5

Um professor da minha faculdade passou um exercício para analisar a complexidade temporal desse algoritmo, mas eu não estou conseguindo de jeito nenhum. Alguém sabe me dar uma luz de como separar o algoritmo?

 int Algoritmo(int A[], int n) {
    int k=0, i=1, j=0;
    int h;
    while (i<n && k+j+1<n ) {
        if (A[k+j] == A[(i+j)%n]) {
            j = j+1;
        }
        else if (A[k+j] < A[(i+j)%n]) {
            i = i+j+1;
            j = 0;
        }
        else if (A[k+j] > A[(i+j)%n]) {
            h = max(i, k+j+1);
            k = h;
            i = h+1;
            j = 0;
        } 
    }
    return k;   
}

Tipo, quando é com uma variável no while, fica bem fácil, Mas nesse caso, o i, j e k vão mudar de formas diferentes de acordo com cada else...

O que eu queria saber é, existe algum meio de descobrir essa complexidade de modo fácil ou eu teria que ficar testando e achar a hora em que o algoritmo começa a repetir?

Obrigado pela ajuda!

6

Primeiro, dá para eliminar o h do algoritmo para simplificar um pouco mais:

int Algoritmo(int A[], int n) {
    int k=0, i=1, j=0;
    while (i<n && k+j+1<n ) {
        if (A[k+j] == A[(i+j)%n]) {
            j = j+1;
        }
        else if (A[k+j] < A[(i+j)%n]) {
            i = i+j+1;
            j = 0;
        }
        else if (A[k+j] > A[(i+j)%n]) {
            k = max(i, k+j+1);
            i = k+1;
            j = 0;
        }
    }
    return k;
}

n me parece ser o tamanho do array. Pois o array é acessado nas seguintes posições:

  • (i+j)%n o que vai dar alguma posição entre 0 e n-1.
  • k+j, mas a condição do while garante que k+j+1<n e isso também significa que k+j<n e portanto é alguma coisa entre 0 e n-2.

Dentro do while há três condições, comparando o A[k+j] com o A[(i+j)%n]. Ou estes dois elementos são iguais, ou o primeiro é maior, ou o segundo elemento é maior. Logo, sempre haverá uma e apenas uma das condições sendo verdadeira em cada iteração do while.

Vamos ver como j evolui ao longo do tempo:

j=0;     // Inicial
j = j+1; // Primeira situação (==)
j = 0;   // Segunda situação (<)
j = 0;   // Terceira situação (>)

Ou seja, j começa em zero, vai incrementando de um em um de vez em quando ou então volta para zero. Para simplificar a análise, vamos por ora assumir que a primeira condição (do ==) nunca será verdadeira e que portanto j seria sempre zero. Sabemos que isso não é correto, mas faremos apenas para entender melhor o que se passa no algoritmo. Desta forma, ele ficaria assim:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0, i=1;
    while (i<n && k+1<n) {
        if (A[k] < A[i%n]) {
            i = i+1;
        }
        else if (A[k] > A[i%n]) {
            k = max(i, k+1);
            i = k+1;
        }
    }
    return k;
}

Uma vez que pela definição do while, temos que i<n, podemos eliminar o %n:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0, i=1;
    while (i<n && k+1<n) {
        if (A[k] < A[i]) {
            i = i+1;
        }
        else if (A[k] > A[i]) {
            k = max(i, k+1);
            i = k+1;
        }
    }
    return k;
}

Vejamos o que este algoritmo faz. Sabemos que ele funciona apenas quando todas as posições do array têm valores diferentes (afinal, eliminamos o caso do == que precisaria do j para funcionar).

Começamos com k=0 e i=1. Os elementos A[0] e A[1] são comparados, se o A[0] for menor que o A[1], o i será incrementado, e então vamos comparar o A[0] com o A[2] e se a condição se manter, vamos comparar o A[0] com o A[3]. Ou seja, a condição do < se mantém quando o elemento A[k] é menor do que os elementos que o sucedem. Se tivermos o caso aonde o primeiro elemento do array for o menor de todos, zero será retornado pelo algoritmo, o que parece indicar que ele descobre aonde está o elemento de menor valor.

Vamos ver o que ocorre se cairmos na condição >. Começamos comparando A[0] com A[1] e o menor elemento é o A[1]. Então comparamos A[1] com A[2], depois A[2] com A[3], e o valor do k é sempre o valor do índice do array com o menor elemento.

Concluímos que este algoritmo retorna a posição no array que tem o menor valor encontrado.

Sabendo deste comportamento, temos que neste caso aonde não há j, o k sempre será menor (e nunca igual) ao i. Portanto podemos simplificar o algoritmo para o seguinte:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0, i=1;
    while (i<n && k+1<n) {
        if (A[k] < A[i]) {
            i = i+1;
        }
        else if (A[k] > A[i]) {
            k = i;
            i = k+1;
        }
    }
    return k;
}

Que é equivalente a isso:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0, i=1;
    while (i<n && k+1<n) {
        if (A[k] > A[i]) {
            k = i;
        }
        i = i+1;
    }
    return k;
}

Uma vez que temos sempre que k<i, então a condição k+1<n é redundante, pois só será verdadeira se i<n também for. Então o algoritmo fica assim:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0, i=1;
    while (i<n) {
        if (A[k] > A[i]) {
            k = i;
        }
        i = i+1;
    }
    return k;
}

Que por sua vez é equivalente a isso:

int AlgoritmoErrado(int A[], int n) {
    int k=0;
    for (int i = 1; i<n; i++) {
        if (A[k] > A[i]) k = i;
    }
    return k;
}

E neste ponto já está óbvio que ele vai iterar exatamente n-1 vezes, o que seria Θ(n-1), mas como o n domina sobre o 1 temos Θ(n).

E quanto ao j? Será que o j destroi o Θ(n) que o algoritmo seria?

Os elementos são acessados nas posições k+j e (i+j)%n. Na primeira condição, o k+j cresce, aproximando o fim do algoritmo um passo na direção da condição k+j+1<n. Na terceira condição, o k aumenta e o j volta a zero, mas o valor de k+j também aumenta porque k = max(i, k+j+1), o que garante que o novo valor de k+j será maior ou igual ao k+j+1 anterior. O k+j só pode diminuir na segunda condição, mas essa redução só vai ocorrer após uma sequência de entradas na primeira condição, o que fará o i aumentar em lugar pulando por cima de todas as posições k+j e aproximando o fim do algoritmo da condição i<n enquanto que o k+j só retrocede até o ponto antes da entrada na condição do == pela primeira vez.

Assim conclui-se que a cada iteração ou chega-se um passo mais perto da condição de parada k+j+1, ou então retrocede-se alguns passos desta condição, mas avança-se este mesmo número de passos mais um em direção a condição de parada i<n.

Se a for o número de passos realizados na primeira e na terceira situação se aproximando de se atingir a condição de parada do k+j+1 e b for o número de passos realizados na segunda situação se aproximando para atingir a condição de parada do i<n, então em no máximo a+b passos, pelo menos uma das condições será atingida. Dado que sabemos que a<=n e b<=n então a+b<=2n.

Isso significa que garantidamente, em não mais que 2n iterações o algoritmo termina e em não menos que n-1 iterações ele termina. Assim o algoritmo é Ω(n-1) e O(2n). Como os fatores constantes não importam e o n domina sobre o 1, então Ω(n-1) é o mesmo que Ω(n) e O(2n) é o mesmo que O(n). E se o algoritmo é Ω(n) e O(n) ao mesmo tempo, então ele é Θ(n).

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.