Use Stack Overflow for Teams no trabalho para encontrar respostas num ambiente privado e seguro. Os primeiros 10 usuários são grátis. Registre-se
3 de 4 removeu 4 caracteres do conteúdo; conteúdo editado

O que é paradigma?

Em programação, um paradígma é uma maneira de se pensar sobre problemas e desenvolver as soluções. Diz-se que uma dada linguagem de programação suporta um dado paradigma.

Ao resolver um problema, o programador desenvolve um modelo mental do mesmo. O conjunto de conceitos que ele usa para entender o problema e estruturar a sua solução é o que chamamos de paradigma.

Por exemplo, se ele adota o paradigma da orientação a objetos, irá pensar no problema como um conjunto de objetos que possuem estado na forma de variáveis e expõem comportamento através de métodos. No entanto, se em vez disso ele empregar o paradigma funcional, ele adotará um modelo mais matemático, modelando o problema como uma série de funções que podem ser compostas.

Da mesma forma: se ele prefere dizer para o computador exatamente o que fazer, então ele está pensando de forma imperativa. Se é melhor especificar os fatos sobre o problema a ser resolvido e deixar o computador trabalhar sem especificar como, então ele está resolvendo o problema de forma declarativa.

Esses paradigmas se concretizam na hora de codificar a solução do problema em uma linguagem de programação. É nessa hora que as diferenças entre elas se tornam mais evidentes, até mesmo entre aquelas que suportam o mesmo paradigma.

Java é um clássico exemplo de linguagem que suporta orientaçao a objetos, mas existem linguagens como Smalltalk que levam esse paradigma a lugares que Java simplesmente não pode chegar. É possível usar orientação a objetos em C, mas a grande custo: o que em Java é implícito na própria linguagem, como herança entre classes, tem que ser explicitamente codificado em C.

É possível selecionar dados em um banco de dados de forma imperativa. De fato, o banco de dados opera dessa forma. Mesmo assim é mais prático simplesmente dizer quais dados você quer usando SQL e deixar ele descobrir o que tem que fazer sozinho. De vez em quando, o software faz isso de forma ineficiente e isso vira um problema; é este o momento de pensar de forma imperativa, pois considerar como o banco de dados está executando a query permitirá descobrir a causa da ineficiência.

Existe algum mais importante que outro?

Isoladamente, é difícil dizer de forma objetiva. Cada um deles teve um impacto único na forma de pensar dos programadores. Diz-se que não vale a pena aprender uma linguagem de programação que não muda seu jeito de pensar sobre os problemas que resolve.

Quando a pergunta é feita juntamente com uma descrição do problema a qual o paradigma será aplicado, a questão fica mais clara.

É a mesma coisa que design pattern?

Padrões de design são padrões arquiteturais, modos de organizar os elementos da linguagem para gerar efeitos específicos como "garantir que apenas uma única instância de um dado objeto exista".

Um paradigma diferente pode tornar esses padrôes desnecessários ao oferecer maneiras alternativas de resolver o problema que não apresentam as falhas que o padrão de design tenta mitigar.

É o mesmo que idioma?

Idiomas existem no contexto de uma linguagem de programação. Referem-se a padrões recorrentes de uso da linguagem por programadores.

Pode-se dizer que código idiomático é aquele que explora a linguagem ao máximo, e por isso é mais claro e sucinto que um suposto código não-idiomático.

Por exemplo, em Ruby, o seguinte código é idiomático:

[1, 2, 3, 4, 5].select &:even?

É equivalente a seguinte código:

[1, 2, 3, 4, 5].select { |n| n.even? }

O primeiro exemplo é geralmente preferido entre os programadores Ruby experientes por dispensar o uso das chaves e da variável n.

Para compreender o código não-idiomático, basta entender objetos, métodos e blocos; partes simples e básicas da linguagem Ruby. O código idiomático exige muito mais conhecimento do programador:

  • Significado do operador & e sua relação com os blocos
  • Método to_proc
    • Protocolo da linguagem para transformar objetos em blocos
  • Símbolos
    • Symbol#to_proc e seu funcionamento

Dotado desse conhecimento, um programador Ruby pode descobrir que é possível combinar o operador unário & com um símbolo. O & converte usando to_proc e passa seu argumento como um bloco na chamada de um método, enquanto um símbolo pode ser implicitamente convertido para um bloco no padrão :sym => proc { |x| x.sym }. Nasce um idioma.