0

Já li vários tópicos a respeito do funcionamento 'retrocompatibilidade' do Android e suas versões, inclusive a documentação do mesmo. Mas continuo sem entender uma coisa:

Eu garanto que meu aplicativo funcionará por completo em uma versão anterior, API 19 - Android KitKat por exemplo, apenas especificando minha minSdkVersion como 19 no build.gradle(Module:app)?

E quanto ao buildToolsVersion e compileSdkVersion, qual a diferença dos dois? Li no StackOverflow Norte Americano uma explicação, e mesmo assim não ficou muito claro pra mim. Alguém poderia clarear as ideias?

0

Sim, com minSdkVersion você garante parte da retrocompatibilidade. Vou explicar mais adiante o porque só parte dela.

Respondendo de forma rápida a primeira pergunta, sim, não só com o minSdkVersion sendo 19, mas qualquer valor menor ou igual ao 19 você garante compatibilidade com o KitKat.


Explicando alguns nomes levantados:

buildToolsVersion

O buildToolsVersion é a versão das ferramentas de build, algumas são: aapt (que processa os recursos e gera a classe R), o aidl (que processa suas interfaces de serviços), o dx (que pega os bytecodes e gera o dex), o zipalign (que alinha os recursos para 4 bytes de endereçamento) e mais recentes o jack e o jill. O valor do buildToolsVersion é quase independente das versões do SDK.

Jack and jill na teoria vieram a um tempo atrás pra substituir o aapt, o dx e o zipalign e o proguard, tornando o processo de build em apenas uma ou duas etapas. Isso pode ser visto mais em detalhes aqui. Eles funcionam, mas não atendem alguns casos em que a o uso de annotation processing, que em geral é quem usa o AndroidAnnotations ou Dagger2 e outros...

compileSdkVersion

O compileSdkVersion é a versão que você vai compilar o código. Você pode compilar usando a versão 23, mas ter o minSdkVersion sendo 14. Isso não há problema.

Uma configuração normal é que o targetSdkVersion seja igual ao compileSdkVersion mas que você escolha um valor razoável para o minSdkVersion. A escolha do minSdkVersion em geral deve se levar em conta a porcentagem de aparelhos no mercado com uma determinada versão e as dificuldades técnicas de se usar aquela versão. Nessa linha, é sempre bom consultar o Dashboard com os dados de utilização das versões.

targetSdkVersion

Tome um certo cuidado com o targetSdkVersion, porque algumas versões tem comportamento diferente se você utilizar um valor de targetSdkVersion igual a versão do dispositivo. Isso pode ser visto com mais detalhes no release notes de cada versão.

O segundo ponto sobre compatibilidade que é o mais importante. É muito comum utilizarmos o targetSdkVersion e o compileSdkVersion sendo a versão mais recente, 23 nesse momento. Isso é legal, mas temos que tomar muito cuidado com as API's que estamos usando, porque se estamos utilizando algo que não esteja disponível na minSdkVersion que foi definido, irá dar crash em tempo de execução (vulgo NoSuchMethodException) ou então possui um comportamento diferente do esperado ou então está "descontinuado" em versões mais novas.

Para esses casos, o lint nos alerta durante o desenvolvimento e durante o build. Mas é bom sempre se certificar antes de utilizar.

  • Era justamente isso que eu gostaria de saber Wakim! O meu medo era se ocorreria algum tipo de erro caso o meu minSdkVersion fosse uma versão anterior, 19 por exemplo, e eu usasse mesmo assim alguns recursos mais novos, que vieram depois dessa minSdk. Mas pelo sua explicação e pelo que li sobre as 'Support Libraries' tudo faz sentido. Obrigado! – user24280 9/09/15 às 21:57

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy