7

Como criar uma função na linguagem J? Todos os exemplos que eu encontrei online mostram somente como descrever funções por meio de um fork:

media =: +/ % #
media 1 2 3 4
2.5

O código acima (+/ % #) é o mesmo que "somar todos os elementos do array" (+/), "achar o tamanho do array" (#) e dividir um pelo outro (%). O que está ok, mas eu gostaria de saber de um modo mais geral, como definir funções com, digamos, múltiplos parâmetros, múltiplas expressões no corpo da função, etc. J suporta esse tipo de coisa? Ou essa linguagem não tem funções tal como as linguagens mais comuns?

  • 1
    A pergunta que não quer calar, quem no mundo programa em J? – ppalacios 28/11/15 às 19:46
  • @PabloPalácios Bom, o pessoal do codegolf.SE parece usar bastante, por que será né? rsrs – mgibsonbr 28/11/15 às 21:04
  • agora faz todo sentido! – ppalacios 28/11/15 às 21:10
3
+50

Eu não sou especialista em J, mas procurei algumas informações que possivelmente irão te ajudar.

Bem, se você deu uma olhada na documentação, viu que a palavra function não é tão comum em J. Henry Rich, escritor do J for C programmers, assimila função ao termo verbo em J.

Como esse mesmo autor atesta, verbos só podem receber até dois argumentos (ou, na idiomática do J, operandos). Com isso, temos dois tipos de verbos, monadics ou dyadics, que recebem um e dois operandos respectivamente.

Em função disso, J nomeia os operandos automaticamente para você. No caso de um verbo monadic, o nome que será passado para as sentenças do corpo do verbo será o y. Na hora de chamar um verbo monadic, o operando deverá ficar a direita do verbo.

Para construir um verbo monadic:

soma1 =: monad define
y + 1
)

Repare que você pode passar tanto um único número quanto um array para o verbo que ele funcionará:

soma1 1
2
soma 1 2 3
2 3 4

Nos verbos dyadic, os nomes dos operandos serão x e y. Na hora de chamar o verbo, x deverá estar a sua esquerda e y deverá estar a sua direita. Para construir um verbo dyadic:

somaXproduto =: dyad define
(x + y) * x * y
)

A mesma observação sobre os tipos dos operandos feita para verbos monadics vale para os dyadics:

1 somaXproduto 2
6
1 2 3 somaXproduto 1 2 3
2 16 54

Um ponto interessante é que você pode ter um verbo dos dois tipos. Para construí-lo, você escreve primeiro a parte monadic e depois a parte dyadic, separadas por um :. Veja o exemplo:

soma1especial =: verb define
y + 1
:
x + y + 1
)

Caso o verbo seja chamado com apenas um operando, adicionará 1, e, se for chamado com 2 operandos, somará os dois a 1:

soma1especial 1
2
1 soma1especial 1
3

Além disso, tenho algumas observações. O resultado do verbo será o resultado da última sentença (linha) do verbo (se não me engano, assim como em Perl).

Outro ponto digno de nota é que, caso você crie um verbo que não utilize nenhum operando, você deverá, impreterivelmente, chamá-lo passando algum valor, podendo ser uma string vazia:

foo =: verb define
a =: 1
b =: 2
a + b
)

foo ''
3

Veja que nesse último exemplo eu não defini o tipo do verbo. Por padrão, quando você utiliza apenas verb define, sem adicionar o caso dyadic, o verbo será monadic. Não somente, esse exemplo mostra a utilização de múltiplas sentenças em um único verbo.

Além dessa sintáxe para criar verbos, há uma mais breve, para verbos que podem ser descritos em apenas uma linha:

soma1 := monad : 'y + 1'
soma1especial := dyad : 'x + y + 1'

Repare que o texto do verbo deve ficar entre aspas.

Por fim, lembro que em J, há também modificadores de verbos, como os advérbios, forks e hooks (e que não deixam de ser um tipo de função também).

O exemplo que você deu apresenta dois modificadores, o advérbio / e um fork, que não possui representação gráfica.

O / fará a inserção do verbo que estiver a sua esquerda entre os elementos do array que estiver a sua direita.

Já o fork, precisa de três verbos separados por espaços para funcionar. O resultado será uma função composta que poderá ser monadic ou dyadic. No primeiro caso, o do seu exemplo, teríamos o seguinte:

(f g h) y

Isso será traduzido da seguinte maneira:

(f y) g (h y)

No seu exemplo, f já é um verbo modificado o +/, que inserirá + entre os elementos de y. O resultado disso corresponderá ao operando x de g.

Do mesmo modo, h será substituído pelo verbo #, que retorna o tamanho de um array e corresponderá ao operando y de g.

Finalmente, g será substituído por %, que é um verbo dyadic e fará a divisão entre os resultados obtidos anteriormente.

A diferença entre um fork monadic de um dyadic está em sua tradução. Um exemplo seria x (f g h) y que seria traduzido para (x f y) g (x h y) e funcionará de maneira homóloga ao modo monadic explicado anteriormente.

Mágico, não?

  • Excelente! Por mim já está aceito (mas como é de praxe, vou aguardar mais um pouco dada a recompensa). Engraçado que, sem saber essa nomenclatura ("verbo"), eu tive bastante dificuldade de encontrar essa informação. Agora está tudo bem mais claro! – mgibsonbr 28/11/15 às 20:59
  • @mgibsonbr O livro que coloquei como referência é uma boa leitura, e cumpre muito bem essas lacunas entre linguagens de seres humanos e J. – ppalacios 28/11/15 às 21:25

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.