4

Recentemente criei uma Solution com a arquitetura DDD, colocando o ASP.NET Identity em uma camada transversal (CrossCutting), vi que muitas pessoas utilizam o Identity desta forma e decidi experimentar.

Porém, tive um problema de referência circular. Para criar uma tabela Associativa (Many To Many) eu preciso criar uma Collection<> na Entidade da direita, e uma na entidade da esquerda, e criar o Map no meu EntityTypeConfiguration<>.

Aí que está o problema, como meu projeto Identity está separado, e minha Entidade está no projeto Domain então não consigo criar uma Collection<ApplicationUser> no meu Domain, já que quem tem a referência do Domain é meu projeto Identity.

Lembrando também que não consigo usar interface porque o Migration não entende Interface.

Alguém pode me ajudar com isso?

  • Olá, Segue link de tutorial de ASP.NET MVC com Identity e Injeção de pendenciaria. eduardopires.net.br/2014/10/… – Luã Govinda Mendes Souza 6/07/15 às 14:31
  • Na verdade separar um projeto MVC é erradíssimo, até porque o MVC é uma forma de DDD. – Cigano Morrison Mendez 6/07/15 às 14:31
  • Você pode editar sua pergunta e colocar o código com os namespaces? – Cigano Morrison Mendez 6/07/15 às 14:40
  • 1
    Pesquisando sobre o assunto, achei este material. Bastante interessante. jrobertoaraujo.net/2015/06/02/… – user27881 16/07/15 às 3:00
  • 2
    @EduardoPires Nas novas versões do Sharepoint, a arquitetura é inteira em ASP.NET MVC. O Umbraco, CMS também é em ASP.NET MVC. Uma separação de camadas razoável utiliza IoC, Unity e DI. Outra coisa é propor uma separação utilizando DDD e as pessoas realmente acharem que é o melhor padrão quando não é. A meu ver, é um anti-padrão. – Cigano Morrison Mendez 5/08/15 às 17:20
5

Antes de mais nada, gostaria de dizer que precisei estudar essa solução durante as semanas de intervalo em que a pergunta foi feita e agora e um bom tempo após, porque eu realmente não tinha conhecimento de como fazer, e mesmo depois que escrevi a primeira versão da resposta muitas coisas estavam incorretas e imprecisas. Insisto tanto nela para exemplificar até onde um anti-padrão pode ir, em nome das tão faladas boas práticas arquiteturais em sistemas ASP.NET.

A primeira solução não é minha. Ela foi elaborada brilhantemente pelo José Roberto Araújo em link passado pelo Gustavo H. Pereira Silva. Sem isso, essa resposta não seria possível.

O repositório original da solução era este, mas o autor o apagou. Fiz um fork para estudar (este ainda existe), fiz algumas modificações, atualizei os pacotes e fiz testes pra compreender as coisas que, até pelo menos o mês passado, pra mim eram mágicas e que muito me surpreenderam. Possivelmente vou atualizar essa resposta algumas vezes porque muita coisa não está bem documentada e o aprendizado acabou sendo por empirismo.

Uma demonstração de separação usando Cross-Cutting, IoC e DI do ASP.NET Identity do restante da Aplicação MVC (e porque ela não funciona)

A rigor, este projeto não está exatamente e totalmente desacoplado da Class Library da Infraestrutura. Isto pode ser notado ao abrir uma das Views que utiliza o ASP.NET Identity:

~/Views/Account/Login.cshtml

@model WebAppSoC.Infrastructure.Crosscutting.Security.Model.Account.LoginViewModel

...

O correto aqui seria haver uma interface para a View, e não a exposição do ViewModel em si, mas está ok para nosso exemplo.

WebActivator, Unity Mvc e Microsoft.Web.Infrastructure

A mágica toda começa com esses três componentes. O WebActivator é a porta de entrada para a injeção de dependência em si, permitindo que o desenvolvedor configure quantas classes de Startup preferir para registrar os componentes externos que poderão ser usados na injeção de dependência.

O Unity MVC é o componente que realiza a injeção de dependência de fato na aplicação. Na época que escrevi a primeira versão da resposta, achei que componentes MVC como Controllers, Models, e até Views eram injetados magicamente da Class Library para a aplicação ASP.NET MVC. Na verdade, ao registrar o Container do Unity MVC na aplicação, a aplicação não mapeia sozinha os Controllers injetados para as respectivas rotas da configuração do projeto original. Observe que o arquivo que ativa o Unity MVC não diz qualquer informação a respeito de rotas:

WebAppIdentityDemo/Jra.Infrastructure/CrossCutting/Dependency/Startup/UnityMvcActivator.cs

using System.Linq;
using System.Web.Mvc;
using Microsoft.Practices.Unity.Mvc;

