Skip to main content

Um autômato é posto para rodar sobre uma dada sequência de entradas em passos de tempo discretos. Para cada passo, um autômato recebe uma entrada que é obtida a partir de um conjunto de símbolos ou letras, que é chamado de alfabeto. Em qualquer momento, os símbolos que servem de entrada para o autômato formam uma sequência finita de símbolos, que é chamada de palavra.

Um autômato é suposto para rodar sobre uma dada sequência de entradas em passos de tempo discretos. Para cada passo, um autômato recebe uma entrada que é obtida a partir de um conjunto de símbolos ou letras, que é chamado de alfabeto. Em qualquer momento, os símbolos que servem de entrada para o autômato formam uma sequência finita de símbolos, que é chamada de palavra. Um autômato contém um conjunto finito de estados. Para cada instante de tempo durante a execução, o autômato está em um de seus estados. Resumindo, um autômato é um objeto matemático que tem uma palavra de entrada e decide se aceita ou rejeita esta palavra. Como todos os problemas computacionais são redutíveis para o problema de aceitação de palavras (todas as instâncias do problema podem ser representadas por um tamanho finito de símbolos), a teoria dos autômatos desempenha um importante papel na teoria computacional.