Respostas interessantes marcadas com a tag

11

Você está usando uma fórmula básica de distância, que na prática simplesmente te diz se o ponto está no círculo ou não. Como ela já basta para determinar se está no gráfico, só falta saber o ângulo do ponto em relação ao centro. É deste ângulo que vai extrair a porcentagem onde o ponto se encontra. Tem uma função matemática que te dá isso pronto, é o arco-...


10

Sim, tem como. No fundo é só questão de arrumar a disposição dos gráficos na tela. Se você acessar o help da função layout (?layout), lá tem um exemplo justamente de gráfico de dispersão com histogramas marginais (último exemplo do help): x <- pmin(3, pmax(-3, stats::rnorm(50))) y <- pmin(3, pmax(-3, stats::rnorm(50))) xhist <- hist(x, breaks = ...


7

Consegui de uma forma bem complicada, se alguém souber simplificar será muito bem vindo: # função que separa os pontos de um círculo de acordo com a proporção # definida pelo parametro p df_bubble_prop <- function(r, p, cx = 0, cy = 0, n = 100000){ df <- data.frame( x = cx + r*cos(seq(0, 2*pi, length.out = n)), y = cy + r*sin(seq(0, 2*pi, ...


6

O objeto Asset é uma lista. Para selecionar cada elemento desta lista com inter i você deve usar duplo colchetes: [[ ]]: # Visualiza gráficos da carteira for(i in 1:length(symbols)){ plot(Asset[[i]], main=asset1, col=2, xlab="Período", ylab="Preço",type="l") }


5

[TL;DR] Sem os dados originais fica dificil ter certeza que não seja com eles, por isso criei dados randomicos para fazer testes com o codigo que vc apresenta e o grafico foi plotado com sucesso, veja: import numpy as np from matplotlib import pyplot as plt f1_score = np.random.normal(loc=0.325, scale=0.25, size=50) f1_score = f1_score[(f1_score > 0) &...


5

Eu recomendo usar os pacotes ggplot2 e Rmisc para fazer este gráfico. O primeiro pacote faz o gráfico em si, enquanto o segundo prepara os dados para a análise. Abaixo vou explicar o passo a passo de como construí o gráfico desejado. Em primeiro lugar, utilizo a função summarySE para obter as médias e erros padrão do conjunto de dados desejado. Veja que ...


5

Infelizmente não existe solução simples para isso. Em geral é preciso ajustar as posições manualmente ou utilizando algum algoritmo. Dependendo do pacote que você estiver utilizando essa possibilidade sequer existe, você teria que alterar a função do pacote na mão para ter essa flexibilidade. Todavia, para quem usa ggplot2, saiu um pacote recente que tenta ...


5

Existem várias formas de incluir a equação na figura, a depender de como você está plotando o gráfico. Aqui seguem alguns exemplos, caso queira uma resposta mais específica para o seu problema, favor inserir o código que você criou. Usando plot: x<- runif(1000, min = 0, max=5) y<- pi + x^2 plot(x, y, main= expression(Gráfico ~ da ~ Equação ~ pi + x^2)...


5

Até onde sei, pacotes gráficos mais avançados do R, como lattice e ggplot2, não possuem uma maneira fácil de colocar números em cima das barras do histograma. Imagino que dê pra fazer, mas é um trabalho bastante grande, justamente para desencorajar este uso. Isto se deve ao fato de quase ninguém atualmente achar que histogramas necessitam vir acompanhados de ...


5

O highcharts trabalha com o conceito de agrupamento de dados para melhor visualização dos dados. Ao utilizar o agrupamento, a amostragem é feita por base de possíveis valores, como média ou soma. Você pode desabilitar o dataGrouping, basta adicionar este código: plotOptions: { series: { dataGrouping: { enabled: false } } ...


5

Eu fiz algumas alterações no seu código. Eu alterei o nome das variáveis do df2 para Q.1, Q.2, Q.3, Q.4 e Q.5. Em long2 eu chamei a variável de gabarito porque representa a quantidade de alunos que acertaram as respectivas questões, certo? Depois eu uni long e long2 pelos ITENS e o que você chamou de turma (por isso que modifiquei os nomes das variáveis ...


5

Uma maneira de fazer isso é criando um vetor com a função seq. Como o nome sugere, a função seq cria uma sequência de números. Basta informar o valor inicial, o valor final e o incremento. No exemplo abaixo, eu crio uma sequência que começa em 30 e vai até 32, aumentando de 0.1 em 0.1: seq(from=30, to=32, by=0.1) [1] 30.0 30.1 30.2 30.3 30.4 30.5 30.6 30.7 ...


4

Se entendi bem, você quer desenhar N barras cada uma com altura Hk. Como o output é horizontal você tem que ir desenhando um pedaço de cada barra de cada vez antes de pular a linha. Então primeiro encontre o elemento máximo (a barra mais alta) e depois faça esse número de iterações. Em cada uma desenha a barra se seu valor for maior ou igual à iteração atual....


4

Você pode usar a função axis para adicionar um eixo extra ao gráfico e se necessário mtext para colocar seu label. Por exemplo, para um gráfico simples: par(mar = c(5, 4, 4, 4) + 0.1) plot(1:10, ylab = "Eixo Y Esquerdo") lines(10:1) axis(4, at = 1:10, labels = seq(10, 100, 10)) mtext("Eixo Y Direito", side = 4, line = 2) Note que você tem que ajustar a ...


4

Para obter o real nome da variável você precisa usar deparse(substitute(y)) no título do gráfico: Validação <- function(y){ plot(y, main= paste('Gráfico', deparse(substitute(y)))) } Isso vale tanto para os gráficos do pacote base, como para o ggplot2 e lattice...


3

É possível usar a função stat_summary(), do ggplot2, para sumarizar as observações. Usando o ggplot2, não é preciso separar os grupos em vetores diversos, bastando indicar o parâmetro estático group=, em cada uma das instruções. Primeiramente, converti previamente os grupos para um dado tipo factor, atribuindo os níveis adequados conforme você indica na ...


3

O jeito mais fácil de se fazer isso no R é utilizando a função symbols. Como você não forneceu dados específicos, criei alguns aleatórios, utilizando o argumento prob para causar uma destribuição desigual. n <- 50 set.seed(0) y <- sample(c(1:10), n, replace = TRUE, prob = 10:1) x <- sample(1:5, n, replace = TRUE, prob = 1:5) r <- sample(1:100, n,...


3

Usando o ggplot2 o seguinte gráfico de dispersão: library(ggplot2) ggplot(faithful, aes(x = eruptions, y = waiting)) + geom_point() + xlim(0.5, 6) + ylim(40, 110) Pode ficar assim, apenas trocando a linha geom_point: ggplot(faithful, aes(x = eruptions, y = waiting)) + stat_density_2d(aes(fill = ..level..), geom = "polygon") + xlim(0.5, 6) + ...


3

windowsFonts(Times=windowsFont("Times New Roman")) library(ggplot2) ggplot(data = diamonds, aes(x = carat, y = price)) + geom_point() + labs(title = "Diamantes: Quilates X Preço") + theme(plot.title = element_text(family = "Times")) EDITADO: Minha compreensão (talvez errônea) do problema: Cada dispositivo gráfico há seu próprio banco de fontes ...


3

Você pode usar a biblioteca matplotlib para plotar o gráfico, veja só: import matplotlib.pyplot as plt def obterProgresso( linha ): p = [ 0 ] x = 0 for i in linha: if i == 0: x-=1 else: x+=1 p.append(x) return p; Linha1 = [1,1,1,0,1,0,1] Linha2 = [0,0,0,0,1,1,1] Prog1 = obterProgresso( ...


3

Este problema não tem solução com o conjunto de dados fornecido. O help da função summarySE diz o seguinte (grifos meus): Gives count, mean, standard deviation, standard error of the mean, and confidence interval (default 95%). As três medidas que destaquei acima são medidas de dispersão ou variabilidade. Todas estas três são medidas que dependem da ...


2

Há a biblioteca jLinq, já utilizei essa biblioteca e ela me atendeu muito bem, não utilizei a parte dos GROUP BY (nem há na documentação mas se olhar no fonte há o método group()), sempre utilizei mas a parte de filtros e sort da biblioteca. Mas verificando aqui a parte de group by também funciona corretamente, apesar de não estar nos demos do site do ...


2

Olha, o ideal é fornecer junto com a pergunta pelo menos algum conjunto de dados de exemplo. Mas vou te fornecer um exemplo aqui, parecido com o seu, utilizando o ggplot2: ## Dados de exemplo dados = data.frame(x = sort(rep(seq(from = 1960, to = 2010, by = 5), 3)), y = rep(1:3, 33), raio = rnorm(33, mean = 2, sd = 3), ...


2

Você pode colocar a label do eixo x como vazia usando xlab="" dentro de plot. Se quiser remover o espaço deixado, tem que alterar o parâmetro mar: par(mar=c(3, 4, 4, 2)) #A ordem é: embaixo, esquerda, topo, direita plot(1:10, 1:10, xlab="")


2

Você pode usar o Vue-Chartjs, é bem simples de usar, alem de ser um dos mais bonitos. import VueCharts from 'vue-chartjs' import { Bar } from 'vue-chartjs' export default Bar.extend({ mounted () { this.renderChart({ labels: ['January', 'February', 'March', 'April', 'May', 'June', 'July', 'August', 'September', 'October', 'November', '...


2

De acordo com essa resposta, é só setar o Interval = 1, pois forçará a exibição dos Labels independentemente dos tamanhos. Ex: ChartID.Areas("myChartAreaName").AxisX.LabelStyle.Interval = 1


2

Você pode mudar as propriedades do SVG com JavaScript alterando os atributos com setAttribute: function alterarSvg(){ var svg_line = document.querySelector("#meusvg line"); // seleciono o line do SVG svg_line.setAttribute("x2","10"); // muda posição x2 svg_line.setAttribute("stroke","blue"); // muda a cor para azul } <svg id="meusvg" ...


2

Acho que o loop não é a melhor solução para o seu caso. # alongue o data frame. library(tidyr) long <- df %>% gather(turma, quantidade, Q.1:Q.6) # use facet_wrap library(ggplot2) ggplot(long) + geom_bar(aes(x = ITENS, y = quantidade), stat = "identity") + facet_wrap(~turma)


2

Acho que entendi o que você quer fazer. # Vou mudar o seu df2. df2 <- data.frame(turma = c("Q.1", "Q.2", "Q.3", "Q.4", "Q.5", "Q.6"), gabarito = factor(c("B", "A", "C", "D", "A", "C"), levels = c("A", "B", "C", "D", "E")) # unir long e df2 library(dplyr) long <- left_join(long, df2) # ...


2

Solução Converte para CIELAB utilizando o OpenCV. Primeiro ilustra o gráfico 2D, com cada canal de cor. Depois o gráfico 3D para cada Canal. Código import numpy as np import cv2 from matplotlib import pyplot as plt from mpl_toolkits.mplot3d import Axes3D def mostrar_imagem_Lab(nome, img): plt.figure(nome) plt.subplot(2, 2, 1) plt.imshow(img) ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam