Use Stack Overflow for Teams no trabalho para encontrar respostas num ambiente privado e seguro. Os primeiros 10 usuários são grátis. Registre-se
1 de 4

Em programação, um paradígma é uma maneira de se pensar sobre problemas e desenvolver as soluções. Diz-se que uma dada linguagem de programação suporta um dado paradigma.

Ao resolver um problema, o programador desenvolve um modelo mental do mesmo. O conjunto de conceitos que ele usa para entender o problema e estruturar a sua solução é o que chamamos de paradigma.

Por exemplo, se ele adota o paradigma da orientação a objetos, irá pensar no problema como um conjunto de objetos que possuem estado na forma de variáveis e expõem comportamento através de métodos. No entanto, se em vez disso ele empregar o paradigma funcional, ele adotará um modelo mais matemático, modelando o problema como uma série de funções que podem ser compostas.

Da mesma forma: se ele prefere dizer para o computador exatamente o que fazer, então ele está pensando de forma imperativa. Se é melhor especificar os fatos sobre o problema a ser resolvido e deixar o computador trabalhar sem especificar como, então ele está resolvendo o problema de forma declarativa.

Esses paradigmas se solidificam na hora de codificar a solução do problema em uma linguagem de programação. É nessa hora que as diferenças entre elas se tornam mais evidentes, até mesmo entre aquelas que suportam o mesmo paradigma.

Java é um clássico exemplo de linguagem que suporta orientaçao a objetos, mas existem linguagens como Smalltalk que levam esse paradigma a lugares que Java simplesmente não pode chegar. É possível usar orientação a objetos em C, mas a grande custo: mas o que em Java é implícito na própria linguagem, como herança entre objetos, tem que ser explicitamente codificado em C.

É possível selecionar dados em um banco de dados de forma imperativa. De fato, o banco de dados opera dessa forma. Mesmo assim é mais prático simplesmente dizer quais dados você quer usando SQL e deixar ele descobrir o que tem que fazer sozinho. De vez em quando, o software faz isso de forma ineficiente e isso vira um problema; é este o momento de pensar de forma imperativa, pois considerar como o banco de dados está executando a query permitirá descobrir a causa da ineficiência.