[assembly: WebActivatorEx.PreApplicationStartMethod(typeof(Jra.Infrastructure.App_Start.UnityWebActivator), "Start")]
[assembly: WebActivatorEx.ApplicationShutdownMethod(typeof(Jra.Infrastructure.App_Start.UnityWebActivator), "Shutdown")]

namespace Jra.Infrastructure.App_Start
{
    /// <summary>Provides the bootstrapping for integrating Unity with ASP.NET MVC.</summary>
    public static class UnityWebActivator
    {
        /// <summary>Integrates Unity when the application starts.</summary>
        public static void Start() 
        {
            var container = UnityConfig.GetConfiguredContainer();

            FilterProviders.Providers.Remove(FilterProviders.Providers.OfType<FilterAttributeFilterProvider>().First());
            FilterProviders.Providers.Add(new UnityFilterAttributeFilterProvider(container));

            DependencyResolver.SetResolver(new UnityDependencyResolver(container));

            // TODO: Uncomment if you want to use PerRequestLifetimeManager
            // Microsoft.Web.Infrastructure.DynamicModuleHelper.DynamicModuleUtility.RegisterModule(typeof(UnityPerRequestHttpModule));
        }

        /// <summary>Disposes the Unity container when the application is shut down.</summary>
        public static void Shutdown()
        {
            var container = UnityConfig.GetConfiguredContainer();
            container.Dispose();
        }
    }
}

Aqui que entra o Microsoft.Web.Infrastructure: não há muita informação sobre ele, mas a descrição do pacote no NuGet diz:

This package contains the Microsoft.Web.Infrastructure assembly that lets you dynamically register HTTP modules at run time.

E aqui está o segredo: é este pacote que faz suas Class Libraries serem registradas em aplicações ASP.NET MVC. O padrão implementado é semelhante ao Common Service Locator, mas sem criar dependência com este último.

Note que não há registro adicional de rotas. O arquivo de rotas prova isso:

~/App_Start/RouteConfig.cs

namespace WebAppIdentityDemo
{
    public class RouteConfig
    {
        public static void RegisterRoutes(RouteCollection routes)
        {
            routes.IgnoreRoute("{resource}.axd/{*pathInfo}");

            routes.MapRoute(
                name: "Default",
                url: "{controller}/{action}/{id}",
                defaults: new { controller = "Home", action = "Index", id = UrlParameter.Optional }
            );
        }
    }
}

O arquivo Global.asax.cs também:

using System.Web.Mvc;
using System.Web.Optimization;
using System.Web.Routing;

namespace WebAppIdentityDemo
{
    public class MvcApplication : System.Web.HttpApplication
    {
        protected void Application_Start()
        {
            AreaRegistration.RegisterAllAreas();
            FilterConfig.RegisterGlobalFilters(GlobalFilters.Filters);
            RouteConfig.RegisterRoutes(RouteTable.Routes);
            BundleConfig.RegisterBundles(BundleTable.Bundles);
        }
    }
}

O arquivo packages.config do projeto Web atesta a total independência do projeto Web do ASP.NET Identity:

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<packages>
  <package id="Antlr" version="3.5.0.2" targetFramework="net45" />
  <package id="bootstrap" version="3.3.5" targetFramework="net45" />
  <package id="jQuery" version="2.1.4" targetFramework="net45" />
  <package id="jQuery.Validation" version="1.14.0" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.AspNet.Mvc" version="5.2.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.AspNet.Razor" version="3.2.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.AspNet.Web.Optimization" version="1.1.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.AspNet.WebPages" version="3.2.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.jQuery.Unobtrusive.Validation" version="3.2.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.Owin" version="3.0.1" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.Owin.Host.SystemWeb" version="3.0.1" targetFramework="net45" />
  <package id="Microsoft.Web.Infrastructure" version="1.0.0.0" targetFramework="net45" />
  <package id="Modernizr" version="2.8.3" targetFramework="net45" />
  <package id="Newtonsoft.Json" version="7.0.1" targetFramework="net45" />
  <package id="Owin" version="1.0" targetFramework="net45" />
  <package id="Respond" version="1.4.2" targetFramework="net45" />
  <package id="WebGrease" version="1.6.0" targetFramework="net45" />
</packages>

O desenvolvedor mais atento ira notar que o arquivo packages.config da solução principal não possui as seguintes entradas:

<package id="Microsoft.AspNet.Identity.Core" version="2.2.1" targetFramework="net45" />
<package id="Microsoft.AspNet.Identity.EntityFramework" version="2.2.1" targetFramework="net45" />
<package id="Microsoft.AspNet.Identity.Owin" version="2.2.1" targetFramework="net45" />

Isto porque toda classe que herda System.Web.Mvc.Controller passa a ser percebida pelo controlador de rota. Este é o segredo de pacotes como, por exemplo, o RazorGenerator.Mvc (packages.config aqui). O RazorGenerator permite ao desenvolvedor escrever Class Libraries que contenham Controllers e Views e possam ser incorporadas a outras aplicações ASP.NET MVC da mesma forma.

No todo, há apenas duas menções à Class Library de Infraestrutura no projeto Web:

  • A referência à Class Library;
  • A ativação do Container em Startup.cs do diretório raiz.

Esta ativação é feita da seguinte forma:

using Microsoft.Owin;
using Owin;
using WebAppSoC.Infrastructure.Crosscutting.Security.Startup;

[assembly: OwinStartup("StartupConfiguration", typeof(WebAppIdentityDemo.Startup))]
namespace WebAppIdentityDemo
{
    public class Startup
    {
        public void Configuration(IAppBuilder app)
        {
            new IdentityStartup().Configuration(app);
        }
    }
}

Por que mostrei tudo isso

A ideia é mostrar que é possível a separação, mas não 100% independente. Ainda há um grau de acoplamento que não é possível de ser eliminado.

Sobre a pergunta

A separação é simplesmente ilógica. O ASP.NET Identity é fortemente acoplado ao Entity Framework no template padrão (que usa o pacote Microsoft.AspNet.Identity.EntityFramework). É feito assim porque a ideia é que o domínio (Models da aplicação) possa ser customizado de modo a incorporar mais informações em, por exemplo, a estrutura de usuários, roles, claims, e assim por diante.

Ainda, se a separação é imprescindível, o desenvolvedor deve incorporar, em uma mesma camada, Entity Framework e ASP.NET Identity, ou implementar seu próprio UserStore e RoleStore, componentes estes necessários para o funcionamento do ASP.NET Identity sem depender do Entity Framework, o que é uma ideia bastante inútil sem um bom motivo para isso.

Conclusão

Não use Cross-Cutting. Neste escopo de aplicação, ele não tem utilidade. Só atrapalha seu trabalho e não propicia qualquer ganho para a sua aplicação.

0

Pelo que entendi, você está trabalhando com dois contextos do EF no mesmo banco de dados. Um contexto apenas para o Identity e outro para o resto da aplicação.

Eu também utilizo esta abordagem, uma vez que a função do Identity é cuidar da Autenticação e Autorização dos usuários. Isolo o contexto do Identity e restrinjo a utilização dele apenas para isso.

Logo se você precisa relacionar o usuário com outra entidade e esta entidade não tem relação com Autenticação ou Autorização dos usuários. Você deve criar uma classe que represente o seu usuário no seu projeto Domain sem nenhuma referência para o Identity. E mapear esta tabela dentro do contexto que trata toda a aplicação. E neste contexto você pode fazer o relacionamento dos usuários com a outra entidade.

Ou seja, você terá dois objetos diferentes (um no projeto Domain e outro no projeto Identity) que representam a mesma tabela no banco de dados. Se houver alteração nesta tabela, você precisará alterar os dois objetos. Será preciso mais cuidado com a manutenção deste projeto, mas você resolve o problema da dependência do Identity.

  • Isto é uma solução perigosa, mas admito que funciona. Não é recomendado mapear duas estruturas em separado apenas para poder contar com uma separação em camadas, cuja utilidade é discutível. – Cigano Morrison Mendez 15/07/15 às 17:10
  • Por quê devemos quebrar os contextos por interesses, isolar o contexto do Identity proporciona escalar o mesmo mecanismo para diferentes sistemas que usam o mesmo meio de acesso. Quebrar contextos do EF é uma estratégia recomendada amplamente. Citando Eduardo Pires em um comentário do artigo: eduardopires.net.br/2015/02/… – Lutti Coelho 15/07/15 às 17:29
  • 3
    Eduardo Pires é a mesma pessoa que faz um tutorial de separação por camadas e as pessoas que seguem vem pra cá tirar dúvida. Desculpe, não é argumento. – Cigano Morrison Mendez 15/07/15 às 18:02
  • Eu estudo os tutoriais e venho aqui ajudar a tirar dúvidas. Mas este já é outro assunto. A separação do código em camadas tem sua utilidade. Principalmente quando pensamos não apenas na construção de um sistema, mas também na manutenção do mesmo. – Lutti Coelho 15/07/15 às 18:18
  • 1
    Realmente, desenvolver uma aplicação utilizando um único projeto é bem mais rápido e funciona muito bem para pequenos projetos e de baixa complexidade. Quando se trabalha com aplicações maiores e mais complexas, se não pensarmos em um "design responsável" podemos ter grandes dores de cabeça no futuro. Como já vi acontecer em algumas das empresas em que trabalhei. – Lutti Coelho 15/07/15 às 20:08

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.