Use Stack Overflow for Teams no trabalho para encontrar respostas num ambiente privado e seguro. Os primeiros 10 usuários são grátis. Registre-se

Respostas interessantes marcadas com a tag

38

Eu gosto de usar FOR loops pois o código fica mais enxuto: for (Map.Entry<String,Integer> pair : myHashMap.entrySet()) { System.out.println(pair.getKey()); System.out.println(pair.getValue()); }


13

Cada coisa é uma coisa Antes de mais nada, é importante entender que cada tipo de estrutura de dados possui uma aplicação mais específica. Então, dizer que hashes são mais rápidos que listas encadeadas é comparar laranjas com bananas. Uma "tabela" é bastante eficiente para recuperar um elemento contido nela a partir de uma chave. Isso significa que é ...


11

Usando o método entrySet(), Exemplo: public static void printMap(Map mp) { Iterator it = mp.entrySet().iterator(); while (it.hasNext()) { Map.Entry pairs = (Map.Entry)it.next(); System.out.println(pairs.getKey() + " = " + pairs.getValue()); it.remove(); // avoids a ConcurrentModificationException } } Fonte: https://...


11

Hashmap Não é sincronizada Aceita valores nulos e uma chave nula É possível varrer toda estrutura com um iterador de forma simples Possui containsValue() e containsKey() É mais rápida Consome menos memória Mais moderna Mãe: AbstractMap Hashtable Sincronizada e pode ser facilmente usada em ambiente concorrente Não aceita nulos Iterar é mais complicado ...


10

Quando alguém disser o que deve fazer, peça justificativa. Iteração Iterar qualquer estrutura de dados com um conjunto de dados não tem problema algum, na forma geral. Se quer iterar de forma específica, em uma estrutura específica, e quer um resultado específico, aí pode ter um problema. Essencialmente todas as estruturas de dados básicas podem ser ...


9

HashMap é uma estrutura de dados baseada em espalhamento através de uma função de cálculo hash de uma informação chave do objeto a ser colocado na coleção de dados. Você tem sempre uma chave que é calculada e um valor associado a ela. O acesso é sempre feito pela chave. A forma de acesso é sempre muito rápida e pode, na maioria dos casos ter complexidade de ...


8

Olá @Reginaldo Soares, Para entender corretamente o funcionamento de um Canonicalized Mapping, vamos primeiro entender a acão do Garbage Collector e os tipos de referência que existem em Java. Em Java não liberamos memória programaticamente Como já é sabido pelos programadores, Java é uma linguagem em que não se faz necessário a alocação e desalocação de ...


8

Você não pode fazer isto do jeito que você faz com Lua (que a linguagem que você costuma perguntar mais aqui). C++ é uma linguagem estática e tem características bem diferentes do que você está acostumado. Ou você cria uma struct ou você cria uma estrutura própria que mapeia valores tendo algumas opções. Mapa de valores Provavelmente para conseguir algo ...


7

Deves de fazer separado, isto é percorrer o principal e por cada iteração percorrer o secundário. codigo: for(Map.Entry<Integer,HashMap<Integer,ArrayList<Integer>>> kv: hm.entrySet()){ //percorre map principal System.out.println("Key: "+kv.getKey()); //chave do principal //busca o map inferior dessa key HashMap<...


6

ArrayList é um conjunto de elementos de um tipo definido. É uma estrutura ordenada de dados, ou seja, os valores podem ser acessados por seus índices. Exemplo: ArrayList<string> lista = new ArrayList<>(); lista.add("Stack"); lista.add("Overflow"); Isso seria algo como Index | Elemento 0 | "Stack" 1 | "Overflow" Estes elementos podem ...


5

O Java realmente não tem um Pair propriamente dito. Você pode implementar sua própria classe que lide com o par de dados desejado. Normalmente esta classe é uma implementação da interface Map.Entry<K,V>. Um exemplo de implementação pode ser vista nessa resposta no SO: import java.util.Map; final class MyEntry<K, V> implements Map.Entry<K, V&...


5

Uma solução possível é criares a classe onde agregas esses dados, para depois criares uma lista de todos os objectos dessa classe. //crias a classe com todos os dados que o teu objeto precisa public class myNewObjecto { private integer num1; private integer num2; private ArrayList<Integer> listNumeros; //crias os get/set / @...


5

Map<Integer,String> mapa=new HashMap<Integer, String>(); mapa.put(1, "ze"); mapa.put(2, "mane"); Set<Integer> chaves = mapa.keySet(); for (Iterator<Integer> it = chaves.iterator(); it.hasNext();){ Integer chave = it.next(); if(chave != null){ System.out.println(chave + mapa.get(chave)...


5

Pode usar operações funcionais: map.forEach((key, value) -> { System.out.println("chave: " + key + ", valor: " + value); }); Funcionando no IDEONE.


5

Não funciona porque tens de começar o Iterator de novo porque no segundo while o Iterator está no fim do HashMap: //quero printar se a nota do aluno é maior que a média, mas não funciona //n é a quantidde de alunos i = aluno.keySet().iterator(); while(i.hasNext()){ int chave = i.next(); if(aluno.get(chave) > sumNotas/n) System.out.print(...


5

Uma coisa muito importante para se ter em mente ao usar tabelas hash, especialmente com endereçamento aberto, é o load factor: a razão entre o número de chaves distintas na tabela e a capacidade máxima da tabela. Se o load factor for muito baixo você estará desperdiçando memória com uma tabela hash demasiadamente esparsa. Por outro lado, se o load factor for ...


5

replace() é mais eficiente nos casos onde não exista um chave que está sendo usada nele. Ele só pode substituir um valor de uma chave existente, executa nada se não tiver a chave. Já o put() colocará um valor ali, se existir a chave será igual ao replace(), mas se não existir terá que criar a chave no mapa, o que tem custo extra. Mas a performance não ...


5

Ele é uma otimização do HashMap. Java trabalha com tudo calcado em tipos por referência que geram alocação, e portando ocupam mais memória e pressão ni garbage collector. Ainda é ruim pelo fato que nem todos os objetos são derivados de Object, como é em C#, por exemplo, existem os chamados tipos primitivos para dar performance (logo terá formas de criar ...


4

Disponibilizando o mapa Primeiramente, é necessário definir algum meio de recuperar o mapa que está na Classe1. Há várias formas de fazer isso... 1. Atributo de instância O mapa poderia ser colocar em um atributo de instância, com os valores inicializados no construtor: public class Classe1 { public Map<String, String> teste = new Hashmap<&...


4

Primeiro: você sabe porque escolheu o HashMap? Sabe que ele não tem ordem alguma definida? Que você não terá os alunos por ordem de matrícula? Isto resolve o que você precisa? Seu problema é que para varrer todo o mapa é feito através de um iterador que nada mais é que um meio de saber onde você está em uma coleção de dados. Ele sabe onde você está ...


4

Assumindo que você já fez o trabalho de separar o texto em palavras, a estrutura de dados que você está procurando é o java.util.Map (também conhecida como "dicionário"). A função dela é justamente mapear um objeto (a "chave") a um outro objeto (o "valor") - ou no seu caso, a palavra ao número de vezes que ela aparece. Map<String,Integer> quantas = ...


4

Para inicializar o contador basta colocar zero, como normalmente faria. Para incrementar tem que pegar o valor atual e já sabe que faz isto com o método get() e para colocar o novo valor já sabe que é com put(), só precisa juntar os dois, obviamente adicionando um ao valor encontrado antes de gravar o novo, como sempre se faz em qualquer contador. Ou seja, ...


3

Você está usando o HashMap de maneira incorreta. Para cada chave há apenas um valor (embora o contrário não seja verdade). Então quando você faz isso: valores.put("Id01",13); valores.put("Id01",37); O único que vai valer é o último, porque para a chave Id01 só poderá haver um único valor. O que você quer de verdade é que possa haver múltiplos valores para ...


3

Existe também a opção de utilizar a biblioteca Guava. Dê uma olhada na API e na Wiki da classe Maps. Tem vários métodos interessantes, como por exemplo difference para obter a diferença entre 2 mapas, transform*, filter*, etc. Dependendo do que você quer fazer, utilizar um desses métodos para transformar, filtrar, etc. pode gerar um código mais simples e ...


3

Primeiro, você só deve usar um Scanner. Nunca use ou crie mais do que um e apenas um new Scanner(System.in). E não tem sentido fechá-lo. Segundo, que nomes de classes devem ter letras maiúsculas. Ou seja, use TesteJava ao invés de testeJava. Terceiro, que como você mesmo disse, o os valores do Map deveriam ser uma lista dos nomes da cidade. Quarto, que ...


3

Vamos por partes, o primeiro ponto a destacar é relacionado ao funcionamento do HashMap, é importante dizer que ele não aceita chaves duplicadas. A apresentação de chaves iguais é devido ao modo como você está imprimindo o mapa: while (scanArquivo.hasNext()) { linha = scanArquivo.nextLine().split(";"); // *** Aqui você lê uma linha *** mapa.put(...


2

A diferença entre o put e o replace é que o put sempre associa a chave ao valor - mesmo se a chave não existia antes. O replace seria então um método de conveniência, para só alterar o valor se a chave está lá - não fazer nada se a chave não existe. (no que isso é conveniente, não sei, mas quem usa muito Java deve ter passado por essa situação várias vezes, ...


2

Crie um HashMap de String e inteiros varra o texto adicionando palavras ao mapa caso não estejam no mesmo. A vantagem do mapa é justamente o fato de ser uma estrutura que opera com chaves (neste caso as palavras) e com valores (inteiros). Desta forma é só incrementar o valor, caso o mesmo já estiver no mapa. Verifique entre todas as entradas do mapa quais ...


2

É uma warning padrão do Java quando se faz cast para um tipo que use generics. No Eclipse, você pode remover a warning anotando a declaração da variável com: @SuppressWarnings("unchecked") HashMap<String, Object> map1 = (HashMap<String, Object>) test.get("test-map"); Essa warning acontece porque o compilador sempre garante que código que use ...


2

Técnicas para lidar com colisões A classe Dictionary<TKey, TValue> do .Net não permitem chaves nulas nem duplicadas. Você terá que lidar com estas ocorrências da forma mais apropriada para o seu uso. Existem várias técnicas que dependem do comportamento que você desejar. No caso de uso de chaves duplicadas, destaco as seguintes: Substituição: se ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam