-> Data Export. Selecionar a database, escolha o diretório e nome do arquivo e clique em Start Export. Será gerado um arquivo sql. Em outro computador, no Workbench, clique em Management-> Data Import/Restore, procure o arquivo sql gerado anteriormente e clique em Start Import. Este é a versão 6.1 do ...


6

Não conheço os detalhes do seu sistema, mas 780 linhas de um arquivo texto por minuto me parece baixo, a não ser que você esteja puxando o arquivo de algum lugar da rede. Pelo que vi, todos os comentários até agora focaram no clientdataset. Acho válido mudar um pouco o foco. Para arquivos "pequenos", utilizar uma StringList para ler o arquivo txt é muito ...


6

Não, a não ser que importe tudo mesmo, até alguma coisa que pode não querer que importe. Nada impede que tenha conflitos de nomes nas classes que forem importadas e você pode nem perceber até usar. Usando o nome explicitamente você seleciona melhor o que será importado. O uso do * garante que tudo será importado, até mesmo o que ainda não existe. Se criar ...


6

Esse é um trabalho para o readr! Com o readr você consegue ler a linhas e ele detecta automaticamente o tipo das variáveis. Veja um exemplo: library(readr) sc <- read_csv2(file = '/media/backup/Microdados/sc2017.csv') nrow(sc) esse arquivo é o arquivo da RAIS relativo a todo o estado de Santa Catarina. Ele se encontra no formato CSV e está disponível ...


4

Existe um conflito entre o nome da classe MenuView e a assinatura do método delegate que também chama MenuView. Em Objective-C, a assinatura do método é MenuView:didTouch, mas em Swift ele é apenas MenuView e gesture sender não aparece no nome. Neste caso, para que não ocorra conflito, seguindo o design pattern do Cocoa o nome do método deveria ser - (void)...


4

Isto vai dar-lhe algum trabalho e idealmente devia estar já numa base de dados. Aqui fica uma ajuda usando RegEx. Expressões regulares podem ser muito úteis neste tipo de situação. Dê uma olhada a esta regex que fiz para o seu caso. Um exemplo online aqui (clique em 'execute code') No fundo vai procurar todas as ocorrências e gerar um array com o que ...


4

O sistema de importação do Flash (no caso do ActionScript 3.0) funciona procurando em duas pastas e suas subpastas (você pode adicionar mais pastas nas preferências do projeto, na seção de bibliotecas): A pasta onde está a Main e a pasta onde o compilador está instalado. No seu caso, basta criar uma pasta, por exemplo, ClassesAuxiliares e colar o arquivo .as ...


4

O padrão do read.spss é transformar as variáveis categóricas em factors (categorias, fatores). Quando uma variável é um factor, ela somente aceita aquilo que você definiu como os levels para ela. Então, quando você tenta fazer um mydata[is.na(mydata)]<- "Outra coisa" o R vai te dar a seguinte mensagem: Warning messages: 1: In `[<-.factor`(`*tmp*`, ...


4

SportaCub boa noite, tem sim. Usando Excel VBA. Também sou usuário, iniciante, do CEI. Talvez ajuda que vou te dar é parcial, entrar no CEI com VBA porém espero com isso darmos inicio a uma jornada de aprendizado juntos, vou aprendendo também como usar e automatizando algumas coisas e te ajudando com isso. Primeiro passo é configurar as referências. no ...


3

Consegui uma solução e vou deixar registrado aqui, caso alguém precise. Criei uma função para verificar o delimitador do arquivo, segue o script completo com o leitor de CSV: <?php function getArquivoDelimitador($arquivo_recebido, $verificar_linhas = 2) { $arquivo_recebido = new SplFileObject($arquivo_recebido); $delimitadores = array(',', "\t"...


3

Exportando na console com Data Pump Você pode exportar (na maquina com Oracle 11) assim: expdp system directory=DATA_PUMP_DIR schemas=seu_schema version=10.2 O nome do directory DATA_PUMP_DIR é obtido via comando SQL abaixo: select * from dba_directories Por acaso DATA_PUMP_DIR é o nome padrão mas o comando SQL acima deve ser executado para verificar ...


3

Amigo você pode usar o pacote com.sun.tools.javac do JDK para compilar um bloco de código em tempo de execução, ou seja seu código em java compilando outro código em java durante a execução. Um exemplo: int errorCode = com.sun.tools.javac.Main.compile(new String[] { "-classpath", "bin", "-d", "/temp/dynacode_classes", "dynacode/...


3

Funções dentro de classes são chamadas de métodos , e eles devem ter como primeiro parâmetro o valor self e após ele o parâmetro que será passado para o método. Todos os seus métodos dentro da classe adicione o self como primeiro parâmetro. Após isso na linha que dá erro é porque como você está dentro da mesma classe a forma de chamar o método que está no ...


3

A restauração usando pg_restore, que é o que está sendo usado pelo PGAdmin não suporta arquivos sql, pois é necessário ter arquivos de formato de backup gerados. Para usar o arquivo sql, você pode abrir o console do pgadmin e escolher no menu a opção Abrir > Arquivo, selecionar o sql e depois acionar a ação Executar. A melhor opção, porém, é usar o psql (...


3

Em Python, as chamadas variáveis globais não são verdadeiramente "globais" - felizmente. Isso as torna gerenciáveis. O modelo que você está tentando fazer não é o melhor - mas faça assim, ganhe alguma experiência e com o tempo vai achar jeitos mais consistentes. Então - quando uma variável é declarada como global dentro de um módulo, ela se torna uma ...


3

Apenas exporte a function o arquivo onde está localizado a função export const getNames = () => produtos.map(({ name }) => name) o arquivo onde você quer usar a função import { getNames } from './path/to/file' Espero que tenha ajudado


3

Pela documentação, você passa require("name-of-file"). Ao chamar require "lili", ele procurará pelos seguintes arquivos: lili lili.lua c:\windows\lili /usr/local/lua/lili/lili.lua No seu exemplo, o require é chamado passando como argumento "calculadora", porém não tem nenhum arquivo chamado calculadora, calculadora.lua ou ...


2

Zuul, infelizmente parece que no seu caso você usa a mesma conta para administrar propriedades de diversos clientes. Se for esse o caso parece que não há nenhuma maneira de transferir a titularidade da propriedade. Se, pelo contrário, você agrupou propriedades em contas separadas (criou uma conta para cada cliente - todas administradas pelo mesmo usuário da ...


2

O Isolated Storage é como podemos gravar informações de nossas aplicações para Windows Phone no aparelho, sem a necessidade de se utilizar um banco de dados SQL Server Compact para isso. Isto economiza uma grande quantidade de tempo que teríamos para criar uma estrutura de banco de dados e configurar o acesso a dados pela nossa aplicação porém não deve ser ...


2

Você pode usar o register_activation_hook, que roda só na ativação do plugin: <?php /** * Plugin Name: (SOPT) Teste Activation Hook */ register_activation_hook( __FILE__, 'activate_sopt_32701' ); function activate_sopt_32701() { // fazer_algo_somente_uma_vez(); } Ou então, usar esta implementação de run_once: /* https://wordpress....


2

Solução basica // Abrir documento fonte $name_src = "nome_documento.txt"; $h_src = fopen($name_src,"r"); // Leitura linha depois linha até o final while (($str_src = fgets($h_src)) !== false) { // Explode sobre TAB $tab = explode("\t",$str_src); // Prepara o query (exemplo com 3 valors per linha) $query_insert = "INSERT INTO ...


2

Você está tentando importar módulos que não vêm "embutidos" quando você instala o Python. Isso quer dizer que você terá que instalá-los manualmente. Você pode fazer isso pelo pip pip install numpy Ou da forma que preferir.


2

Para abrir o banco vai precisar do Progress. Em seguida editar o info.st, inserindo o caminho do banco onde esta gravado. Executar prostrct repair info info.st para reparar o banco no local. Em seguida abrir pelo prowin32.exe, menu Tools, Datadictionary e conectar o banco, inserindo o local do mesmo apenas.


2

Depende meu caro !. Se você utiliza hoje bulk insert para carregar uma determinada tabela, não vejo problema algum. O SSIS ou qualquer outra ferramenta de ETL como o DataStage é bem vinda quando a necessidade de transformação de dados (Por exemplo, se há a necessidade de Lookups, Alteração de Tipo de Dados, Integração entre Sistemas de origem distintos, ...


2

Não aconselho importares módulos pertencentes a uma pasta "pai". Dito isto, se não existe outra solução, o meu conselho é criares um pacotes com o teu módulo e fazeres uma importação relativa. Depois podes efetuar a importação desta forma: from .api import main Mas só depois de criares o módulo. O . antes do nome da "pasta" ou módulo se refere a uma ...


2

Para poder contornar essa situação o que pode fazer é criar uma procedure, nessa procedure criar uma tabela temporária, e fazer a importação desse arquivo na tabela temporária, feito isso, faça insert com select da tabela temporária para tabela oficial. Dessa forma irá conseguir manipular os dados.


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam