Respostas interessantes marcadas com a tag

5

Assim como é possível passar argumentos para o código pela função main() através do parâmetro argv (com auxilio do argc) e estes dados vêm de quem chamou o executável, você também pode retornar um dado para quem chamou. Geralmente quem chamou é o sistema operacional (por ação de algum usuário ou script que cuida disto) e é ele que receberá esta informação ...


5

O número retornado só faz sentido no contexto do programa que você criou. Se você estiver ciente de um possível erro, você pode colocar return 1 em um ponto, e return 2 em outro. Se o programa eventualmente falhar, fica mais fácil de traçar qual foi o motivo do erro pelo código retornado.


5

Havia um ; onde não devia finalizando o else, então esta cláusula do if fazia nada e a linha seguinte executava incondicionalmente. Este é o erro principal que faz o ocorrido Além disto há uma condição no else, isto não é necessário neste caso e na forma realizada nem pode ser assim, ou deixa sem condição ou faz um else if (quando couber, não neste caso). ...


3

O nome memmove() dá uma ideia um pouco errada já que ela copia igual à memcpy(), então se de fato quiser que ela se mova precisará apagar a anterior por conta própria. Quase sempre usará a segunda que é mais rápida e faz o serviço bem. A primeira difere pela capacidade de sobrepor o conteúdo, ou seja você pode jogar o conteúdo para um local que pega uma ...


3

Na declaração da classe o método não deve ter implementação e você colocou um inicializador, tem que tirar: class Bispo: public Peca { public: Bispo(int cor); bool checaMovimento(int linhaOrigem, int colunaOrigem, int linhaDestino, int colunaDestino); string desenha(); }; Coloquei no GitHub para referência futura.


3

Tenho duas coisas pra te dizer: primeiro está programando em C e não C++, e isto é preocupante, está cometendo um erro básico, então não seria o caso de aprender os mecanismos da linguagem antes de aprender fazer algo mais complexo? Assim funciona: int main() { char const* path = "/bla/bla"; int *errorp; struct zip *teste = zip_open(path, ...


3

Dar atenção aos tipos é algo de extrema importância em programação, especialmente em C++. Se float fosse inútil ele não existira, certo? Ele é muito útil e espero que não ainda seja um programador de C++, onde ele é útil demais. Um double ocupa o dobro de espaço e em muitos casos isso faz uma diferença enorme. Além disto dependendo do tipo de plataforma um ...


2

Repare que vc está colocando uma virgula no lugar de um ponto e virgula em float v1,v2,v3,vt,vta, deveria ser float v1,v2,v3,vt,vta;.


2

a) Se um char é também do tipo int, como diferenciar um int de um char? O tipo char é um tipo diferente de int. Consegue comprovar apenas com o seguinte: cout << (typeid(int) == typeid(char)) << endl; //0 Mas o char é representado internamente com um valor numérico correspondente à tabela ASCII. Por isso é comum de se converter o valor de um ...


2

Você sabe que este operador é para ser usado com objetos polimórficos e os tipos usados não são polimórficos? E que o objetivo deste operador é obter uma informação em tempo de execução e não algo que você sabe em tempo de compilação, portanto todo esse código é inútil? E sabe que não há garantias que o operador retorne o mesmo identificador de tipo para ...


2

O código tem bastante erros, e embora vá conseguir entregar o trabalho não parece que estará aprendendo a resolver o que surge e isto lhe trará problemas no futuro. Boa parte dos erros ocorrem por misturar C com C++. Mesmo escrito corretamente não deveria fazer isto. Como foi dito que deveria ser C++ é assim que demonstrarei. #include <iostream> using ...


2

Você não precisa colocar parâmetros no else, veja um exemplo em que faria sentido usar mais de um if e como isso seria feito: if(a>5){ printf("a é maior que 5); } else if (a < 5){ printf("a é menor a 5); } else { printf("a é igual a 5); } Perceba que o else é a condição default caso nenhuma das condições anteriores deem certo.


2

O problema está em Qual a forma correta de usar os tipos float, double e decimal?. Como você não vai usar um tipo mais adequado em um exercício a solução é equalizar tudo para inteiro, então o ideal é a pessoa digitar a quantidade de centavos como um inteiro, mas se o exercício exigir a entrada como double a primeira coisa que deve fazer é equalizar ...


2

Você quer usar um array, ou em C++ provavelmente um vector funcionará melhor, assim você tem a variável dividida em duas partes, uma variável mais ampla que contém toda uma coleção de outras variáveis e terá um nome como está acostumado. Aí cada um dos elementos dentro dessa lista serão variáveis individuais que serão acessadas pelo seu índice, ou seja, um ...


2

Uma solução alternativa seria criar um vetor de bool para informar se determinado elemento consta, ou não, no vetorA. Em seguida, lê-se o vetorB e todos os elementos de B que também constassem em A seriam imediatamente inseridos no vetorC. Algo do tipo: #include <iostream> void intersecao(char a[], int n, char b[], int m, char c[], int *k) { //...


2

Até onde sei*, isso não é possível de maneira oficial. Essa mensagem é do shell do Windows/DOS para quando você fornece um comando que não existe no sistema. E como o Windows é um sistema fechado, provavelmente este é um nome padrão imutável, não possuindo arquivo de configuração ou entrada no Registro do Windows. Existem algumas possíveis soluções, tanto ...


2

Não é if que você deve fazer, é especialização (um conceito bem mais avançado que não parece que seja o caso de aprender agora). Assim: #include <iostream> #include <string> #include <vector> #include <string.h> using namespace std; template<typename T> int len(T args) { return args.size(); } template<> int len(const ...


1

Como o programa postado está confuso, é mais fácil reescrever do que apontar os erros. #include <stdio.h> #include <stdlib.h> static void CPU(void) { int m, n, nLido; char matriz_A[5][5]; FILE* matrizA; printf("* abrindo arquivo matriz_A.txt\n"); matrizA = fopen("matriz_A.txt", "r"); if (matrizA == NULL) { printf("* nao ...


1

Você está pegando um tipo char que para todos efeitos é um número inteiro, mas ele não é um algarismo. Ele pode ser usado para imprimir um texto qualquer, mas é um número. Ele apenas tem de especial que um texto de um caractere está associado a cada número e isto pode ser impresso para mostrar ao usuário assim. Uma confusão muito comum que a maioria das ...


1

Há um monte de erros. Esse daí é só o primeiro que o compilador achou. Em especial, o uso do >> é algo do C++ que usa cout. Já o scanf que é do C não usa >>. Aliás, esse erro que você teve tem cara de C++ e não de C. Devo lembrar que C e C++ são linguagens bem diferentes, e que você provavelmente deve estar tentando aprender o C, mas o seu código ...


1

Vejamos... Considere o arquivo com os dados da matriz arranjado da seguinte forma: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 ... Ou mesmo da seguinte forma: 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 Se leres os dados do arquivo para a matriz com o algoritmo que segue: for( m = 0; m < ...


1

Saudações Você precisará fazer o processo em duas etapas: 1 - Você terá que ler o arquivo e inserir os dados na matriz; 2 - Depois de inserir os dados na matriz ai sim você poder ler O que está acontecendo é que você está imprimindo ANTES de ter alguma coisa dentro da matriz, o fgets não funciona da forma como vc está pensando! Você não postou o ...


1

Criar algoritmos é diferente de criar códigos, pois para se criar um algoritmo e bem otimizado, você deve ser um bom matemático e saber bem do funcionamento como um todo de computação. Sobre a Complexidade de Tempo Em ciência da computação, a complexidade de tempo de um algoritmo quantifica a porção de tempo tomada por um algoritmo para rodar em função ...


1

Encontrei dois problemas semelhantes no código: void calc_media(){ double media[c]; for(int j=0; j<c; j++){ for(int i=0; i<l; i++){ media[j]+= vet[i][j]; // <- aqui } media[j]/=l; } desv_padrao(media); } media[j] não foi inicializado, voce deveria fazer algo como: double media[c]; for(int j=...


1

Não consigo controlar a entrada de dados para que o usuário não insira caracteres em branco, por exemplo: Caso ele insira A B C D, os espaços em branco serão armazenados em cada index do vetor. Se for só esse o problema, aqui vai um exemplo de entrada de dados ignorando espaços. Estou usando vector porque simplesmente não faz sentido usar ponteiros e ...


1

Você pode usar uma lambda: Aviao *av1 = new Aviao(); thread first([av1]{ av1->imprime(); }); // meu método dentro da thread Ou alternativamente usar a função bind: #include <functional> ... thread second(std::bind(&Aviao::imprime, av1));


1

Na declaração das suas variáveis, na FLOAT você finalizou com uma "," e não um ";" Troque a "," por um ";" e compile novamente.


1

Como tem muitos erros vou listá-los em vez de tentar consertar um ponto específico. Indentar e dar nomes para variáveis que tenham significado não são frescuras, isto ajuda muito os programadores mais avançados entenderem o que estão fazendo e achar possíveis problemas, imagine para para quem está começando. Ninguém deveria programar sem ter isso muito ...


1

São alguns problemas. O principal é que seu exemplo lerValor('a',1,10); não ajuda a entender o que você quer fazer. 1) A variável grupo precisa ser um array para inteiros. Se você pretende inicializar com um valor inteiro, não pode copiar um char. 2) Você precisa passar o tamanho do array que quer inicializar e não a posição. Se você quer atualizar apenas ...


1

Primeiro, a variável grupo precisa ser um vetor para poder utilizar o operador de colchetes []. Além disso deve ser um vetor de valores inteiros. Segundo, se você quer passar o vetor a como parâmetro da função lerValor() deve utilizar o nome da variável sem aspas, ou seja, a ao invés de 'a'. Assim, a definição da função fica dda seguinte forma: void ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam