28

E quais minificadores posso usar?

1

2 Respostas 2

24

Vantagem

O ganho é bastante óbvio, o arquivo fica menor e carrega mais rápido. Alguns vão dizer que fica mais difícil ler o código e ser reaproveitado, mas não acho isto uma vantagem real e existem técnicas melhores.

Desvantagem

Não há desvantagem de fato. Claro que se você ainda está desenvolvendo precisa debugar não vai usar a versão minificada. O máximo que pode-se dizer é que existe um passo extra para fazer a minificação, mas isto pode ser automatizado e não chega ser uma desvantagem. Alguns poderão achar outras desvantagens exotéricas mas estamos falando de situações reais. Obviamente usar um minificador agressivo e inseguro não é uma boa ideia aí é bem desvantajoso.

É útil mesmo?

Vale para todos os arquivos texto que possuem caracteres redundantes usados apenas para facilitar a leitura humana. Em conteúdo gerado dinamicamente não costuma compensar a aplicação desta técnica pelo tempo que o servidor gastará para minificar cada resultado enviado.

Esta técnica pode ser usada junto com a técnica de compressão de dados. Não confundir as duas, minificar não é a mesma coisa que comprimir.

Alguns podem se perguntar se a compressão não é uma técnica muito melhor e que até dispensaria a minificação. Isto é verdade mas nem todos os clientes aceitam compressão e aí você fica sem técnica alguma. Qualquer cliente que entenda bem os padrões web entende o arquivo minificado. O ganho pode não ser fabuloso mas é importante.

Melhores minificadores

Qualquer minificador minimamente (eu não perdi a oportunidade :) ) bem feito vai obter um resultado razoável, a não ser que seja um muito ingênuo e feito por quem não sabe o que está fazendo (aí você tem problemas até maiores), terá uma ganho bom. Eu duvido que exista grande diferença entre os mais diversos. Faça uma avaliação real usando alguns deles e veja qual dá melhor resultado em seu caso.

Eu evitaria usar um desconhecido, ninguém sabe se ele é confiável. A pior coisa que você pode fazer é usar um minificador que quebra seu código.

Alguns conhecidos bem testados:

Alguns destes servem para CSS também. Abaixo alguns para CSS que também podem trabalhar com JS.

E obviamente pode-se minificar HTML (quando raramente compensa):

Teste eles com coisas suas e veja qual se sai melhor. Não espere grandes diferenças.

8
  • reduz o tamanho, mas o tempo que o navegador terá para interpretar(dependendo da quantidade de arquivos js's um site carregar), não aumenta também, ou estar minificado ou não é irrelevante quando se trata do interpretador de JS? – user28595 21/09/15 às 12:23
  • 1
    A minificação não vai afetar isto, na verdade pode até haver um ganho irrisório porque tem menos caracteres para parsear. A descompressão já produziria um overhad mas compensaria. Afinal vários arquivos usados no desenvolvimento web são comprimidos por padrão. E mesmo este custo extra é pequeno perto do ganho. A compressão no servidor poderia gerar um custo extra que não compense, por isso não é muito recomendado comprimir conteúdo dinâmico (o estático comprime uma vez e não cada vez que é requisitado). Note que custo extra em servidor é perigoso, em cliente só se for algo absurdo. – Maniero 21/09/15 às 12:29
  • @bigown usar o UglifyJS: github.com/mishoo/UglifyJS seria de grande ganho para minha aplicação? – Jose Vieira Neto 21/09/15 às 12:56
  • 1
    Agora entendi a pergunta adicionou que você tinha colocado, você não queria saber sobre frameworks e sim sobre minificadores. Vou reededitar para colocar isto de volta mas sem pedir opinião. Editei a resposta para incluir esta informação. Mas não vou dar minha opinião sobre ele. Sei que ele é bom, mas não afirmaria categoricamente que é o melhor. – Maniero 21/09/15 às 13:14
  • @bigown obrigado pelo retorno – Jose Vieira Neto 21/09/15 às 13:41
0

Fala beleza? A grande e maior vantagem esta no consumo de dados, claro dependendo do cenário não temos grandes vantagens contudo dependendo da sua aplicação faz muito sentido.

Como assim?

Imagine o seguinte cenario temos o seguinte código:

function FuncaoComNomeGrande(parametroComNomeGrande) {
    const VariavelComNomeGrande = "Essa string não vai ser minificada";
    console.log("Essa string não vai ser minificada" + parametroComNomeGrande);
}

FuncaoComNomeGrande("Essa string tambem não vai ser minificada");

Este código tem 275 caracteres que em bytes da ~278 é diferente por que alguns caracteres consomem mais bits que outros por exemplo o Ç.

Este código minificado ficaria mais o menos assim:

function f(a){console.log("Essa string não vai ser minificada"+a)}f("Essa string tambem não vai ser minificada")

Com 112 caracteres que em bytes fica 114 ~bytes. Claro neste cenário usei um exemplo forçando um pouco a barra definindo nomes gigantes para variáveis e funções. Na vida real existe sim um grande ganho mas nem sempre é tão alto assim.

Onde está a vantagem em um tamanho menor?

  1. Consome menos trafégo com internet.
  2. Consome menos armazenamento, ou seja menos gasto com hospedagem.
  3. É mais rapido. Quanto menor o tráfego de dados menor é a perda de pacotes.

Uma coisa muito legal sobre minificar as coisas que também pode ser uma desvantagem dependendo do ponto de vista é que muitos minificadores uma vez minificado jamais conseguirá voltar a versão original. Isso ocorre porque no processo de minificação muitas partes do seu código acabam sumindo.

Existem muitos minificadores com diferentes algoritmos, todos eles usam algoritmos de compressão que é um tópico muito legal de se estudar. Deixo um vídeo aqui que não está em pt-br mas é um dos mais legais que vi sobre o assunto. Abaixo os mais famosos que conheço:

Minificar eles manualmente pode ser uma tarefa ineficiente para isso temos empacotadores e automatizadores de tarefas como webpack como gulp.

Espero ter ajudado :D

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.