29

Tenho dúvidas a respeito do uso do void em funções.

1° Exemplo:

int somaV(int valor_1, int valor_2)
{
    return valor_1 + valor_2;
}

Eu sei que esta função irá me retornar um inteiro que é a soma dos dois parâmetros na função valor_1 e valor_2.

2° Exemplo:

void* soma(int valor_1, int valor_2)
{
    return (int) valor_1 + valor_2;
}

Eu vi em um programa que continha uma implementação parecida como a do segundo exemplo acima que usei para ilustrar a situação que testemunhei do uso do void. Eu testei a função soma() e ela retorna a soma dos dois parâmetros mesmo tendo o void especificado como retorno ou seja vazio.

Isto me deixou confuso em relação ao uso do void, eu pensava que servia somente para dizer que uma função não vai ter retorno nenhum ou não irá receber nenhum parâmetro como este exemplo soma(void).

Afinal de contas qual é a finalidade deste comando em C? O uso do void* especificado como ponteiro pode retornar valores mesmo sendo void?

29

O retorno void significa ausência de retorno. Já um tipo void * significa um ponteiro genérico, um ponteiro de um tipo desconhecido ou não especificado, um ponteiro para qualquer coisa, um endereço de memória qualquer.

Eles aparecem bastante na linguagem C, embora nem sempre o programador os perceba. Por exemplo, a função malloc retorna um ponteiro do tipo void *:

int *meu_numero = (int *) malloc(sizeof(int));

Aqui, o retorno de malloc é do tipo void *. O cast para int * é necessário para que você diga ao verificador de tipos do compilador para considerar que o valor retornado (que o compilador vai saber ser void *) deve ser considerado como sendo um int *. Neste caso, você recebe um ponteiro de tipo desconhecido e depois diz para o compilador qual é o tipo. Uma prova disso, é que esse mesmo código pode ser escrito de outra forma equivalente, denunciando o void *:

void *algum_ponteiro = malloc(sizeof(int));
int *meu_numero = (int *) algum_ponteiro;

O void * também pode aparecer como um parâmetro, tal como na função free. A função free pode receber qualquer tipo de ponteiro, não importando qual é o tipo exato do objeto que é apontado. Por causa disso o tipo do seu parâmetro também é void *.

Outras funções também usam ou produzem ponteiros do tipo void *, em especial aquelas que trabalham com coisas na memória sem querer saber exatamente que coisas são essas, e sim apenas que se trata de alguma região na memória. Exemplo de funções como essa são a fread, fwrite, memset, entre muitas outras.

  • 4
    +1. Apenas um detalhe: não é uma boa prática fazer cast do retorno do malloc em C, apesar de ser obrigatório em C++. Uma boa argumentação aqui (em inglês): stackoverflow.com/a/605858/1796236 – Pablo Almeida 9/11/15 às 15:22
  • @Pablo Sim, excelente observação. – Victor Stafusa 9/11/15 às 15:25
  • 1
    Obrigado pela explicação, vou ter muita informação boa a respeito do void. – gato 9/11/15 às 16:50
16

O void * estritamente significa um ponteiro para nada. Mas ele é melhor interpretado como ponteiro para qualquer coisa. Ou seja, esta é uma forma de generalizar um tipo, de deixar de especificar o tipo.

Quando usa ele, significa que você pode trabalhar com qualquer tipo de dado ali. Ele simplesmente aponta para um endereço de memória e é problema do programador que receberá isto saber tratar de forma adequada e provavelmente fazer um cast para o tipo desejado, de forma compatível com o que tem lá. Obviamente tragédias podem acontecer se tentar acessar de forma inadequada.

É preciso cuidado quando usa ele porque perde uma das vantagens do C. É uma forma de criar dinamismo em uma linguagem estaticamente tipada. Também é uma forma de polimorfismo.

Note que você está retornando um ponteiro.

int x;
float y;
char * z;

void * var;
var = &x;
var = &y;
var = &z; //ou dependo da intenção: var = z;
  • Obrigado pela explicação @bigown. – gato 9/11/15 às 16:50
11

Ponteiros void* precedem C++ e templates como um mecanismo para lidar com tipos "genéricos" em C. Para ser mais específico void representa a ausência de tipo, que pode ser entendida como a presença de qualquer tipo. Como você já descobriu, é possível atribuir um int, char ou qualquer outro tipo a um void*.

Com void* funções que não precisam saber os detalhes do tipo podem fazer seu trabalho. O programador, que conhece o tipo, pode fazer os casts necessários quando necessário... Veja que ausência de tipos basicamente coloca a responsabilidade sobre tipagem nas costas do programador .

Por que isso é útil?

Um dos melhores exemplos de uso de void* é a função qsort, cuja assinatura é:

void qsort (void* base, size_t num, size_t size,
            int (*compar)(const void*,const void*));

Com o qsort podemos ordenar um array base de qualquer tipo. Você só precisa definir uma função do tipo int compar (const void* p1, const void* p2) capaz de comparar os tipos do array base.

Exemplo:

int compare (const void * a, const void * b)
{
  return ( *(int*)a - *(int*)b );
}

//...
int values[] = { 40, 10, 100, 90, 20, 25 };
qsort (values, 6, sizeof(int), compare);

Você poderia ter um método para comparar char*, ou quem sabe para um tipo específico de struct ou qualquer outra coisa. Graças a ponteiros void a função qsort é "genérica".

Mas e funções que retornam ponteiros void*?

A ideia é a mesma. APIs genéricas podem funcionar com múltiplos tipos de retorno. Um bom exemplo são o par de funções int pthread_setspecific(pthread_key_t key, const void *value) e void *pthread_getspecific(pthread_key_t key) do pthreads.h. Você pode armazenar e recuperar qualquer tipo de valor graças ao uso de void*.

Outro bons exemplos são as funções **alloc* como bem mencionado nas respostas anteriores. Em c você não precisa e nem deve fazer cast do resultado de malloc (isso mudou no C++):

// C
int *arr= malloc(sizeof(int)*length);
// C++ escrito para ser compatível com C
int *arr= (int *)malloc(sizeof(int)*length);
// C++ "de verdade"
int *arr= new int[length];
// C++11 - Melhor ainda, esqueça o delete
std::unique_ptr<int[]> arr(new int[10]);

  • Obrigado pela explicação, assim que eu chegar da faculdade eu vou analisar melhor o conteúdo. – gato 9/11/15 às 16:51

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.