Respostas interessantes marcadas com a tag

46

Parte concreta Como o nome diz o binário é só uma sequência de bits, ou seja, algum indicador de estado ligado ou desligado. No momento da sua execução são apenas pulsos elétricos de baixa e alta tensão (alta é modo de dizer, na verdade é bem baixa, só é um pouco mais alta, e baixa é quase zero). Tudo isso vai passando por portas lógicas (são equivalentes ...


19

Depende da origem de onde necessita ler o arquivo se deseja ler da máquina do usuário, você precisará do File API combinado com <input type="file">. Ler um arquivo: function LerArquivo(file, done, fail) { var reader = new FileReader; reader.onload = function(evt) { done(evt.target.result); }; reader.onerror = function(...


11

Complementando o assunto, Num resumo geral, para quem está boiando, a lógica do código binário é 0 -> desligado 1 -> ligado. Computação moderna Os primeiros "computadores modernos" organizavam dados em "cartões de furos". Normalmente quem frequentou aulas básicas de informática, aprende sobre o assunto. Os cartões de furos foram criados em 1832 e mais ...


10

Na verdade, o resultado obtido é o certo (assumindo complemento de 2 , como percebido pelo @Isac). Mas não é -5, e sim -27. Mas se você assumir sinal magnitude (veja mais abaixo), o binário que você obteve seria -5 mesmo, mas eu creio que não se faz soma desse jeito na representação sinal magnitude, portanto sou levado a crer que você está a usar complemento ...


10

A diferença não se dará (ao menos por um considerável espaço de tempo) na codificação de nós mortais programadores. Como vivemos num mundo físico e não quântico, nossas aplicações são feitas na maioria das vezes para solucionar problemas físicos. Atualmente usamos computação baseada em bits, e cada bit só pode ter um estado físico (0|1), chamado estado ...


6

@dellasavia, 1111011 é apenas 1 byte, no caso um N'123' é um nvarchar com 3 caracteres. Sendo que cada caracter de um nvarchar ocupa 2 bytes, totalizando 6 bytes. 0x310032003300 pode ser lido da seguinte forma em HEX: HEX: 31 00 32 00 33 00 O Binario neste caso seria algo como: Binary: 00110001 00000000 00110010 00000000 00110011 00000000 porem se ao ...


6

Você pode criar uma função para isto: CREATE FUNCTION [dbo].[DecimalToBinary] ( @Input bigint ) RETURNS varchar(255) AS BEGIN DECLARE @Output varchar(255) = '' WHILE @Input > 0 BEGIN SET @Output = @Output + CAST((@Input % 2) AS varchar) SET @Input = @Input / 2 END RETURN REVERSE(@Output) END E usar desta forma: ...


5

Não há dicotomia entre essas duas coisas. A função existe para isolar e/ou generalizar um algoritmo, o laço serve para repetir coisas. A não ser que esteja falando em usar iteração ou recursão. Em linguagens imperativas eu sempre opto por iteração até que a recursão seja mais adequada. Duvido que precise armazenar tudo isto em um vetor estático ou dinâmico....


5

Dê uma olhada no código mostrando cada passo que ajuda entender um pouco melhor. O 0x80 é o hexadecimal do número decimal 128. Que em binário é o 10000000. Quando ele aplica o operador & de and, cada bit de um número é comparado com outro e o resultado será 1 se ambos forem 1, ou 0 se ambos forem 0 ou se apenas um deles for 1. É assim que este operador ...


5

Primeiro, o select deveria ser assim: SELECT email, senha from login WHERE usuario = ? and senha = ? e não assim: SELECT email, senha from login WHERE usuario = ? && senha = ? BINARY não existe em outros SGBDs e no MySQL a sua função é forçar uma comparação exata, ou seja, uma comparação case-sensitive, byte a byte. SELECT 'senha' = '...


5

A minha dúvida é como o compilador sabe que estou a trabalhar em binário? Existe algum metodo que possa colocar o numero de maneira a o compilador saber que realmente é um numero binario? O compilador não sabe, inclusive não há nada que indique isto no código. O conceito mais importante que precisa ser aprendido aqui que essa ideia de decimal binário ou ...


4

nos modelos que tenho testado em meu trabalho, o que apresenta o melhor resultado (AIC BIC etc) não é o GLMM que partiu de todas as variáveis que possuo e sim o GLMM que parte das variáveis mais estatisticamente significativas oriundas da regressão logística. Atenção: menor AIC ou BIC não significa, necessariamente, que o modelo ajustado é o melhor. A ...


3

Não tem jeito sem saber qual codificação foi usada para gerar esse arquivo. .dat costuma ser usado para dizer que esse é um arquivo binário em um formato que só o programa que o criou entende. Esse tipo de arquivo vem caindo em desuso em favor de alternativas auto-descritivas, de forma a separar a representação dos dados do programa que usa os dados. Você ...


3

Se você deseja segmentar de maneira binária, uma possibilidade seria utilizar bit flags em uma prática chamada bit masking. O funcionamento é bastante simples. Digamos que você possui 8 categorias de erros, e deseja reservar até 256 possíveis erros em cada categoria. Você poderá utilizar então um short integer (16 bits) para armazenar todos os possíveis ...


3

Basicamente o que o codigo está fazendo na linha converted += (byteArray[i] & 0x80) > 0 ? "1" : "0"; é comparar o bit mais significativo do ByteArray e verificando se é 1 ou 0 fazendo uma and bit a bit com 0x80 Dai ele pega o valor do ByteArray e desloca os bits do caractere uma casa para esquerda, fazendo este processo para todos os 8 bits do ...


3

Primeiro o manual diz que estará disponível no PHP 6 (que é uma versão que morreu). Ou outra versão já que até nisto o PHP é uma bagunça. Então você não poderá testar agora. Este tipo de operação não deveria ser um cast. Mas é o PHP, já deveríamos estar acostumados. Você está mudando o valor obtido com o cast. Não consigo imaginar porque. Por isto deu o ...


2

Sem ter o código completo pra rodar, é difícil adivinhar exatamente o que está indo errado. Dito isso, uma coisa que está estranha no seu código é que você está lendo o valor do campo sem esperar o onload rodar primeiro. Não esperar pela callback quando o código é assíncrono é um bem erro comum. Tente colocar o código que usa o resultado dentro do callback:...


2

A lógica de um computador quântico é completamente diferente! Primeiro, toda função usada em um computador quântico deve ser reversível, ou seja, com a saída deve ser possível gerar novamente a entrada. A maioria dos algoritmos dos computadores convencionais já quebram essa regra. Por exemplo a adição não é reversível! Se você somar 2+7 vai dar 9, mas é ...


2

Bem, primeiro que em Java (e também C#, Javascript, C++, Python, entre outras), usar códigos de erro é considerado uma má-prática de programação. É para isso que o mecanismo de exceções foi inventado, para que os códigos de erro se tornassem desnecessários sendo substituídos por objetos que carregam informações sobre o erro ocorrido sem ter que poluir o ...


2

Utilizando operações bitwise: CREATE FUNCTION dbo.Int2Binary (@i INT) RETURNS NVARCHAR(16) AS BEGIN RETURN CASE WHEN CONVERT(VARCHAR(16), @i & 32768 ) > 0 THEN '1' ELSE '0' END + CASE WHEN CONVERT(VARCHAR(16), @i & 16384 ) > 0 THEN '1' ELSE '0' END + CASE WHEN CONVERT(VARCHAR(16), @i & 8192 ) > 0 THEN '1'...


2

O código é confuso, faz muita coisa desnecessária. A pergunta é extensa, mas pouca informação útil. Um dos motivos de ter dificuldade é o código ser complexo demais. Nem os mais experientes se viram bem com código complicado. Eu faria assim: #include <stdio.h> #include <string.h> int main(){ char mensagem[200]; printf("Digite a mensagem:...


2

DECIMAL PARA BINÁRIO Algoritmo: Implementação: #define swap( a, b ) do{ int tmp = a; a = b; b = tmp; }while(0) const char * dec2bin( char * bin, int d ) { int i = 0; int j = 0; for( i = 0; d > 0; d /= 2, i++ ) bin[i] = (d % 2) ? '1' : '0'; for( j = 0; j < (i / 2); j++ ) swap( bin[j], bin[ i - j - 1 ] ); bin[...


2

Conversor: #include <stdio.h> #define MAX_BUF_LEN 100 int main( int argc, char * argv[] ) { FILE * fin = NULL; FILE * fout = NULL; char buf[ MAX_BUF_LEN ] = {0}; int nlinha = 1; int n = 0; int seq = 0; int ativ = 0; int dt = 0L; int hr = 0L; if(argc < 3) { printf( "Erro de Sintaxe:\n\t%s ...


2

Em C, enquanto não deres o flush no arquivo ou fechares o mesmo, o que está armazenado no buffer não é passado para o arquivo de fato. Te aconselho a abrir o arquivo para leitura, usá-lo e fechá-lo. E quando quiser escrever no mesmo, faça o mesmo procedimento. Segue o código que usei para teste: typedef struct{ int free_slot; }header; int main(){ ...


1

Encontrei uma solução para o problema. Usando o modo r+b o algoritmo funciona (estava utilizando a+b para criar um arquivo caso ele não existisse, mas por algum motivo este modo não está funcionando na minha aplicação).


1

Foi como consegui fazer, mas concorda que isso parece "errado"? Sim, parece um pouco errado. Pelo menos pela documentação do DataInputStream: ... An application uses a data output stream to write data that can later be read by a data input stream. ... e esse arquivo não parece ter sido gerado por um DataOutputStream, mas a intenção do DataInputStream é ...


1

O modo A seria o correto. Ignore o nome bit - Um valor em binário é representado da mesma maneira que um valor em decimal: Em um número inteiro as posições de maior valor se localizam à esquerda, já que novas posições são adicionadas quando a posição anterior sofre overflow: 8 + 1 // 9: Uma casa decimal 9 + 1 // 10: Não pode ser contido ...


1

Os comandos "JO" (jump on overflow) ou "JNO" (jump on not overflow) possibilitam fazer esse teste e seguir conforme o caso.


1

Resgate os bytes da String binária: public Byte[] GetBytesFromBinaryString(String binary) { var list = new List<Byte>(); for (int i = 0; i < binary.Length; i += 8) { String t = binary.Substring(i, 8); list.Add(Convert.ToByte(t, 2)); } return list.ToArray(); } byte[] bytes = GetBytesFromBinaryString("010001010101111001111111"); ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam