Use Stack Overflow for Teams no trabalho para encontrar respostas num ambiente privado e seguro. Os primeiros 10 usuários são grátis. Registre-se

Respostas interessantes marcadas com a tag

17

Essa pergunta depende de alguns fatores como a tarefa de análise que se deseja realizar e o tamanho do conjunto de dados, isto é, o quanto ele é grande em relação à memória RAM (e as vezes o HD) do computador onde se pretende realizar a análise. Existem alguns casos a se considerar: Quanto ao tamanho do conjunto de dados: Conjuntos de dados maiores que a ...


16

O Hadley criou recentemente o dplyr, uma versao bem mais rapida e com sintaxe mais intuitiva que o plyr. (links para o CRAN e para o anuncio no blog do RStudio) No dplyr ficaria assim library(dplyr) group_by(df,vendedor)%>%summarise(Total=sum(vendas)) vendedor Total 1 A 3300 2 B 440 3 C 1020 4 D 200 E agrupando por ...


14

R é uma linguagem especializada cujo sweet spot são problemas de análise de dados em memória (um conjunto extremamente significativo de problemas). Dito isso o ecossistema do R é grande e diversas soluções estão surgindo para tratar problemas com volumes enormes de dados. Tenha em mente que problemas de Big Data utilizam sim técnicas específicas (e muitas ...


10

Outra opção é utilizar o pacote data.table: df <- data.table(df) df[,sum(vendas), by=vendedor] df[,sum(vendas), by=data.table(vendedor, regiao)] Pacotes como o plyr e o data.table foram criados para facilitar e agilizar esse (e outros) tipos de análises, entao se o teu banco for grande ou tiver que fazer muitos agrupamentos, talvez valha a pena dar uma ...


10

No R, o comportamento padrão do data.frame é transformar textos em fatores. Isso pode gerar resultados inesperados quando números, durante o processo de importação/manipulação de dados, são erroneamente interpretados como textos e transformados em fatores. Em geral, ao trabalhar com data.frames, é interessante colocar a opção stringsAsFactors = FALSE para ...


9

Pode também usar o pacote stargazer library(stargazer) stargazer(tabela, summary=FALSE) Resultado:


9

Há duas soluções. Se você quiser omitir todos os NA do data.frame, você pode usar a função na.omit. Por exemplo, suponha um data.frame com duas colunas, em que há NA's nas duas. ### Construindo um data.frame de exemplo ### set.seed(1) df <- data.frame(x=rnorm(100), y = rnorm(100)) df[sample(1:100,20),1] <- NA df[sample(1:100,20),2] <- NA O ...


9

Uma solução pode ser a seguinte. library(dplyr) DADOS %>% rowwise() %>% mutate(Soma = (A + B + C + D + E), Média = Soma/5, Mediana = median(c(A, B, C, D, E))) #Source: local data frame [4 x 9] #Groups: <by row> # ## A tibble: 4 x 9 # Linha A B C D E Soma Média Mediana # <fct> <int> <...


8

Um pacote que eu acho fantástico é o tables. Ele é bem flexível. Por exemplo, arrumando a tabela de três formas diferentes: library(tables) tabela1 <- tabular(~(Sexo)*Heading()*Grupo*Heading()*identity*(Média+Var), data=tabela) tabela2 <- tabular((Sexo)~(Grupo)*Heading()*identity*(Média+Var), data=tabela) tabela3 <- tabular(Sexo*Grupo~Heading()*...


8

merge é a função que você está procurando - ela pode unir dois data frames. Como você só quer uma coluna do primeiro data frame, você pode filtrá-lo para ter apenas ela: Teste=data.frame(matrix(runif(20), nrow=5, ncol=4)) Teste$ISIN <- c("A1","A2","A3","A4","A5") colnames(Teste) <- c("AVG_VOLUME","AVG_RETURN","VOL","PRICE","ISIN") Teste2 <- data....


