11
  • A performance muda? (Em comparação com tabelas diferentes)
  • Em qual caso isso poderia ser usado?
  • É recomendável?
15

É perfeitamente possível uma tabela possuir relacionamentos com ela mesma. Existem vários modelos de dados que necessitam de tal abordagem:

  • Árvore: cada nó faz referência ao nó pai, sendo que o nó raiz não faz referência a nada, ficando com o campo nulo

    Exemplo de árvore

  • Lista: cada nó faz referência ao próximo nó, sendo que o último nó não faz referência a nada, ficando com o campo nulo. Para evitar que sejam criadas árvores usando este campo, é possível criar um índice que não permita valores duplicados, entretanto isso depende do SGDB, pois só vai funcionar se o mesmo ignorar os valores nulos do índice.

    Exemplo de lista

  • Ciclo: cada nó faz referência ao próximo nó, como na lista, sendo que o último sempre faz referência ao primeiro nó, fechando assim o ciclo

  • Mista: é possível ainda, combinar várias dessas possibilidades em uma única estrutura, como na árvore abaixo, em que os filhos encontram-se em fila:

    Mista entre árvore e lista: árvore com filhos em lista

    Ou ainda uma lista duplamente ligada, em que cada elemento aponta para o próximo, e também para o anterior.

Recomendável? Acho que sim, sempre que quiser montar uma dessas estruturas de dados, e armazenar elas de forma relacional.

Agora, falando sobre performance... bem isso depende mais das queries dos que da estrutura de dados. Por exemplo, na estrutura de árvore, é muito rápido achar o pai de um nó, pois existe uma referência direta (Foreign Key, ou FK) que faz uma busca sobre uma chave-primária (Primary Key, ou PK) o que é muito rápido. Entretanto, não será tão rápido achar os filhos de um nó, pois terá de achar entre todos os registros, quais deles possuem referência para a PK do pai cujos filhos deseja achar... dito isso, para ter performance é recomendável a criação de um índice sobre a coluna da FK, de forma a tornar o processo mais ágil.

  • Cuide somente para não gerar referencia circular, caso esteja utilizando algum ORM como o Hibernate ou NHibernate ou Entity Framework, já tive problemas com esse tipo de estrutura causando referencia circular. É só uma observação. – Fernando Leal 7/03/14 às 13:15
  • @Fernando: neste caso terá de ser consultada a documentação do ORM. Alguns requerem uma estrutura específica no banco de dados, podendo suportar ou não uma ou outra situação específica. – Miguel Angelo 7/03/14 às 13:19
  • @MiguelAngelo Mas o banco permite criar o FK do pai como NULL? – Laerte 7/03/14 às 14:12
  • @Laerte Permite sim. A não ser que o campo não seja anulável... isso é uma configuração do campo. – Miguel Angelo 7/03/14 às 14:48
2

Quanto ao desempenho, não sei em detalhes, mas certamente não é uma operação pesada.

Quanto à situação onde ela pode ser usada, vai ai em exemplo:

Uma tabela chamada contato, que pode ser do tipo pergunta ou resposta.

CREATE TABLE contato (
 id INTEGER NOT NULL AUTO_INCREMENT,
 tipoDeContato CHAR(1) NOT NULL, <-- imaginemos aqui que pode ser P OU R
 mensagem VARCHAR(255) NOT NULL,
 idContatoResposta INTEGER REFERENCES contato(id) 
);

Com isso, pode-se criar um registro na tabela contato, e responde-lo com outro contato. OBS: Os campos que importam para entender a lógica são id e idContatoResposta. Os outros dois podem ser ignorados, estão ai para enriquecer o sentido do exemplo.

1

Não há impacto de performance quando uma tabela referencia a si mesma. Isso é muito comum em estruturas hierárquicas, por exemplo, quando um nó referencia um nó pai que está contido na mesma tabela.

Mesmo nos projetos que trabalho envolvendo Symfony2 e Doctrine2, existe um recurso nativo para implementar chaves estrangeiras na mesma tabela.

Pesquise por self-referencing foreign keys que você descobrirá mais a respeito :)

1

Eu utilizo esse tipo relação para formar hierarquias e menus com submenus. E nunca tive problemas com performance quanto a isso.

Segue exemplo da tabela de menu:

CREATE TABLE IF NOT EXISTS `menu` (
  `id` int(11) NOT NULL AUTO_INCREMENT,
  `menu_id` int(11) DEFAULT NULL,
  `name` varchar(100) NOT NULL,
  `link` varchar(255) DEFAULT NULL,
  `ordem` int(11) DEFAULT NULL,
  `created_at` timestamp NOT NULL DEFAULT '0000-00-00 00:00:00',
  `updated_at` timestamp NOT NULL DEFAULT '0000-00-00 00:00:00',
  PRIMARY KEY (`id`)
) ENGINE=InnoDB  DEFAULT CHARSET=utf8 AUTO_INCREMENT=1 ;

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.