9

Gostaria de saber qual o comportamento/diferenças entre um Indice Unique e Unique Constraints para o Informix ?

3

Muitos devem pensar que isso não faz diferença no banco de dados, mas faz! E não só para o DBA/Administrador, mas para os desenvolvedores também pois pode influenciar como um código é escrito.

Trabalho muito com IBM Informix e nele sei que existe as diferenças abaixo.

Indice UNIQUE

  • Pode ser criado/apagado ONLINE, com usuários utilizando a tabela
    Isso pode pesar muito na manutenção de sistemas 24x7.
  • A validação da unicidade é feita linha a linha.
    Um exemplo simples, seria como executar um UPDATE tp01 SET cod = cod + 1; em uma tabela que o campo cod é sequencial e com indice unico, este update daria erro na 1a linha pois já duplicaria
  • Como todos os demais bancos de dados, não pode ser utilizado como referencia de Foreign keys...

Unique Constraint

(ou mesmo primary key constraint)

  • Não pode ser apagado/criado com usuários acessando a tabela, mesmo que apenas leitura.
    Em outras palavras é preciso acesso exclusivo na tabela para realizar uma manutenção. Isso é péssimo em sistemas 24x7.
  • A validação é feita no final do bloco do statement
    No caso do UPDATE tp01 SET cod = cod + 1; , funcionaria sem problemas pois ele irá validar a unicidade só quando finalizar a atualização de todas as linhas envolvidas.
  • É possivel adiar a validação da constraint apenas no final da transação.
    Isto é, no momento do commit. Isso é possível quando for utilizado o comando set constraints [all|<constraint>] deffered; antes das atualizações.
    Assim no exemplo do update acima, ele só vai validar a unicidade quando o commit for enviado para o banco.
    Obs.: Este recurso vale para todos os tipos de constraints (PK, FK, UK)

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.