4

Eu estava precisando de um mini banco de dados pessoal escrito em PHP para armazenas alguns dados internos do meu site, onde eu criaria novas propriedades, mudaria elas e excluiria posteriormente caso necessário.

No exemplo abaixo mostra como seria esse arquivo .txt e como buscar/mudar um valor específico (no caso mudar o valor offline da Mariana para online) no JSON.

config.txt

{
   "users": {
      "Mariana": "offline",
      "João": "online"
   }
}

storage.php:

$method = "[GET ou SET]";
$string = "users/mariana"; // Caminho para a propriedade
$data = file_get_contents("config.txt");

$json = json_decode( $data, true ); // Transforma do JSON em array
$path = explode( "/", $string );
$last = "";

foreach ( $path as $value ) {
    $last = $json[$value]; // Navegar nas propriedades do JSON até a Mariana
}


if ( $method == "SET" ) {
    // Mudar um valor da propriedade
    $last = "online";
    file_put_contents("cofing.txt", $json); // Sava o novo arquvio

    echo "saved";
} else if ( $method == "GET" ) {
    // Somente exibir o valor da propriedade 

    echo $last;
}

Não sou tão especialista em PHP mas se o código fosse em JavaScript funcionaria, mas prefiro em PHP para ser rápido e não da conflito quando vários usuários tentarem mudar algum valor do config.txt. Alguém poderia ajudar?

8
  • Está fazendo a navegação para o elemento errada... Está pegando apenas o primeiro nível dos índices, precisa de uma função recursiva para cada vez descer um nível... Estou sem tempo pra fazer agora, talvez amanhã...
    – KaduAmaral
    13/08/2015 às 21:07
  • Aaa verdade, não tinha percebido =o obrigado
    – Iago Bruno
    13/08/2015 às 21:11
  • Eita mas depois que executar o loop, não vai mais salvar no final quando coloca no arquivo
    – Iago Bruno
    13/08/2015 às 21:15
  • Só uma pergunta: vc faz isso pq não sabe a existencia do sqlite ou pq o contexto que vc se encontra só permite fazer em arquivo/json?
    – user6406
    13/08/2015 às 21:20
  • 1
    Existe também outras alternativas melhores para fazer isso que um arquivo .txt. Essa abordagem ainda tem problemas de acesso simultâneo caso varias requisições rodem ao mesmo tempo. Como alternativa podes armazenar com Redis, mencached que usam um conjunto de key -> value ou MongoDB.
    – gmsantos
    14/08/2015 às 19:41

3 Respostas 3

2

Seria algo mais ou menos assim?

Config.json

[  
   {  
      "nome":"Mariana",
      "status":"online"
   },
   {  
      "nome":"Joao",
      "status":"offline"
   },
   {  
      "nome":"Jose",
      "status":"online"
   }
]

index.html

<!DOCTYPE html>
<html>
<head>
    <title>Teste JSON</title>
</head>
<script type="text/javascript">
    function botaoClick(botao){
        document.getElementById('status').value = botao;
        return true;
    }
</script>
<body>
    <form action="storage.php" method="POST">
        Nome: <input type="text" name="nome" />
        <input type="submit" value="online" onclick="return botaoClick(this.value)"/>
        <input type="submit" value="offline" onclick="return botaoClick(this.value)"/>
        <input type="hidden" name="acao" value="SET" />
        <input type="hidden" name="status" id="status" value="" />
    </form>
</body>
</html>

storage.php

<?php

$metodo = isset($_POST['acao']) ? $_POST['acao'] : "";
$nome = isset($_POST['nome']) ? $_POST['nome'] : "";
$status = isset($_POST['status']) ? $_POST['status'] : "";

$data = file_get_contents("config.json");

$json = json_decode($data);

foreach ($json as $key => $value) {
  if($value->nome == $nome){
    if($metodo == 'SET'){
        $value->status = $status;
        break;
    } else if ($metodo == 'GET') {
        echo $value->status;
        break;
    }
  }
}

$json_enc  = json_encode($json);

file_put_contents('config.json', $json_enc);

echo $json_enc;
1

Para trabalhar com esse tipo de funcionalidade, uma função recursiva é o jeito mais fácil de faze-lo, exemplo:

Arquivo JSON:

{
   "users": {
      "mariana": "offline",
      "joao": "online"
   }
}

Função PHP

function JSONDB($path, $method, $data, &$value = NULL){

   // Separa todas as chaves
   $path = explode('/', $path); 

   // Salva a primeira na variável $key e remove-a da variável $path
   $key = array_shift($path); 

   // Junta todas as chaves em um novo path
   $npath = implode('/', $path);

   // Verifica se é GET e está na última chave
   if ($method == 'GET' && count($path) === 0)
      // Adiciona o valor na variável assinada $value
      $value = $data[$key]; 

