35

No fim das contas, em C, um array a[] se torna um ponteiro *a? Se não, o que são arrays? Quais as diferenças entre eles? Como os arrays funcionam internamente?

  • 1
    Boa pergunta, assim poderá ter algo canônico para usar em outras respostas que não cabem ficar explicando em detalhes. – Maniero 8/10/15 às 13:04
23

Primeiro entenda que muitas vezes fazemos simplificações para dar entendimento de quem ainda não domina o assunto. Conforme a pessoa, que é muito leiga, vai evoluindo ela pode se atentar aos detalhes. Não vou passar todos aqui mas vou um pouco além da simplificação normalmente feita em respostas dadas para quem está aprendendo e ainda não consegue conversar no mesmo nível de quem já aprendeu tudo da linguagem.

Introdução

Arrays não são ponteiros. Na resposta do pmg em outra pergunta tem até um link onde mostra isto. Formalmente são tipos diferentes. Em alguns casos é possível usar um quando se espera outro. Há uma conversão automática. Mas não em todos. Há diferença semântica, além da óbvia diferença sintática.

Um array é uma única, pré-alocada porção de memória de elementos contínuos (todos de mesmo tipo), fixo em tamanho em localização. Um ponteiro é uma referência para qualquer dado (de um tipo específico) em qualquer lugar.

Internamente eles funcionam como se fossem ponteiros. O computador não entende arrays. Esta é uma definição existente em linguagens de mais alto nível. É necessário um mecanismo de mais baixo nível para acessar os dados da memória. Este mecanismo é o ponteiro. Mas a definição formal dos termos e do funcionamento específico na linguagem C indica uma diferença entre eles.

O array pode ter a informação do seu tamanho conhecida pelo compilador. Neste caso ele obviamente não pode ter seu tamanho alterado. O ponteiro não tem tamanho definido. Existem arrays sem tamanho definido em tempo de compilação.

O array em si não pode ter seu tamanho alterado, mas como ele pode ser acessado como um ponteiro, nada impede que se adicione informações no final dele (ainda que não seja simples e seguro fazer isto) ou acesse partes da memória além dele, como se fosse parte dele. O código deve cuidar disto. A localização do array também não pode ser alterada. Se precisa trocar de local, no fundo estará criando outro array. O ponteiro pode ser trocado e apontar para outra localização. Evidentemente que estará apontando para outro objeto, mesmo que tenha o mesmo conteúdo.

Diferença array e ponteiro

Um array tem seu valor no mesmo local de armazenamento da variável. Um ponteiro indica onde terá o valor de uma possível sequência de valores, ele aponta para o primeiro elemento. Mesmo o compilador sabendo o tamanho do array não ajuda verificar se o acesso está sendo feito fora da faixa dele, o programador é responsável por tratar isto. O compilador impede um array de zero elementos, afinal ele não pode apontar para nada, ele tem que apontar para pelo menos o elemento 0. Se vai ter um valor útil lá, é outro problema.

O tamanho de um array é o tamanho da alocação dele. O tamanho de um ponteiro é o tamanho do seu tipo. Para saber a quantidade de elementos de um array devemos fazer uma conta dividindo o tamanho do array pelo tamanho do tipo dele.

Eles são intercambiáveis?

A questão é que para acessar um array ou um elemento específico dele é possível usar um ponteiro. Afinal o array está em algum lugar da memória e algum lugar da memória sempre pode ser acessado por um ponteiro. Não vou entrar nos detalhes de memória virtual, e proteção de acesso, não vem ao caso agora.

Então a forma de acesso é intercambiável. De fato quando você faz array[index] está fazendo *(array + index) (lembrando que o valor de index é multiplicado pelo sizeof do tipo do array). Por isso há casos onde ocorre o decaimento de array para ponteiro. Obviamente é possível acessar um trecho da memória onde se sabe a sua localização como se fosse um array, mesmo não sendo.

Por isso array[index] é o mesmo que index[array], apesar de ser esquisito escrever assim, a ordem da soma não altera o resultado.

Há vários casos onde você tentar usar um no lugar de outro dá erro. Não é capricho do compilador. Ele realmente terá problemas em executar a operação corretamente. Quando você usa uma referência para um array, o ponteiro pode ser usado no lugar.

Não há diferença/vantagem em usar char array[] (note que não há tamanho definido) ou char *array a não ser que a primeira indica com clareza que se trata de um array. É uma informação que serve ao programador.

Note que se você passar um array para uma função, a passagem será feita como se fosse uma referência. Porque no fundo é passado um ponteiro. Então a passagem é por valor, mas o valor é um ponteiro para o local onde está o array e não o array em si. Isto é uma das coisas que gera a confusão entre array e ponteiro. Isto ocorre mesmo quando se usa a sintaxe de array ([]), afinal elas são idênticas.

char array[] = "Hello world";

"Hello world" é um array de tamanho 12 (sabe porque é 12 e não 11, né?). Ele será alocado na memória (provavelmente uma área estática e a variável array apontará para o endereço de sua localização. Entendeu porque falamos informalmente que o array é um ponteiro? Ele não é do tipo pointer, ele apenas aponta para algo.

