Respostas interessantes marcadas com a tag

65

O facto de elementos nomeados* fazerem parte das propriedades de document e/ou window é uma infelicidade, fruto de aplicações bem simples que havia há muitos anos, no inicio do DOM e JavaScript. Infelizmente por serem usadas e alguns browsers as promoverem elas ainda existem para não quebrar código antigo, e são até prática comum. Ter referências a ...


53

DOM Domain Object Model. Em palavras bem simples o DOM é um grande objeto hierárquico com diversos elementos formando uma árvore. Nele você encontra todos os elementos existentes no modelo que ele se refere. No caso dos browsers você encontra os elementos existentes no próprio browser e na página que está acessando. Mas lembre-se que DOM não é um conceito ...


52

O evento ready é disparado depois que o documento HTML foi carregado. O onload só é disparado quando todo o conteúdo é carregado (incluindo imagens, vídeos, etc). Repare que o ready é específico do jQuery. Isto é, ele não existe "nativamente". A intenção dele é executar algo o mais rápido possível depois de carregar o documento, sem precisar esperar todo o ...


34

appendChild vs innerHTML O appendChild não causa uma reconstrução completa do DOM ou mesmo todos os elementos / nós dentro do alvo. O innerHTML causar uma reconstrução completa do conteúdo do elemento de destino, que se você está anexando é desnecessário. Consequentemente, se for utilizar innerHTML += content irá fazer o re-parse de todo o HTML, uma boa ...


26

HTML <div> <p>Um parágrafo em cima.</p> <p>Outro <span>embaixo</span>.</p> <p>E mais um</p> </div> DOM div -- p -- p -- span -- p O DOM representa o HTML em uma árvore de elementos. Ele é um modelo do seu documento HTML, por isso o nome Document Object Model. Cada elemento ...


26

Antes de existirem padrões para o HTML, CSS e javascript quem definia isto eram os browsers, ou seja cada browser tinha a sua maneira de fazer as coisas, como por exemplo cada um tinha uma maneira de pegar elementos do DOM, por exemplo: Internet Explorer 4 usava document.all Netscape4 usava document.layers Estes eram os principais browsers do "mercado" e ...


25

Shadow DOM O shadow DOM, ou shadow tree, é uma árvore de nós HTML assim como qualquer outra árvore que já conhecemos (a light tree), mas que é anexada a um elemento específico da light tree, não ao documento em si. Ou seja, é criado um novo contexto de nós em que todos os nós pertencentes à shadow tree não interagem diretamente com os nós do documento. Esta ...


22

Porque a finalidade do id é a de ser um identificador único para o elemento HTML onde ele é aplicado. Se ele não for único, isso vai contra a ideia para a qual ele foi concebido, e não faz sentido falar-se em exceções que possam permitir isso. Se você quiser usar um identificador que possa se aplicar a vários elementos diferentes simultaneamente, utilize o ...


16

Se você estiver usando JavaScript inline (como em <div id="a" onclick="f()">...), não dá. Você precisaria passar o id na própria chamada de função. Mas usar JS inline é contraindicado, não só por isso mas também porque é uma mistura de estrutura (HTML) e comportamento (JS). Se estiver criando o listener do evento por JavaScript, basta usar this.id: ...


16

Ter muitos elementos no DOM poderia prejudicar a performance? Sim, e vamos analisar dois aspectos: memória - quanto mais elementos o DOM tiver, obviamente mais memória irá consumir, abaixo coloquei duas imagens para ilustrar, mas isso em geral não deve ser um grande problema em desktops, mas em dispositivos pode ser, onde a memória é em geral menor. ...


14

O parser é um analisador sintático. Sua função é ler uma entrada de dados que possuem certas regras específicas - em geral é um texto reconhecível por humanos - e montar uma estrutura de como é sua composição. Obviamente uma de suas funções é "enxergar" erros cometidos e recusar as entradas que não estejam dentro das regras. Ele é o centro do compilador de ...


12

Ao meu ver atrapalha também no HTML, caso vc use ancoras internas na página normalmente se usa href="#link" e no elemento que sera ancorado o id="link". Se vc usar o id="link" em vários elementos a sua ancora nunca ficara correta, pois ela não vai saber para qual elemento vc realmente quer fazer a ancoragem. Repare que tendo duas ancoras lincando pro ...


12

É errado porque está na especificação do HTML que o ID deve ser único. (Inclusive, se você olhar no documento linkado, que é a especificação oficial do HTML 5, é usada a palavra em inglês "must" - que é "deve" no sentido de realmente ser obrigatório). O fato de ID repetido funcionar com algumas coisas em alguns navegadores não torna o seu uso mais correto: ...


11

Respondendo a pergunta: Sim, há possibilidade de obter um clone, utilizando javascript nativo, que seria, ou não(você jájá vai saber porque) um clone fiel exatamente igual contendo todas as propriedades do elemento clonado. Conceito/Explicação: Os elementos HTML em seu formato como você pode ver, como código HTML entre tags, eles não são só isso. Cada ...


11

O mais correto é utilizar typeof variavel === "undefined", pois undefined pode ser sobrescrito utilizando window.undefined, fazendo com que a comparação variavel === undefined retorne valores inesperados. Na versão 5 do ECMAScript, não é possível mais sobrescrever window.undefined, embora por compatibilidade com engines mais antigas seja recomendado não ...


11

Basicamente é um problema de visibilidade. O que acontece se o seu id for uma propriedade do objeto window? Não sei se sabe, todas propriedades que você acessa globalmente ou estão em window. O código da pergunta é o mesmo que: window.a.innerHTML = 'CONTENT'; <div id="a"></div> Isto não é padrão. É algo que o Internet Explorer ...


10

O evento ready ocorre depois que o documento HTML foi carregado, enquanto o evento onload ocorre mais tarde, quando todo o conteúdo (por exemplo, imagens) também foi carregado. O evento onload é um evento padrão no DOM, enquanto o evento ready é específico para jQuery. O objetivo do evento ready é que ele deve ocorrer o mais cedo possível após o documento ...


9

Em JavaScript puro você pode fazer assim: var HTMLString = '<table id="teste"><tbody id="appender"><tr class="header"><td class="cod">Código</td> <td class="nome">Nome</td><td class="tipo">Cidade - Estado</td></tr></tbody></table>'; var ref = document.getElementById('pnlOpcoes_outer'); ...


9

As sua intuição estava correcta, é usando o this e o innerHTML. O que está a faltar: Precisa de um ponto no selector do jQuery para classes '.numero' ↑ (ponto aqui) Elementos criados dinamicamente precisam de ser delegados no caso de estar a amarrar o .click() antes do ciclo for ter corrido. Se não estiver a amarrar o .click() antes do ciclo ...


9

Isso são métodos somente da consola, atalhos para facilitar o programador. Isso confirma-se na documentação do Chrome aqui e na documentação do Edge aqui onde diz: $() é um atalho para document.querySelector(). $$() é um atalho para document.querySelectorAll(). $0, $1, $2, $3, $4 devolve os ultimos elementos selecionados pelo explorador do DOM (...


8

Eu costumo gerar sempre via string. Monto sempre identado para que eu tenha, assim que bater o olho, a visão do que aquelo código representa. Exemplo: var htmlTabela = "<table> " + " <tr> " + " <td> Titulo </td> " + " </tr> ...


8

Eu já havia me feito essa pergunta antes :) Nessa pergunta similar do SO, as respostas dizem que não: Are there speed benefits of putting CSS attributes in alphabetical order? Embora não tenha nada embasado em uma documentação ou link oficial, acredito que realmente não afete a performance na renderização da página. Um fato concreto que me faz ...


7

Não sei o quanto isto seria compatível com todos os browsers, mas se você converter a função para string, verá o código-fonte no caso das funções não-nativas, e uma string contendo [native code] nas nativas. Por exemplo, no caso da sua variável native (testado no console do Chrome): native.toString(); // function alert() { [native code] } Com base nisso, ...


7

Acredito que isso seja útil para dar aos elementos parent a "palavra final" sobre os eventos que ocorrem nos seus filhos. Isso permite desacoplar uma funcionalidade comum, genérica, que precisa ser implementada em um componente como um todo, das funcionalidades específicas dos seus sub-componentes. Um caso de uso seria permitir ao parent desabilitar ...


7

Bom dia, bom, imagine a situação que você tem uma tabela que possui temas diferentes de acordo com o horário, de dia a tabela é clarinha e de noite a tabela é mais escura, você terá classes para esta tabela diferentes, ou seja, no seu segundo código, você usa strings extensas com style diretamente no html, agora vamos supor que você não use o style, mas na ...


7

Interessante tópico, sempre acreditei que a ordem não influenciaria porém ajudaria numa leitura de código. No Tableless, tem um artigo um pouco antigo não fala de performance mas sugere algumas boas práticas e inclusive fala de ordenação lógica dos parâmetros. Pensando em organização eu sigo a lógica pensando no bloco de fora pra dentro e finalizo com ...


6

Acho que a questão não é de adicionar valores no DOM, pois você mesmo disse que está fazendo isso, é em manipular eles de forma que eles recuperem seu estado quando navegando na página. Um jeito é você salvar os estados dos elementos que você adicionou no browser, seja via Cookie (não é uma boa solução) ou via Web Storage (mais legal essa). Então ao ...


6

Uma opção é usar algum plugin que monte uma janelinha de confirmação customizada. A vantagem é poder estilizar com as cores e o texto que você quiser. A desvantagem é ter que usar mais um plugin no seu código. Por exemplo, veja a funcionalidade Dialog do jQuery UI: http://jqueryui.com/dialog/#modal-confirmation Considerando que o jQuery UI esteja ...


6

Uma função nativa irá retornar function () { [native code] } ao ser convertida para string. var nativa = typeof funcao === 'function ' && funcao.toString().indexOf('[native code]') !== -1 Por outro lado isso não funciona caso a função Function.prototype.toString tenha sido modificada. Você pode ter acesso a funções do javascript nativas usando ...


6

As duas verificações que você mencionou servem para coisas diferentes. 1. Variáveis não declaradas Se uma variável não foi declarada, com var variável = ..., você não pode usá-la em comparações de igualdade como if(variavel === undefined). Isso lança um erro porque a variável não existe. Porém, o operador typeof aceita um operando que não exista. Por ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam