2

Não soube qual era a melhor forma de fazer essa pergunta, mas me deparei com a seguinte dúvida...

Dentro de um documento, possuo alguns require_once (que fui montando durante um tempo), no código eles estão dessa maneira:

<?php
   require_once("diretorio/arquivo.php");
   require_once("diretorio/arquivo2.php");
   require_once("diretorio/arquivo3.php");
?>

É possível que ao invés de replicar um require_once, eu faça da maneira como vou deixar abaixo?

<?php
   require_once("diretorio/arquivo.php", "diretorio/arquivo2.php", "diretorio/arquivo3.php");
?>

Mesmo sendo ou não sendo possível, qual seria a melhor maneira de estruturar todos esses require? Um por linha ou tudo em um?

  • 2
    Sugestão minha, faça um arquivo inc.php onde você adiciona todos os require's, informando o endereço relativo completo. Dai, sempre que precisar fazer um require para alguns arquivos, basta setar para o inc.php. – user28595 16/11/15 às 16:18
  • 1
    Porque não importa de um arquivo que contenha todos os arquivos? – Naldson 16/11/15 às 16:19
  • 1
    Boa ideia, essa dúvida me surgiu porque tudo se apresenta dentro de um documento (no topo) e as vezes me incomoda ficar vendo umas 3 linhas ocupadas com 20 caracteres. Estou tentando me adaptar as melhores regras de code atualmente. – Lucas Henrique 16/11/15 às 16:20
  • 1
  • 1
    Entendi, se os principais arquivos estiverem na mesma pasta, vc pode listar todos esses arquivos e usar um foreach para montar o require. – rray 16/11/15 às 17:15
5

Digamos que todos os seus arquivos de includes estejam em uma pasta a parte chamada includes e o seu index na raiz do projeto, pode criar uma função que faça todos esses requires/includes.

Use glob() para listar todos os arquivos php de includes e faça um foreach.

Estrutura do projeto:

Root 
   includes
   public
      html
      css
      js
index

Essa função deve estar no seu index ou config.

<?php

function includes(){
    foreach(glob('includes/*.php') as $arquivo){
        require_once $arquivo;
    }
}

includes();

Faça um teste rápido crie 2 ou 3 arquivos na pasta includes com o seguinte conteúdo:

<?php
echo __FILE__ .'<br>';

Depois chame o seu index e veja o resultado, algo como:

projeto\includes\1.php
projeto\includes\2.php
projeto\includes\3.php

Pode também criar um arquivo com constantes dos principais diretórios e passar uma delas no lugar daquela pasta que está fixa em glob().

4

Ao invés de usar includes manuais, porque você não usa um autoload para todas as classes requeridas?

define('PS', PATH_SEPARATOR);
define('DS', DIRECTORY_SEPARATOR);
set_include_path(get_include_path() . PS . 'diretorio' . DS);
spl_autoload_extensions('.php, .inc');
spl_autoload_register();

Dá pra fazer isso para limitar os arquivos "suaclasse.class.php":

define('PS', PATH_SEPARATOR);
define('DS', DIRECTORY_SEPARATOR);
define('CLASS_DIR', 'class' . DS);
set_include_path(get_include_path() . PS . CLASS_DIR);

// se quiser atribuir um "class" aos arquivos `/class/file.class.php`
spl_autoload_extensions('.class.php');

spl_autoload_register();

De fato, como observou @WallaceMaxters, o correto é usar: PATH_SEPARATOR

Existe uma outra forma interessante de fazer que é através do uso do composer.phar:

mantendo o arquivo: composer.json

{
    "name": "empresa/seuapp",
    "description": "Nome do APP",
    "require": {
        "phpunit/phpunit": "^4",
        "php": ">=5.3.3"
    },
    "license": "MIT",
    "authors": [
        {
            "name": "seunome",
            "email": "seuemail@empresa.com.br"
        }
    ],
    "minimum-stability": "alpha",
    "config": {
        "vendor-dir": "vendor/"
    }, 
    "autoload": {  
        "psr-4": {
            "SeuApp\\": ["src/"]
        }
    },
    "comments": [
                 "- Para habilitar o autoload, use o comando: php composer.phar dump-autoload -o",
                 "- Para instalar o composer: php composer.phar install",
                 "- Para atualizar o composer: php composer.phar self-update",
                 "- Servidor web embutido: php -S localhost:9000 -t /var/www/html/seuapp/public"
                 ]
}

Crie as pastas:

/SeuApp/public/
/SeuApp/src/
/SeuApp/src/Controller/
/SeuApp/test/

Dentro da pasta Controller, inclua o arquivo ApplicationController.php:

<?php

namespace SeuApp\Controller;

class ApplicationController
{
    public function controller()
    {
     return 'Olá Mundo';
    }
}

E na raiz de /SeuApp/src, o arquivo, Application.php com:

<?php

namespace SeuApp;

class Application extends Controller\ApplicationController
{

    public function index()
    {
       echo self::controller();
    }
}

Pronto, você já tem o básico de uma aplicação usando Autoload do composer.

  • Essa eu não conhecia, Ivan! +1 – Wallace Maxters 16/11/15 às 18:59
  • Opa, por essa eu não esperava, vou colocar em prática também. Valeu Ivan! – Lucas Henrique 16/11/15 às 19:00
  • 2
    Ivan, acho que só tem um pequeno erro. Você não usa o DIRECTORY_SEPARATOR nesse caso, e sim o PATH_SEPARATOR. Porque assim o php criará uma lista de diretórios que podem ter os locais incluídos. A saída tem que ficar assim: "www/var;www/php;www/meu_projeto;". E isso depende do sistema operacional. Por isso tem que usar a constante – Wallace Maxters 16/11/15 às 19:03
  • Mas independente de ser DIRECTORY_PATH ou PATH_SEPARATOR, eles não são considerados códigos portáveis? – Lucas Henrique 16/11/15 às 19:12
  • 1
    @WallaceMaxters, estou acostumado a fazer aplicações usando o autoload do composer, que também seria aplicável nesta situação. – Ivan Ferrer 16/11/15 às 19:27
3

Para auxiliar a resposta do @rray, reforço a idéia de você usar uma função de glob unida com include/require

function glob_include($glob, $flag = 0) {
    foreach (glob($glob, $flag) as $file) {
         require_once $file;
    }
}

O uso seria:

glob_include('diretorio/*.php');

Ainda outra opção é usar GlobIterator.

$it = new GlobIterator('diretorio/*.php');

foreach ($it as $file) {
    require $file->getRealpath();
}

Nesse caso, prefiro usar getRealpath, por conta do caminho ser passado ser absoluto. Já ouvi dizer que tem suas vantagens ;)

  • Opa essa chamada de função ficou boa :D, o que é o $flag =0 ? – rray 16/11/15 às 18:53
  • 1
    @rray, o Glob possui parâmetros como GLOB_BRACE. Assim você pode fazer glob('/dir/*.{txt,php,js,css}'). Isso vai listar txt,php,js e css no mesmo glob ;) – Wallace Maxters 16/11/15 às 18:55
  • Um filtro, entendi. Tbm não tinha notado q era a assinatura da função xD – rray 16/11/15 às 18:59
  • 1
    Pena que não dá pra usar no GlobIterator. Ele é melhor, pois não salva tudo em um array. – Wallace Maxters 16/11/15 às 19:01

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.