8

Usando dplyr você pode fazer assim: > library(dplyr) > Teste3 <- left_join(Teste2, Teste %>% select(ISIN, AVG_VOLUME)) Joining by: "ISIN" > Teste3 X1 X2 ISIN AVG_VOLUME 1 0.5896936 0.1847698 A1 0.3473872 2 0.9254054 0.1172393 A1 0.3473872 3 0.3235616 0.3382006 A3 0.1330457 4 0.8382510 0.6392993 A2 0.9750695 5 0....


7

Se você analisar a estrutura do objeto verá onde ocorre o problema: str(unclass(dados$x)) atomic [1:4] 2 1 4 3 - attr(*, "levels")= chr [1:4] "10" "11" "15" "20" O objeto dados$x é composto do vetor [2,1,4,3] com o atributo levels. Esse atributo que aparece no console quando é feito o print de dados$x. Para resolver o problema, além da solução já ...


7

Uma maneira é usar a função coplot: coplot(y~x |w, data=dados) Também é possível fazer com o ggplot2 usando facet_wrap: library(ggplot2) ggplot(data=dados, aes(y=y, x=x))+ geom_point(aes(color=w))+facet_wrap( ~ w)


7

recriando a tabela em code (para todos poderem reproduzir o exemplo): dt_so_bruna <- structure(list(A = c(100, 49, 30, 11, 7, 0, 1, 5, 7, 12), B = c(50, 51, 20, 10, 3, 10, 2, 6, 3, 3), C = c(0, 1, 5, 2, 5, 0, 0, 2, 1, 1), D = c(0, 0, 1, 0, 1, 0, 0, 0, 3, 2), E = c(0, 0, 0, 0, 1, 0, 0, 0, 1, 0), F = c(0, 0, 0, 0, 1, 0, 0, 0, 0, 0)), .Names = c("A", "...


6

Você pode fazer isso com a função aggregate aggregate(vendas ~ vendedor, data=df, FUN=sum) vendedor vendas 1 A 3300 2 B 440 3 C 1020 4 D 200 aggregate(vendas ~ vendedor + regiao, data=df, FUN=sum) vendedor regiao vendas 1 A Leste 200 2 D Leste 200 3 ...


6

Há várias formas de se fazer isso. A mais simples é atribuir NULL à coluna, por exemplo, para remover a coluna x: dados$x <- NULL head(dados) y z w 1 -0.6264538 0.4094018 0.8936737 2 0.1836433 1.6888733 -1.0472981 3 -0.8356286 1.5865884 1.9713374 4 1.5952808 -0.3309078 -0.3836321 5 0.3295078 -2.2852355 1.6541453 6 -...


6

Da para fazer isso direto no order, basta informar multiplos parâmetros. set.seed(1) dados <- data.frame(w=rep(c("A", "B"), 2), x= rep(c("D", "C"), 2), y= rnorm(4), z=rnorm(4), stringsAsFactors=FALSE) dados[order(dados$w, dados$x, dados$y, decreasing=c(TRUE, FALSE, TRUE)), ] # No caso, ordena de acordo por w em ordem alfabética ...


6

Bom, a princípio o seu código está correto, ele deveria fazer o subset dos dados, o que pode ter ocorrido é algum outro problema que somente seria possível verificar com o caso específico. Mostrando em um data frame de exemplo: set.seed(1) df <- data.frame(valor= rnorm(100), categoria = rep(c("AB", "AC"), 50), stringsAsFactors=FALSE) dr <- subset(df, ...


6

Talvez a forma mais simples seja: df$z <- c(1,2) df x y z 1 a 1 1 2 b 2 2 Uma forma que não é muito conhecida, ma é interessante saber que existe, é utilizando a função within(). Criando um vetor w = c(3,4) como exemplo: df <- within(df, w <- c(3,4)) df x y z w 1 a 1 1 3 2 b 2 2 4


6

Além do: df$z <- c(1,2) Outras maneiras simples de adicionar apenas uma coluna são: df["z"] <- c(1,2) df[["z"]] <- c(1,2) df[,"z"] <- c(1,2) Da mesma forma, você pode removê-la com: df$z <- NULL E funciona com todas as outras formas: df["z"] <- NULL df[["z"]] <- NULL df[,"z"] <- NULL


6

Você pode usar o comando unique, ele vai deixar apenas as observações únicas do seu data.frame. Por exemplo, recriando sua base de dados: df<- read.table(text = "values ind 1 10.82000 2011-01-03 2 11.75000 2011-01-03 3 10.82000 2011-01-03 4 11.75000 2011-01-03 5 10.82000 2011-01-03 6 11.75000 2011-01-03 7 10.84048 2011-01-04 8 11.79000 ...


6

Para fazer o log você pode colocar diretamente na fórmula. Exemplo: # sem log lm(mpg ~ cyl, mtcars) # com log lm(log(mpg) ~ cyl, mtcars) Para colocar o termo quadrático você vai utilizar a função auxiliar I(). Para mais detalhes ver a questão: Como incluir na regressão uma variável elevada a n . Exemplo: lm(mpg ~ cyl + I(cyl^2), mtcars) Para ...


6

A forma que você está fazendo agora trará problemas. Veja que quando você faz: res.ad <- c("Gumbel", 0.9105) Você está transformando o número em texto: res.ad [1] "Gumbel" "0.9105" Então nessa parte o ideal seria você trabalhar também com um data.frame, por exemplo, data.frame(Distribuição = "Gumbel", pvalue = 0.9105). Dito isto, uma forma de ...


6

Com o tidyr você pode usar a função complete(): library(tidyr) complete(dados, Ano, Categoria, fill = list(Valor = 0)) # A tibble: 20 x 3 Ano Categoria Valor <int> <fctr> <dbl> 1 2001 a 15 2 2001 b 21 3 2001 c 0 4 2001 d 15 5 2002 a 14 6 2002 b 0 7 ...


6

Você pode fazer isso em uma linha com lapply: dwc_ST <- lapply(df, mra, wf = "la8", method = "dwt", J=3, boundary = "reflection") O resultado é uma lista com os cálculos para cada coluna: str(dwc_ST, max.level = 1) List of 8 $ ST1:List of 4 $ ST2:List of 4 $ ST3:List of 4 $ ST4:List of 4 $ ST5:List of 4 $ ST6:List of 4 $ ST7:List of 4 $ ST8:...


6

Basta fazer uma condição lógica composta das várias condições elementares da pergunta. data$novaCol <- with(data, as.integer(y == 2 & w == 4 & 15 < z & z < 25)) Como os valores lógicos FALSE/TRUE em Rsão codificados como 0/1, usamos a função as.integer para mudarem de classe. Outras duas maneiras seriam somar 0L (zero inteiro) ou ...


6

Eu sou fã de usar o pacote lubridate para resolver todo e qualquer problema com data. Veja abaixo como obtive facilmente o que te interessava com funções de nomes bastante intuitivos: library(lubridate) data <- dmy_hms("01/08/2018 06:02:44") data [1] "2018-08-01 06:02:44 UTC" date(data) [1] "2018-08-01" month(data) [1] 8 Para conhecer mais funções do ...


6

Diferença entre wide e long Wide format No formato amplo (wide format), as respostas de um mesmo indivíduos estarão em uma única linha e cada resposta estará em uma coluna separada. Por exemplo, no seguinte conjunto de dados, cada condado foi medido em quatro pontos de tempo, uma vez a cada 10 anos, a partir de 1970. A variável de resultado é Jobs e ...


6

Um pouco da explicação está aqui. Reproduzindo os dados library(tidyverse) txt <- "Linha A B C D E L1 4 3 2 2 4 L2 1 11 1 1 1 L3 0 1 2 3 4 L4 2 0 0 8 0" DADOS <- as_tibble( read.table(text = txt, header = TRUE) ) E então basta usar o transpose() para aplicar a median() para cada linha. ...


5

O operador . neste contexto (argumento formula da função lm) significa "todas as outras colunas que não estão na fórmula". Dessa forma a regressão de y contra todas as outras colunas do data.frame pode ser obtido da seguinte forma: modelo <- lm(y~., data=dados) Referência: ?formula


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam