Respostas interessantes marcadas com a tag

14

O auto_ptr foi marcado como obsoleto no C++11 e removido no C++17. unique_ptr e shared_ptr são complementares. O unique_ptr só permite que um ponteiro por vez aponte para o recurso administrado (i.e., você não pode copiar o ponteiro): unique_ptr<T> myPtr(new MinhaClasse); // Ok unique_ptr<T> myOtherPtr = myPtr; // Erro: Não pode copiar um ...


14

Por padrão o C++ cria os construtores de cópia e de atribuição (move) para você com um código padrão. Se deseja que a classe não tenha esses construtores você precisa informar o compilador que ela deve ser "deletada", assim qualquer tentativa de chamar esses construtores dará erro. Ao contrário do que parece você não está criando um construtor, ...


13

Os dois tem usos bem diferentes. O void* serve primariamente para poder se passar um ponteiro, para qualquer tipo, em uma função, ou para guardar um ponteiro para qualquer coisa. Uma vez atribuído um valor, este pode ser substituído por outro de qualquer tipo. Possui um grave problema: você perde a informação sobre o tipo original. Na hora de se ler o que ...


12

Após alguma muita leitura cheguei nas seguintes conclusões: lvalue (locator value): Denota um valor endereçável. Um valor cujo endereço pode ser obtido diretamente (através do operador &). int a = 3; int& b = a; a // é lvalue b // é lvalue &a // não é lvalue (o ponteiro retornado é um temporário, não pode fazer &&a) 3 // não ...


10

C++ possui duas entidades básicas: valores e tipos. Não é difícil ver que 3 é um valor, que std::string é um tipo, que decltype(itoa(sizeof(4))) é um tipo e que double() é um valor. Os valores em particular carregam três características: a primeira é o estado, as informações que esse valor tem em memória. A segunda é o tipo, todo valor possui um tipo bem ...


8

Operador de cast Ele é usado junto com a declaração de um operador de cast. Imagino que saiba que C++ permite que se defina operadores para um tipo, assim a sintaxe de certas operações fica mais próxima do que as pessoas estão acostumadas com a matemática tradicional ou aquela já usada em programação. Um desses operadores é o cast, que é a conversão de um ...


8

Pra responder a primeira pergunta, podemos começar pela segunda, que tornará os motivos da primeira mais óbvios. A construção (chamada de range-based for, ou for baseado em intervalo): for (declaração : expressão) corpo É apenas açúcar sintático e é transformada para a seguinte construção: { auto && __range = expressão ; auto __begin = ...


7

A partir do padrão C++11 foram introduzidas funcionalidades referentes a programação concorrente. Estas funcionalidades podem ser encontradas nos arquivos: <conditional_variable> <future> <mutex> <thread> Nesse arquivos você tem acesso a diversas funções e classes que oferecem o básico para você poder construir aplicações ...


6

Vamos do princípio definir cada um pra que fique mais claro: O compilador do C++ divide o código em expressões para avaliar a sintaxe e a semântica de tudo o que foi usado. Essas expressões fazem parte do corpo da pergunta e são avaliadas em esquema de árvore. Um lvalue (locator value) representa um objeto que ocupa uma localização identificável em memória ...


6

Tem algumas formas de fazer isso, tem a mais confusa e a mais inteligente, que eu preferi: #include <stdio.h> #include <stdlib.h> #include <math.h> void parImpar (int num) { int digitos = floor(log10(abs(num))) + 1; for (int i = digitos - 1; i >= 0; i--) { int div = num / (int)pow(10, i); num = num % (int)pow(10, ...


6

Estes tipos não possuem exatidão, então você obtém valores aproximados. Se deseja exatidão não pode usar nenhum dos dois. Quem usa estes tipos de dados deve saber que os valores são aproximados, nunca exatos. O ceil() tem regras de quais valores são considerados para ir para o inteiro acima ou abaixo, com precisão diferente o mesmo número que parece igual ...


5

Lambda é algo interno do código (essencialmente é um ponteiro para uma função), não se passa pela linha de comando (não é uma coisa mágica que se transforma em código executável). A única forma de conseguir algo próximo do que deseja é criar um parser (mesmo que simplificado para atender só alguns tipos de código) do conteúdo passado para o parâmetro do ...


5

Você o usa quando deseja criar um ponteiro para algum objeto e deixar o C++ gerenciar isso para você. O objeto será automaticamente destruído quando não houver mais referências para ele. É preferível usar o unique_ptr sempre que possível. O shared_ptr usa um contador de referências para controlar se ele ainda precisa estar ativo. Além do custo de memória ...


5

Segundo essa resposta a biblioteca padrão do C++11 não presta suporte padrão para o controle de prioridade de threads. (O autor ainda acredita que não isso não mudará no C++14) Nessa mesma resposta ele cita um comando que funciona em sistemas que sigam as normas POSIX: pthread_setschedparam(thread.native_handle(), politica, {prioridade}); Como você quer ...


5

Não há nenhuma forma de alterar a prioridade de um std::thread no C++11 ou no C++14. A única forma de fazer isso seria pelo uso de funções do linux (não portável). Obtenha um identificador nativo com o std::thread::native_handle() e o use com a função pthread_setschedparam. Um exemplo (retirado da primeira referência): #include <thread> #include <...


5

Qual a diferença entre eles? Cada um dos ponteiro inteligente fornece uma variação das regras de posse do recurso sendo manipulado. Por exemplo, um ponteiro inteligente que tem posse sem compartilhamento manipula o recurso de um modo que nenhum outro ponteiro inteligente possa ter posse compartilhada do mesmo recurso. Já ponteiros inteligentes com posse ...


5

Porque você precisa continuar mantendo a referência para o objeto dentro do código. Se você não usar &vi no for, não irá alterar o objeto original que foi passado por referência, mas uma cópia dele existente dentro do for apenas. Essa construção chama-se range-based e é usada para percorrer todos os itens do array, semelhando ao comando foreach existente ...


4

De acordo com este draft do standard, seção 9.3.1 (Nonstatic member functions), item 2: If a non-static member function of a class X is called for an object that is not of type X, or of a type derived from X, the behavior is undefined. Ou seja, chamar um função membro não-estática de uma classe X sobre um objeto que não é da classe X (ou derivadas) ...


4

Tem tanto erro no seu código que é difícil saber por onde começar. Primeiro de tudo é que você não colocou o código original, e nem a mensagem de erro original. Quando você editou o código para colocá-lo aqui, provavelmente inseriu um monte de outros erros. Daí eu não sei se os erros que eu vejo são os originais ou os inseridos na edição. Por exemplo, muito ...


4

Tem algumas soluções possíveis, até mesmo não usar exceção. Se a construção do objeto tem um contrato que gera uma exceção quando a criação falha você tem que capturar a exceção e decidir o que fazer. Note que se isso é considerado um erro de programação e nada deve ser feito você pode deixar sem tratar a exceção ou tratar de forma genérica em apenas um ...


4

O problema está nesta linha: name.push_back(NomesVetor); Ela está no lugar errado e não está adicionando nada já que ele só adiciona se for um nome repetido, que não é o que deseja e nem deve estar testando isto. Assim: while (cin >> NomesVetor && NomesVetor != "SemNome") { for (size_t x = 0; x < name.size(); ++x) { // confere se há ...


4

Você precisaria passar o vetor sempre por referência, como fez corretamente na função imprime(). Aí parece que o erro é nela, mas na verdade ele ocorreu antes e o vetor não é corretamente preenchido como se espera. Eu simplificaria o código assim: #include <iostream> #include <vector> using namespace std; void imprime(vector<int>& v) {...


4

Primeiramente, ao invés de ficar usando esse monte de ifs gambiarrados e horrorosos, use matemática. Imagina se você quisesse fazer esse programa para números de 1 a 1.000.000.000? Ficaria monstruoso! Segundo, não copie e cole código. Sempre que você copia e cola código, um bebê foca do Alasca engole óleo vazado no mar e morre. Portanto, nunca copie e cole ...


4

Complementando a resposta do Anthony Accioly que já responde bem o perguntado, note que o fato dos ponteiros serem inteligentes não quer dizer que não precise ter alguma coordenação sua no uso deles. C++, ao contrário de Rusto, por exemplo, não controla o tempo de vida do objeto no momento da compilação e se você chamar uma função que mate um objeto e tentar ...


4

Esta função não retorna um booleano, conforme a documentação retorna um iterador com a posição encontrada, ou a posição após o final se não encontrar nada. Então deveria fazer algo assim: if (di.find(valor) != di.end()) di.insert(valord); Coloquei no GitHub para referência futura.


4

Existem 2 erros no código. // errado cin >> valor >> valord; if (di.find(valor)) // erro de sintaxe: find retorna um "iterator" e não um bool di.insert(valor); // erro lógico: deve ser "valord" // certo cin >> valor >> valord; if (di.find(valor) != di.end()) // <---- di.insert(valord); // <----


3

Troque isso: void fibonacci(int x, int y, std::vector<int> fi, int numeroElementos); por isso: void fibonacci(int x, int y, std::vector<int>& fi, int numeroElementos); E faça a mesma mudança na definição da função. Além disso, declare o vetor numeros dentro do while, fica assim: while (std::cin >> valor1 >> valor2 >> ...


3

Sim, é legal (para objetos criados com new) Para os fins desta resposta, estou utilizando o mesmo rascunho utilizado nessa resposta. É um rascunho um pouco antigo, mas a pergunta é sobre c++11, afinal. A expressão delete this é legal? Para avaliarmos a legalidade da expressão delete this, primeiro devemos saber o que exatamente é a expressão this. [...


3

Existem várias situações que ou você fica fazendo manipulações específicas para evitar cópia de dados ou permite que estas cópias sejam feitas criando um custo de desempenho. Isto normalmente ocorre em tipos em que se deseja a semântica de tipo de valor (veja mais sobre o assunto nessa e nessa resposta, é outra linguagem mas a ideia é a mesma) que ...


3

A boa forma de implementar isso é fazer sua classe ser comparável, implementar o operator<. Assim: bool Person::operator<(const Person& other) { return num_ < other.num_; } Agora você pode ordenar qualquer contêiner de pessoas usando o std::sort: std::sort(vecPerson.begin(), vecPerson.end()); Ou ainda: std::sort(vecPerson.begin(), ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam