Respostas interessantes marcadas com a tag

35

Sim, aumenta. E daí? Primeiro, será um aumento mínimo. Irrelevante na maioria dos casos, se não todos. O ganho será só na carga. E provavelmente você não conseguirá nem medir. Provavelmente você não precisa ter esse ganho. E se precisar, tem muitas outras coisas mais importantes para melhorar a performance. Esqueça isso, pense na organização. É óbvio que ...


28

Quando usar ANSI e quanto usar UTF-8? Estritamente falando quando você usa UTF-8 está adotando o set de caracteres ANSI. Mas eu acho que você está usando o termo ANSI erroneamente. Não é culpa sua, há muitos anos o termo está sendo usado de forma errada. Provavelmente você está querendo comparar UTF-8 e ISO-8859-1/Latin 1 (que costuma ser confundido com ...


26

TL;DR UTF-8 é um esquema largamente utilizado ao passo que ANSI é praticamente obsoleto. ANSI usa um único byte ao passo que UTF-8 usa uma codificação multibyte. UTF-8 pode representar uma gama de caracteres muito maior que o bastante limitado ANSI. Pontos de código UTF-8 são uniformemente padronizados enquanto que o ANSI possui muitas diferentes versões. ...


22

Para obter a extensão de um arquivo de maneira pratica uso: var ext = path.split('.').pop(); No caso o split dividiu o path em um array e o pop vai remover e retornar o último elemento desta array, exatamente a extensão que procuro. Uma versão mais precisa seria: // Pegar somente a ultima parte, afinal podem ter pastas com . no caminho var ext = path....


21

A forma mais fácil de ler um arquivo em Java, depois do Java 7, é através da biblioteca NIO2. Você faz isso com uma única linha de código: String dados = new String(Files.readAllBytes(file.toPath())); É também a forma mais rápida. Consideravelmente mais rápido do que o Scanner e demais soluções apresentadas. A classe Files também possui um método para ler ...


21

Gerar um código PHP em que as classes utilizadas estão no mesmo arquivo seria "mais rápido" do que ter elas "espalhadas" pelos diretórios? Teoricamente executar um único arquivo diminui o acesso ao disco, que não precisa buscar por diversos outros arquivos. Porém se preocupar com isso pode ser uma otimização precoce, pois ao utilizar o OpCache, que ...


19

Depende da origem de onde necessita ler o arquivo se deseja ler da máquina do usuário, você precisará do File API combinado com <input type="file">. Ler um arquivo: function LerArquivo(file, done, fail) { var reader = new FileReader; reader.onload = function(evt) { done(evt.target.result); }; reader.onerror = function(...


18

Para isso você utiliza o file_exists, além de URL remoto ele funciona com caminhos absolutos ou relativos do próprio servidor, desta forma: if(file_exists('http://www.dominio.com/imagens/minha-imagem.jpg')){ //seu código... } outras funções úteis são: is_readable - Diz se o arquivo pode ser lido. file - Lê todo o arquivo para um array ...


17

A minha abordagem para lidar com esta questão passa por recorrer à Biblioteca Client URL (cURL) (Inglês) para recolher o HTTP Status code (Inglês) e com o mesmo saber se existe ou não a imagem no URL indicado: /** * URL Exists * * Verifica se o caminho URL existe. * Isso é útil para verificar se um arquivo de imagem num * servidor remoto antes de ...


17

JavaScript é executado dentro do "ambiente" do navegador não sendo possível passar para o sistema operativo, onde efectivamente o documento existiria e seria possível ler e escrever no mesmo. O que pretendes neste momento não é possível. Ler ficheiros O máximo que consegues é ler um ficheiro presente no computador da pessoa que acede à página ...


16

Você pode fazer: import os.path os.path.isfile('nome do arquivo') Mas essa abordagem não é considerada a mais pythônica. Seguindo o princípio que é melhor pedir perdão que permissão, é melhor fazer: try: with open('nome_do_arquivo', 'r') as f: processar_arquivo(f) except IOError: print u'Arquivo não encontrado!' os.path.isfile() e os.path....


16

No .NET Framework 2.0 e posteriores, a classe File tem o método ReadAllText() que faz exatamente isso. O código acima ficaria assim: var texto = File.ReadAllText("arquivo.txt");


14

Qual a melhor forma não posso dizer, até porque o que é melhor para um caso pode ser pior para outro. Posso dar opções. Além do método já citado pelo Reiksiel, existem algumas outra opções: Existe a biblioteca EPPlus que é uma das utilizadas para essa função. Pode usar a biblioteca Excel Data Reader que é um projeto open source que faz o trabalho duro por ...


14

Creio que o mais simples é isso: <?php basename( __FILE__ ); ?> Alternativa, que dá até mais informações: <?php $path_parts = pathinfo( __FILE__ ); echo $path_parts['basename']; ?> Veja ambas funcionando no IDEONE.


13

Olá, já tive que fazer algo parecido, fica algumas sugestões que melhoraram bastante o desempenho no meu caso. 1 - Altere a propriedade LogChanges do ClientDataSet para False (isso diminui bastante o tempo de inserts em massa) 2 - Se você não está exibindo os dados do ClientDataSet em algum controle visual execute ClienteDataset.DisableControls antes de ...


13

Você pode utilizar o módulo pathlib. from pathlib import Path data_criacao = lambda f: f.stat().st_ctime data_modificacao = lambda f: f.stat().st_mtime directory = Path('/seu/diretorio') files = directory.glob('*.txt') sorted_files = sorted(files, key=data_modificacao, reverse=True) for f in sorted_files: print(f) Assim, será apresentado na tela o ...


12

De nada adianta poder verificar se um arquivo está em uso num ambiente de concorrência. Normalmente o que se faz, é tentar executar a operação desejada, e colocar um try/catch em volta da operação com o arquivo... afinal, logo após se fazer a verificação, um outro agente externo pode passar a usar o arquivo. Explicação Ao fazer isso: if (!ArquivoEstaEmUso(...


12

Se você estiver usando pelo menos o .NET 4.0 basicamente você precisa disto: Directory.EnumerateFiles(fbd.SelectedPath, "*.*", SearchOption.AllDirectories)) Documentação Ou pode usar desde a versão 2.0: Directory.GetFiles(fbd.SelectedPath, "*.*", SearchOption.AllDirectories)) Documentação Coloquei no GitHub para referência futura. Ou ...


12

Não é uma questão de ser melhor, é uma questão de onde você precisa que seja feita a escrita. puts() escreve no console, enquanto que fputs() escreve através de um manipulador em arquivo aberto anteriormente. veja as declarações da funções que deixam clara a diferença. int puts(const char *s); int fputs(const char *s, FILE *stream); Embora não seja comum, ...


12

Vou descrever o que você precisa fazer, se der, mais tarde eu tento escrever algum código. Mas já adianto que não dá para fazer da forma mais precisa porque suas linhas não tem tamanho fixo. Então você tem que fazer mais ou menos o que um banco de dados faz, com a diferença que o banco de dados organizou os dados para isto. Você já aprendeu como acessar o ...


12

Depende da intenção. Me parece pela descrição que o arquivo é mais negócio. Se for exatamente como você disse. Mas tem quem goste de por tudo em banco de dados, pelo menos em SQLite. Alguns preferem por em um banco de dados se já está usando um para outras coisas. Isso pode ser útil para facilitar backup replicação, segurança de acesso, etc. Evidentemente ...


12

O teu código está muito próximo do que estas a tentar obter. Tenta assim: $ext = pathinfo($filename, PATHINFO_EXTENSION); A função pathinfo pode receber várias opções de acordo com as tuas necessidades: PATHINFO_DIRNAME PATHINFO_BASENAME PATHINFO_EXTENSION PATHINFO_FILENAME Pode acontecer, não sei se é o teu caso, que o ficheiro não tenha ...


12

Obviamente o arquivo possui metadados com as informações relevantes. Normalmente é um cabeçalho com os dados, seu formato varia em cada tipo de imagem de acordo com alguma especificação normalmente pública para que todos possam desenvolver seus algoritmos para pegar/manipular as informações que deseje. Além dos dados básicos que formam a imagem propriamente ...


12

Pode ser por várias razões: Uma delas é fazer a gravação se efetivar. Tem vários modos de manipulação de arquivos que só jogam no disco se precisar mesmo ou quando fechar. Então sem fechar não é gravado. Se deixar que o sistema operacional se encarregue de fechar quando o processo que o detém se encerra pode não só não gravar tudo o que precisa, mas pode ...


11

Apenas Listando alguns outros métodos: Classe Files no Java 11+ (recomendado) String texto = Files.readString(Path.get("dados.txt"), StandardCharsets.UTF_8); O truque do Scanner: String texto = new Scanner(new File("dados.txt"), "UTF-8").useDelimiter("\\A").next(); Guava (útil para quem ainda não pode usar o Java ...


11

Uma maneira de fazer isso é utilizando a biblioteca padrão NIO2 (New Input/Output 2), disponível a partir do Java 7: static String readFile(String path, Charset encoding) throws IOException { byte[] encoded = Files.readAllBytes(Paths.get(path)); return encoding.decode(ByteBuffer.wrap(encoded)).toString(); } Uso: String content = readFile("test....


11

Existem diversas formas de se fazê-lo. Aí vão algumas: Opção 1 FileInputStream inputStream = new FileInputStream("dados.txt"); try { String texto = IOUtils.toString(inputStream); } finally { inputStream.close(); } por @Knubo. Opção 2 Scanner in = new Scanner(new FileReader("dados.txt")); while (in.hasNextLine()) { String ...


11

De forma geral não tem limite além do físico. Os problemas que podem acarretar é não saber carregá-lo na memória por ser grande, se bem que 43MB para os dias de hoje é trocadinho e não costuma nem ter que tomar cuidados especiais. Se estiver usando um stream então ele deve controlar o acesso da melhor forma para não "engasopar"* a memória. O que vai fazer ...


10

Existe a opção de usar o OleDB e ler o arquivo do Excel como uma tabela em um banco de dados... Um exemplo..... string con = @"Provider=Microsoft.Jet.OLEDB.4.0;Data Source=D:\temp\test.xls;Extended Properties='Excel 8.0;HDR=Yes;'" using(OleDbConnection connection = new OleDbConnection(con)) { connection.Open(); OleDbCommand command = new ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam