7

Gostaria de saber se existe diferença entre:

String a = (String) arg;

e o cast da classe:

String a = String.class.cast(arg);

Uma vez, ouvi dizer que utilizar o cast estático da classe é mais performático, isto é verdade?

  • 2
    Acho que vc pode fazer bechmarking e descobrir. – Filipe Miranda 6/07/15 às 12:34
6

Ambos executam a mesma tarefa, porém a chamada versão "estática" gera mais bytecode (mais overhead em tempo de compilação).

Na pratica ambos executam o cast usando a instrução bytecode:

CHECKCAST java/lang/String

A diferença que o código gerado pela versão "estática" obtém o tipo declarativamente, no caso String.class, fazendo uma chamada de Class.cast(Object)

código de referencia:

public class CastTest2 {

    public static void main(String... args) {

        Object arg = "Test";

        String explicitCast = (String) arg;

        String explicitDynCast = String.class.cast(arg);

    }

bytecode gerado para o cast direto:

   L1
    LINENUMBER 10 L1
    ALOAD 1
    CHECKCAST java/lang/String
    ASTORE 2

bytecode gerado para o cast "estatico":

   L2
    LINENUMBER 12 L2
    LDC Ljava/lang/String;.class
    ALOAD 1
    INVOKEVIRTUAL java/lang/Class.cast (Ljava/lang/Object;)Ljava/lang/Object;
    CHECKCAST java/lang/String
    ASTORE 3

Sendo assim:

LDC Ljava/lang/String;.class

A instrução acima retorna uma instancia de Class

que por sua vez, chama o método cast, retornando um Objeto:

INVOKEVIRTUAL java/lang/Class.cast (Ljava/lang/Object;)Ljava/lang/Object;

e implicitamente faz o Cast para o Type, Class T.

CHECKCAST java/lang/String

ps: O fato o qual chamo "estatico" e como pode ser visto no bytecode que a chamada a Class.cast(object) é feita usando a instrução INVOKEVIRTUAL e não INVOKESTATIC.

3

Como dito pelo Felipe nos comentários, para questão de comparativo de performance basta você fazer um benchmarking simples das duas abordagens.

Neste exemplo foi usado o Metrics, versão 3.1.0. Caso use , basta adicionar esta dependência:

<dependency>
    <groupId>io.dropwizard.metrics</groupId>
    <artifactId>metrics-core</artifactId>
    <version>3.1.0</version>
</dependency>

Outras considerações:

  • JRE 1.8 update 45
  • Windows 8.1 Pro
  • Rodado no Eclipse Luna, release 2, versão 4.4.2, Build id 20150219-0600

Foram feitos 10000 casts de objetos para String, tanto usando o cast operator, quanto usando cast(Object obj).

Abaixo estão os trechos usados para cast:

  • usando cast operator
static void usingCastMethod() {
    final Object obj = "string";
    for (int i = 0; i < 10000; i++) {
        final String str = String.class.cast(obj);
    }
}

Resultado: 629.19 milisegundos

static void usingCastOperator() {
    final Object obj = "string";
    for (int i = 0; i < 10000; i++) {
        final String str = (String) obj;
    }
}

Resultado: 3065.02 milisegundos

Obs.: o resultado é apenas para comparativo, apenas para vermos que há sim diferença em performance.

Pelo resultado podemos perceber que há diferença significativa, ou seja, podemos concluir que isto não é tratado de forma diferente pelo compilador.

Agora, vamos verificar como ficou o bytecode gerado nas duas abordagens:

  • usando cast operator
  static void usingCastMethod();
    Code:
       0: ldc           #104                // String string
       2: astore_0
       3: iconst_0
       4: istore_1
       5: goto          21
       8: ldc           #106                // class java/lang/String
      10: aload_0
      11: invokevirtual #113                // Method java/lang/Class.cast:(Ljava/lang/Object;)Ljava/lang/Object;
      14: checkcast     #106                // class java/lang/String
      17: astore_2
      18: iinc          1, 1
      21: iload_1
      22: sipush        10000
      25: if_icmplt     8
      28: return
  static void usingCastOperator();
    Code:
       0: ldc           #104                // String string
       2: astore_0
       3: iconst_0
       4: istore_1
       5: goto          16
       8: aload_0
       9: checkcast     #106                // class java/lang/String
      12: astore_2
      13: iinc          1, 1
      16: iload_1
      17: sipush        10000
      20: if_icmplt     8
      23: return

Pelo bytecode podemos ver que de fato usando cast operator é mais oneroso, se você verificar cada instrução na especificação verá em detalhes o porque disso.

Em resumo é devido ao fato de java saber o tipo apenas em tempo de execução, então ele tem que se virar para garantir ao máximo possível que não dê um ClassCastException. Já na outra abordagem, mesmo gerando mais bytecode, você já deixou explícito o tipo que espera, se não for ele (isInstance(Object obj)) uma ClassCastException será lançada, sem a JVM buscar mais informação para tentar o cast

Já sabendo que em termos de performance há diferença, existem vantagens e desvantagens? Consigo agora lembrar apenas quando usamos genéricos:

  • para evitar warning em tempo de compilação quando estamos usando genéricos (e não apenas String), ou seja, em vez disto:
@SuppressWarnings("unchecked")
public <T> T cast(final Object o) {
    return (T) o;
}

Prefira usar isto:

public <T> T cast(final Class<T> clazz, final Object o) {
    return clazz.cast(o);
}

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.