13

Para que serve o índice INDEX no MySQL?

ALTER TABLE `tabela`
ADD INDEX `tabela_id_index` (`tabela_id` ASC);
18
+50

Uma maneira fácil de pensar em indexes é pensar num sumário de um livro, ele existe para facilitar a localização de conteúdos do livro, assim você acha um conteúdo de maneira mais fácil do que procurar página por página, para isto depende de que os indexes sejam bem definidos.


Benefícios:

  • São capazes de reduzir a quantidade de dados que o servidor teria que examinar.
  • São capazes de ajudar o servidor a ordenar (ex. ORDER BY) e evitar criação de tabelas temporárias.

O uso de "são capazes" é porque nem todo os indexes criados vão fazer isso, até porque talvez eles nunca sejam utilizados.


Tipos de Indexes:

Esses são os tipos de indexes que existem nas engines mais comuns:

  • B-Tree: Mais comum de todos os tipos de indexes, basicamente com exceção do Archive Engine todos suportam ele, porém com diferenças internas.
    • InnoDB Engine utiliza B+Tree não comprimido e são referenciados pela Primary Key.
    • MyISAM Engine utiliza B-Tree com técnicas de compreensão e são referenciados por sua localização física.
    • NDB Cluster Engine utiliza T-Tree.
    • TokuDB utiliza uma variação chamada Fractal Tree.

  • Hash: Próprio nome já explica, ele é util apenas para diferenciação e igualdade (IN(), = e <=>), mas não é usado para nenhuma outra funcionalidade.
    • MEMORY Engine é um dos únicos que tem suporte explicito para este tipo de index.
    • InnoDB Engine possui adaptative hash indexes, quando o InnoDB identifica que alguns valores são acessados frequentemente ele criar um hash index e utiliza antes do B-Tree, porém isto é totalmente automático e não há como desligar ou criar isto.

  • R-Tree: Raramente utilizado no MySQL, porém utilizado no PostgreSQL e PostGIS, ele não exige o uso do WHERE para se beneficiar.
    • InnoDB Engine é um dos único que tem suporte para este tipo de index.

  • Full-Text Index: Tenha uma característica diferente e apenas usado para operações de MATCH AGAINST.
    • MyISAM Engine tem suporte para este tipo de index.
    • InnoDB Engine tem suporte para este tipo de index nas versões mais recentes.

Para complementar, o ScaleDB utiliza Patricia-Tries. Já o InfiniDB e Infobright tem uma arquitetura própria (?).


Como o padrão é o B-Tree, é justamente nele que irei utilizar como base para tudo aqui.

Limitações:

  • Não servem para leituras que não comecem da esquerda, por exemplo o SELECT * FROM Tabela WHERE Nome LIKE '%A', para tentar achar todos nomes que terminam com A, porém você pode usar A% para achar o que comece com A.

  • A sua query deve executar a mesma ordem os index definido, criar um KEY(Nome, Sobrenome) obrigatoriamente deverá informar nesta ordem. Você pode WHERE Nome = 'Inkeliz', porém não poderá usar WHERE Sobrenome = 'Lima'. Você obrigatoriamente deve seguir a ordem, ou seja WHERE Nome = 'Inkeliz' AND Sobrenome = 'Lima', por exemplo.

  • Se criar um range, por exemplo, WHERE Nome LIKE 'ANA%' AND Sobrenome = 'Lima', os indexes serão utilizados para achar a Ana, porém não será utilizado para achar os sobrenomes, isto irá ainda criar uma tabela temporária. Isso indica que você preferir deve colocar X > 1, BETWEEN 1 AND 5 e LIKE como última condição, ou seja todas as igualdades devem vir antes (inclusive existem "truques"/"gambiarras" com o IN()), detalho isto depois.

Problemas:

Isolar colunas:

Considere isto:

SELECT Nome FROM Usuarios WHERE ID + 1 = 10

Viu o problema? O MySQL não é capaz de fazer essa soma. Para nós, é fácil saber que ID + 1 = 10 é o mesmo que ID = 9, porém o MySQL não faz isto, como consequência ele irá varrer todo o banco de dados e somar todos os ID, ignorando qualquer index.

Exemplo mais real:

SELECT Nome FROM Acessos WHERE TO_DAYS(CURRENT_DATE) - TO_DAYS(UltimoAcesso) <= 7

O mesmo problema, você irá executar o TO_DAYS() em tudo e depois subtrair e depois compara-lo para ver se é menor que 7. Indexes não são milagrosos nesses casos e serão ignoráveis.

Criar range:

No MySQL utilizar PODE IN() ser melhor do que BETWEEN, porém cuidado com grande número de condições, por exemplo:

SELECT Nome FROM Usuario WHERE Genero IN ('h', 'm') AND Idade IN (18, 19, 20, 21, 22, 23, 24, 25) AND UltimaAcao > DATE_SUB(NOW(), INTERVAL 7 DAY);

Isto teria 2 * 8 possibilidades e depois seria teoricamente melhor do que:

SELECT Nome FROM Usuario WHERE Genero IN ('h', 'm') AND Idade BETWEEN 18 AND 25 AND UltimaAcao > DATE_SUB(NOW(), INTERVAL 7 DAY);

Isto ocorre porque utilizando o BETWEEN você geraria dois ranges o primeiro por Idade e o segundo por UltimaAcao, enquanto no IN() é igualdade. Isto ainda levanta uma outra questão, qual dos dois possui maior relevância?! Mas, porque usar Genero IN ('h', 'm'), supondo que sejam as únicas opções.

A gambiarra do IN() vem pela necessidade de especificar todas as colunas, por isso se fizer: KEY(Genero, Pais, Idade) você sempre terá que informar o Genero, Pais e Idade. Por isso usamos o IN(), ou seja se somente existe h e m então fazemos Genero IN ('h', 'm'), dessa forma "ignoramos" o Genero e podemos filtrar por Pais, ou fazemos um novo IN() com todas as listas de países e passamos para a idade. *A idade em último, novamente, porque ela tem um poder potencial de criar um range.

Caso usássemos:

SELECT Nome FROM Usuario WHERE Idade > 18 AND Genero = 'h' AND Pais = 'BR'

Iria obrigatoriamente ignorar os indexes de Genero e Pais, porque o primeiro, Idade cria um range.

Relevância e ordem:

Agora qual tem mais relevância, considere isto:

SELECT * FROM Usuario WHERE Ativo = 0 AND id =  10;
SELECT * FROM Usuario WHERE id = 10;
SELECT * FROM Usuario WHERE Ativo IN (0, 1) AND id = 10;

O primeiro e o último poderia utilizar KEY(Ativo, id), porém seria incompatível com o segundo. Porém poderíamos também fazer:

SELECT * FROM Usuario WHERE id = 10 AND Ativo = 0;
SELECT * FROM Usuario WHERE id = 10;
SELECT * FROM Usuario WHERE id = 10 AND Ativo IN (0,1);

Assim poderíamos usar o KEY(id, Ativo), todos eles iriam utilizar indexes, neste caso ele tende a ser melhor, porque o Ativo, por ser binário irá retornar mais dados do que o id que tende a ser único, portanto o id tem maior relevância e isso tem grande impacto.

Uma outra coisa é saber se não ira fazer isso:

SELECT * FROM Usuario WHERE id > 10 AND Ativo = 0;
SELECT * FROM Usuario WHERE Ativo = 0;

Porque se essas queries forem utilizadas o KEY(Ativo, id) poderia ser melhor, mas novamente depende do caso, assim usando o Ativo IN() antes mesmo que somente fosse selecionar o id.

Um outro problema é criar vários indexes separados por cada coluna, isto é terrível e raramente são úteis.

Colunas separadas:

Criar indexes separados podem ser bons caso utilize:

SELECT * FROM tabela WHERE Nome = 'Inkeliz' OR Idade = 18

Caso crie indexes separados, Nome e Idade o MySQL fará um UNION dos dois resultados, usando cada index separado. No entanto fazer isto:

 SELECT * FROM tabela WHERE Nome = 'Inkeliz' AND Idade = 18

Não irá se beneficiar de ambos dos indexes, ele apenas irá optar por utilizar um deles, não os dois. Na maioria das vezes criar indexes dividos não é bom, em resumo.

O ORDER BY e GROUP BY também se beneficia dos indexes, porém desde que não crie um range, porque neste caso cai num filesort mesmo, não tem jeito, exceto fazer um RAID-0 de SSD.


Indexes são complexos, tem dois livros sobre isto, infelizmente não cobrem o MySQL 5.6 e MySQL 5.7, e aparentemente não há nova versão para ser lançada, são eles:

High Performance MySQL: Optimization, Backups, and Replication, tem uma versão traduzida pela Altas Books (mas é mais antigo ainda e existe várias reclamações de falhas na tradução), nele que menciona o uso da gambiarra do IN(), não é minha autoria (e deu uma boa reduzida de RAM, deletando indexes repetidos).

Relational Database Index Design and the Optimizers, praticamente um livro somente somente indexes, este ainda está na fila para ser lido, o livro acima indica este também. :)

14

Para se criar um índice (Os índices são utilizados para encontrar registros com um valor específico de uma coluna rapidamente. Sem um índice o MySQL tem de iniciar com o primeiro registro e depois ler através de toda a tabela até que ele encontre os registros relevantes)

Citação da Locaweb

Um dos itens mais importantes na otimização da base de dados é a criação de índices. Com este procedimento sua consulta ficará bem mais rápida. O ideal é que crie índices em todos os campos utilizados nas cláusulas "where" e "joins" de suas queries.

Esta resposta do SOen da uma demonstração de como se criar um índice: Link

Comparação entre CREATE INDEX e ALTER TABLEtabelaADD INDEX: Link

Index documentação Mysql: Link

3

Índices são estruturas de acesso auxiliares associadas às tabelas e que têm por objetivo aumentar o desempenho na execução de consultas.

existem dois tipos de index: Clusterizado: esse ordenado sequencialmente.

Não Clusterizado:

Um índice cuja chave de busca especifica uma ordem diferente da ordem sequencial do arquivo.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.