23

O que é o compilador Roslyn?

Esse é o compilador padrão do Visual Studio?

É open source? Por que fizeram isso?

Só serve para o C# ou para outras linguagens também?

  • 4
  • 3
    Não entendi os negativos, a pergunta é pertinente. Não tem nada em português fácil de achar, consolidado, verificado por bons profissionais experts no assunto. Não vi falta de pesquisa, vi utilidade, está clara. O máximo que tem várias perguntas interligadas. Mas acho que é melhor assim do que se fizesse 5 perguntas separadas. No fundo é uma só com desdobramentos. – Maniero 26/08/15 às 21:04
  • 1
    +1. Eu também quero saber o que é o Compilador Roslyn. E por fazer parte da comunidade é que posso contemplar a pergunta :) – Wallace Maxters 27/08/15 às 14:57
25

Agora ele chama .NET Compiler Platform. É uma plataforma de compilação como serviço, então você tem uma biblioteca extremamente desacoplada com as diversas funcionalidades do compilador disponíveis para serem chamadas conforme a necessidade. O compilador da linguagem como conhecemos é apenas um dos consumidores desta plataforma.

É o compilador padrão do C# 6 e está junto ao (finado) .NET 4.6 , .NET Core e Visual Studio 2015 e posteriores. Parte dele estava sendo aproveitado para o Mono (que para todos efeitos morreu).

Usa licença MIT e é 100% open source, mais livre que GPL. É escrito em C#. Boa parte do compilador VB.NET é escrito em VB.NET.

Você pode fazer o que quiser com o código exceto dizer que foi você que fez tudo isto, ou seja, não pode tomar a propriedade dele, mas o uso fica liberado para qualquer situação.

Ele é usado para C# e VB.NET. Só. Mas sua infraestrutura pode ser usada para facilitar o trabalho de outras linguagens. É um compilador "estado da arte".

Ele foi criado para provar que C# é uma linguagem boa pra caramba e dá para fazer qualquer coisa com ótimo desempenho :)

Claro que tem objetivos mais importantes, apesar do anterior ser uma verdade velada:

  • Prover infraestrutura para outras ferramentas que precisam parsear código em C# e VB.NET.
  • Eliminar os diversos serviços de compilação parcial que a Microsoft e terceiros tinham no IDE (navegação, refactoring, auxiliadores, formatadores, etc.), diversos frameworks (ASP.NET, EF, LINQ, etc.), analisadores de código (FXCop), geradores de código, Semantic Diff, etc. e gerar oportunidades para outras ferramentas surgirem com baixa barreira de entrada.
  • Permitir que aplicações consumam seus serviços (DSLs, business rule engine, workflow, plugins, etc.).
  • Facilitar a criação de mecanismos de script e REPL (interpretação).
  • Oficialmente não se fala muito nisto mas é ótimo para facilitar a metaprogramação e a programação orientada a aspectos.
  • Fornecer uma API consistente para acesso fácil ao código.
  • Facilitar as mudanças no compilador em uma linguagem mais segura e mais fácil que o C++ (linguagem do compilador original). Agora dá para experimentar mais facilmente (não só dentro da Microsoft), e dá para implementar novas funcionalidades mais rapidamente e com custo mais baixo.
  • Facilitar a escrita de código paralelo usando a TPL para aproveitar melhor os diversos processadores existentes hoje. Era quase impossível fazer isto no código antigo, não só pelo C++ não ajudar tanto, mas também porque o compilador antigo foi mal planejado ou pelo menos não pensado para isto.
  • Consertar o monte de erro que fizeram no compilador original e montar uma arquitetura mais robusta e flexível. Tiveram a oportunidade de enxergar melhor certos aspectos do processo de compilação.
  • Não era objetivo original mas a abertura permitiu receber contribuições, mais gente verificando problemas no código.
  • Ter uma única infraestrutura para atender mais de uma linguagem que tem quase a mesma semântica. Assim as alterações feitas para C# ficam gratuitas ou muito baratas de implementar em VB.NET e vice-versa.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.