Respostas interessantes marcadas com a tag

34

Bom, é sempre preferível utilizar um SGDB que trate dados em árvore de forma natural, melhor ainda quando ele for especialmente desenhado para tal fim, como por exemplo, o Neo4j. Porém existem algumas formas de se trabalhar em SGDB's relacionais, vou enumerar 4 delas: 1. Lista Adjacente Solução mais comunmente utilizada, cada entrada (registro) conhece ...


20

Para determinar a melhor estrutura para representar sua árvore, faça as seguintes perguntas: A profundidade máxima é garantidamente muito pequena? (i.e. no máximo uns 3) Se a resposta for sim, uma solução mais simples pode ser a ideal (as souções mais complexas "se pagam" quando a escala do problema é grande). A "Lista de Adjacências" (Adjacency List) - ...


8

Breadth first e depth first são duas estratégias de busca semelhantes, porém distintas. Normalmente você encontra o termo completo: BFS ou DFS, onde o S da sigla significa search. Seus significados são: breadth first search: busca pela largura primeiramente depth first search: busca pela profundidade primeiramente Sim, existem outras alternativas de ...


8

Em programação, o que seria uma árvore? Na teoria dos grafos, uma árvore é um grafo conexo (existe caminho entre quaisquer dois de seus vértices) e acíclico (não possui ciclos). Seria o mesmo princípio da Árvore N-ária de Pesquisa ou Árvore Binária, porém na Árvore cada nó pode ter vários sucessores porém apenas 1 antecessor. Veja o exemplo: É parecido ...


6

Desafio de paralelismo A primeira coisa que se deve ter em mente quando se pensa em paralelismo é a dependência de cada tarefa que potencialmente pode ser executada em paralelo. Claro que nem tudo é preto no branco quando falamos de paralelismo e concorrência, mas neste caso em específico creio que isso faz uma diferença crucial, já que a dependência do nó ...


6

Uma maneira super simples de contornar as dificuldades desse problema é usar umas variáveis globais para os parâmetros da busca e pro valor de retorno, o que permite manter a função recursiva focada exclusivamente na iteração: static int n_arvore; static int k_alvo; static int k_esimo_elemento; void percorrerArvore(Nodo* T){ if (T != NULL){ ...


6

Eu vi a resposta do @pcccj e concordo com o que ele diz, sobre retornar o item, e não apenas escrever seu valor. Existem várias formas se de fazer isso, desde um algoritmo genial que manipule o retorno da função de busca com maestria até um algorítmo simples mas que faça uso das ferramentas do C. Como eu não sou tão inteligente assim, aqui vai um algoritmo ...


6

Uma árvore é uma estrutura de dados em um sistema de hierarquia com uma raiz, galhos e folhas, ou seja, começando um ponto ponto vai abrindo caminhos diferentes de acordo com o dado, até chegar no dado que deseja. Isto é muito útil porque usa o que se chama dividir e conquistar. Com um determinado critério é possível ir organizando os dados em grupos de tal ...


6

Gostaria de ter colocado como comentário a resposta do @hernandes, porém, ficou um pouco extensa, então coloco aqui como resposta. Estou usando Lista Adjacente em alguns sistemas. Uma desvantagem é o trabalho em fazer coisas como um breadcumb. Também tem uma dificuldade em determinar quando um nó está desativado e impedir de que suas dependências sejam ...


6

Todos são estruturas de dados baseados em grafos. De grosso modo, um grafo é uma estrutura definida por um conjunto de pontos P e um conjunto de arestas A, onde um elemento a do conjunto A tem dois atributos, a.origem e a.destino, sendo que ambos a.origem e a.destino pertencem ao conjunto P. Um grafo pode ser totalmente conectado (grafo conexo), ou ele pode ...


5

Uma árvore tem altura ('height') e diâmetro o largura ('diameter' o 'width'). Altura - O número de arestas no rumo entre o nodo raiz e o nó folha mais distante. A altura da árvore abaixo é 3. (As vezes pessoas aumentam 1 por contar os nívels da árvore em vez das arestas.) Diâmetro - O número de nodos no rumo mais longo na árvore. A árvore abaixo tem um ...


5

Para resolver isso, precisamos fazer uma consulta recursiva. Para fazer uma consulta recursiva, usamos a Expressão Comum de Tabela (CTE). Note que a própria documentação do SQLite informa que CTEs fazem parte da especificação SQL:1999, portanto essa solução é padrão. Spoiler: para SQLServer, consultas recursivas se fazem somente com WITH, sem a ...


3

1: No Case 1 voçê está removendo um nó que não tem filhos da nem direita nem da esqueda. Remove ele da memória e seta como null para que o pai de root não aponte para um local da memória que foi 'desalocado'; 2 e 3: Não, temp possui o endereço do 'antigo' root pois root agora está apontando para root->right . No Case 2 ele efetua a operação de remoção ...


3

O ideal seria que a funcao retornasse o valor final(T->Elemento) através de um return, e não de um printf(). Mas fiquei sem ideia. Talvez alguém possa completar. int Kth(Nodo* T, int cont, int pos) { if (T != NULL) { cont = Kth(T->Esquerda, cont, pos); if(cont != 0) { if(cont == pos) { ...


2

Existem alguns fatores que podem interferir no desempenho de ambos os casos. A forma de implementação e qual é o conteúdo dessa "cabeça" podem interferir na análise do desempenho dos dois métodos de criação de uma árvore binária. Toda árvore precisa ter sua raiz apontada para que não se perca na memória, mas não necessariamente por uma "cabeça". Levando em ...


2

O que é uma árvore balanceada? Uma Árvore balanceada e uma estrutura onde a profundidade de seu nó esta sempre organizados de forma crescente ou decrescente sendo a raiz sendo o valor central a partir do de sua folhas , ela pode ter um balanceamento estático ou dinâmico. O balanceamento estático acontece depois que ela recebeu todas as entrada, agora o ...


2

Aparentemente, o erro é nessas duas linhas: maior = &t->dado; printf("%p %p", maior, &t->dado); Acho que o que você queria era isso: *maior = t->dado; Fazendo-se essa mudança simples, a saída foi 6. Veja aqui funcionando no ideone. Agora, vou fazer umas sugestões ao seu código. Esconder que tipos de ...


1

Assumindo que sua estrutura de dados seja algo como: struct veiculo_s { char * lote; char * placa; char * uf; char * renavam; char * chassi; char * motor; char * ano; char * marca_modelo; char * proprietario; char * financeira; char * valor; }; Segue uma solução (testada) ilustrando como carregar os dados da ...


1

Olhe isso: Politico* p = NULL; p->id = 1; Se p é NULL, é óbvio que p->id = 1; vai dar um crash. Vejamos o que você tenta fazer: No main você tenta criar (incorretamente) um Politico. Você retira todos os dados deste Politico e passa eles um a um para a função inserirPoliticos. Na função inserirPoliticos, a função criarP é chamada. Na função criarP, ...


1

A B-tree é um tipo de generalização da árvore binária, onde os nós são agrupados em páginas e cada uma delas pode apontar para várias outras. Suas propriedades a fazem ideal para trabalhar com discos, pois minimiza as operações mais custosas (girar o disco e mover o cabeçote, ou seja, iniciar a leitura de um bloco). Quando Bayer e McGreight escreveram seu ...


1

O seu código é baseado em posicionamentos absolutos e margens relativas à disposição que você tem agora (i.e., a classe label fica a 50% do topo da sua div pai, a classe branch tem margin-left: 250px, e assim por diante). Ou seja, ele foi feito para ser mostrado da esquerda pra direita. Se você precisa, necessáriamente, fazer essa conversão, eu vejo dois ...


1

As árvores B+ foram desenhada para funcionarem em disco. O uso típico de Árvores B+ contempla possibilidade de enorme quantidade de chaves (ex. milhões), tipicamente ter os nodos todos em ficheiro e só ser carregado para memória as páginas necessárias. No geral cada página costuma ter tamanho fixo (para permitir mais facilmente calcular o local em disco ...


Apenas as respostas wiki não pertencentes à comunidade mais votadas e de um tamanho mínimo se qualificam