Array não existe?

Faltam facilidades na linguagem para manipular arrays. Tudo funciona como se fosse ponteiros. Você tem que cuidar de tudo. Daí falamos informalmente que no fundo array não existe em C. Assim como string também não existe. Ainda que exista o tipo array, a linguagem não o trata de forma especial. Lembrando que string é apenas uma sequência de char. Elas podem ser alocadas em um array ou ponteiro. E obviamente pode ser intercambiado em algumas situações.

Conclusão

Tecnicamente são tipos diferentes com mecanismos internos que funcionam da mesma forma e em algumas situações podem ser intercambiados.

Entenda que o ponteiro é muito mais flexível e um mecanismo mais genérico.

Os detalhes podem ser obtidos no link no início da resposta.

11

Um array está associado com um espaço de memória capaz de suportar N elementos do tipo base do array.

Um ponteiro está associado com um espaço de memória capaz de apontar para outro espaço de memória.

A grande diferença entre ponteiro e array pode ser vista no resultado de sizeof

int value = 0;
int *ptr = &value;
int array[42] = {0};

printf("sizeof ptr = %d\n" (int)sizeof ptr);
printf("sizeof arr = %d\n" (int)sizeof arr);

O problema com a gestão de arrays e ponteiros prende-se com o facto que em muito dos usos feitos com arrays estes são convertidos (internamente pelo compilador) num ponteiro para o seu primeiro elemento (no caso de sizeof esta conversão não é aplicada), perdendo-se com esta conversão a informação de quantos elementos compõem o array.

Com o mesmo motivo, outro problema é a passagem de parametros entre funções quando estas incluem um (ou mais) array. O array é convertido para um ponteiro para o primeiro elemento e é este ponteiro que é passado (sem informação sobre o tamanho do array).

Outra razão para confundir os dois elementos da linguagem é que um ponteiro pode ser usado com a mesma sintaxe dum array.

int array[42] = {42};
int *ptr = a;

No código acima a variável array tem espaço para 42 valores de tipo int. A variável ptr aponta para o primeiro desses valores (para a[0]);

Para meter um valor especifico em, por exemplo a[10] podes usar o array ou o ponteiro com sintaxe igual

a[10] = 1000;
p[10] = 1000;

embora a "filosofia" base seja diferente (acesso directo versus acesso relativo).


Imagina um array como um comboio e um ponteiro como uma pessoa a apontar para a primeira carruagem.

2

Sendo curto e grosso... Sim, um vetor é um ponteiro, embora o contrário não seja sempre verdade.

Primeiro vamos às definições:

  • Um ponteiro guarda um endereço de memória. Em uma arquitetura de 32 bits, um endereço tem 32 bits e corresponde ao tipo int. Isso tem um efeito muito legal: se você tiver um ponteiro qualquer e o incrementar, ele agora aponta para o próximo espaço da memória.

  • Vetores são açúcar sintático para se executar duas tarefas: reservar um espaço da memória para guardar informações, e acessar essas informações com uma sintaxe mais simples.

Logo, note que os dois seguintes códigos alcançam o mesmo objetivo:

int vetor[10] = { 0 };
// Em C, isso gera um array com dez elementos de valor zero

for (int i = 0; i < 10; i++) {
    vetor[i] = i;
    printf("%d", vetor[i]);
}

Nesse caso, será impresso: 0123456789 e o vetor conterá, na ordem, 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9.

Agora com ponteiros:

int *ptr = malloc(10 * sizeof *ptr);
for (int i = 0; i < 10; i++) {
    *(ptr + 1) = i;
    printf("%d", *(ptr + i));
}

O resultado impresso será o mesmo, e teremos na memória dez inteiros em posições consecutivas, na seguinte ordem: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9.

Se você reparou bem, viu que tanto um código quanto o outro fizeram exatamente a mesma coisa. Mas o primeiro é mais simples e mais familiar para quem já trabalhou com outras linguagens de nível mais alto, como Java, C# ou Javascript (embora o vetor seja algo um tanto diferente nessa última).

Como são a mesma coisa, você pode misturar as duas formas impunemente :D Veja:

int *ptr = malloc(10 * sizeof *ptr);
for (int i = 0; i < 10; i++) {
    ptr[i] = i;
    printf("%d", *(ptr + i));
}

E

int vetor[10] = { 0 };
int *ptr = &vetor[0];

for (int i = 0; i < 10; i++) {
    vetor[i] = i;
    printf("%d", *(ptr + i));
}

Espero ter respondido na prática a pergunta.

-4

Se você tem um array com 'n' posições, ele é um ponteiro quando se colocado apenas sua nomenclatura, isto é, você não indexa ele, deste modo:

int array[10];
array[0... 9]; <-- Quando você colocar uma posição específica ele se torna uma estância de uma variável, porém se colocado da forma abaixo:   

array;  <-- este se trata de um ponteiro que aponta para estas 10 posições na memória.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.