   // Verifica se é SET e está na última chave
   else if ($method == 'SET' && count($path) === 0)
      // Seta o valor na chave atual
      $data[$key] = $value; 

   // Verifica se a chave atual não está vazia e é um array
   else if (!empty($data[$key]) && is_array($data[$key]))
      // Desce um nivel no array passando $data[$key] e atualiza o retorno na chave
      $data[$key] = JSONDB($npath, $method, $data[$key], $value); 

   // Nenhuma condição satisfeita, erro (provavelmente caminho errado)
   // Ou dados incorretos
   else 
      // Nada a fazer por aqui
      $value = FALSE; 

   // Retorna os dados para serem salvos
   return $data;
}

Uso

// Arquivo com os dados JSON
$file = 'ususarios.json';

// Define método [GET ou SET]
$method = 'SET';

// Caminho para a propriedade
// IMPORTANTE> JSON é Case Sensitive ou seja, diferencia maiúscula de minúscula
// o caminho deve ser escrito da mesma forma como está no arquivo separados por /
$path = 'users/mariana'; 

// Valor a ser alterado caso o método seja GET
// Caso o método seja GET o retorno será colocado nessa variável, 
// então basta definir a variável e passa-la no quarto parâmetro
$val = 'online';

// Pega os dados do json
$data = file_get_contents($file);

// Transforma do JSON em array
$json = json_decode( $data, true ); 

// Executa a função recursiva, todos os dados serão retornado
// caso o método seja GET o valor será colocado na variável do quarto parâmetro
$dados = JSONDB($path, $method, $json, $val);

// Salva caso seja SET
if ($method == 'SET')
   $salva = file_put_contents("cofing.txt", json_encode($dados));

// Imprimindo os dados

echo '<style>pre{display:block; width:80%; margin: 20px auto;padding:10px;background-color:rgba(0,0,0,0.06);border-radius:5px;box-shadow:inset 2px 2px 5px rgba(0,0,0,0.2);}</style>';
echo '<pre>';
if ( $method == 'SET' ) {
    echo $salvo ? 'Arquivo salvo...' : 'Erro ao salvar...';
} else {
    // Somente exibir o valor da propriedade 
    // Obs, a variável $val é o quarto parâmetro passado na função
    // que quando o método for GET, será onde o retorno do GET será armazenado
    var_dump( $val );
}
echo '</pre>';

// Todos os dados
echo '<pre>';
var_dump($dados);
echo '</pre>';

Resultado

Resultado do script

Observações:

Essa forma de trabalhar com dados é bem primitiva, ou seja, estou dando apenas o passo inicial para que a partir daqui você possa construir sua classe com métodos de validação de entrada e saída de dados, validação de escrita de arquivo e etc.

Esse tipo de funcionalidade é bem útil para guardar configurações como de conexão com o banco de dados e etc. (Mas é claro que o arquivo deve estar protegido contra acesso externo.

3
  • Nossa, bem completo e diferente do que eu tinha pensando, obrigado! Vou testar depois mas Acho que vai funcionar do jeito que eu queria com alguns alterações =D
    – Iago Bruno
    14/08/2015 às 19:45
  • Seria dessa forma que o MongoDB salva os dados? 14/08/2015 às 20:02
  • Talvez, mas duvido muito @WallaceMaxters. Essa forma é muito simplória e como o gmsantos comentou na pergunta, aqui não está implementando concorrência no arquivo e em caso de muitas requisições em algum momento ocorrerá um conflito.
    – KaduAmaral
    14/08/2015 às 20:05
-1

Acho que o ideal, e o mais seguro, seria você fazer uma cópia do arquivo do banco de dados e depois fazer as alterações necessárias nele. Portanto, recomendo que você utilize as próprias ferramentas fornecidas para gerenciar o banco de dados.

Ex.: Se você utiliza o PostgreSQL como banco de dados, você poderia usar o pgAdmin como sistema gerenciador. Nesse caso, você teria diversas vantagens, como:

  1. Consistência: Ao remover/adicionar/editar uma informação, essa informação seria atualizada autmaticamente em todos os campos e tabelas dependentes, garantindo que a informação seja consistente.

  2. Velocidade: Todo banco de dados é desenvolvido para ser muito rápido, portanto, criar sua própria função/linguagem de consulta para fazer esse tipo de coisa seria perda de tempo.

  3. Praticidade: Utilizando pequenas consultas SQL e triggers você poderia realizar uma grande quantidade de ações de maneira rápida e muito mais eficiente.

Existem diversas outras vantagens em utilizar sistemas gerenciadores de banco de dados, essas são apenas algumas delas. Portanto, reforçando o que foi dito: Se você quiser manipular os dados de um site, utilize um sistema gerenciador de banco de dados para isso.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .